PINTEREST

quinta-feira, 31 de março de 2016

Museu do Amanhã (RJ)










Visitamos o Museu do Amanhã lá no Rio de Janeiro. Trata-se de construção magnífica que merece a visita de todos. Salve Calatrava! 

sábado, 19 de março de 2016

O que me ensinaram, tentaram me ensinar, ou apenas ficaram falando lá na frente enquanto eu divagava.


Um dia, certo indivíduo, bem apessoado, bem sucedido, intitulado Professor de Direito Penal, severo e cioso de seu dever, entre um assunto e outro, disparou: "no Brasil o patrimônio vale mais do que a vida e isto devemos à tradição ibérica, mais precisamente herdada através de Portugal". Para espanto geral dos incrédulos que ainda restavam na sala de aula tarde da noite, explicou: "a prova disto é de que o crime de latrocínio (matar para roubar) tem pena superior ao do homicídio (matar)". Deu boa noite e me deixou pensativo até hoje. E lá se vão 25 anos e eu ainda não acredito...

quinta-feira, 17 de março de 2016

a oferta do Ministério...

direto do Jornal da Economia

a avalanche vem descendo o morro

Escrever tudo o que eu penso (penso em borbotões) dá muito trabalho. E, pior, precisa ser explicado, pois o pensamento conhece as premissas, dispensa inferências, jorra conclusões e os eventuais interlocutores, não necessariamente, têm a mesma bagagem, as mesmas pedras do caminho. Tudo muito embolado. Portanto, deixa pra lá e seguimos, pois a avalanche vem descendo o morro.

quarta-feira, 16 de março de 2016

o Rei está nú

Grampos desnudaram o Rei, a Rainha e todos os peões...

Nada mais dos momentos resta, seja da festa ou do sól

enquanto os políticos põe fogo no país...

um pequeno cordel do patologista escrito por Paulo Saldiva

O corpo contém vários órgãos
Que exercem muitas funções
Emoldurados por um conjunto
De ossos, músculos e tendões
O todo se nutre do sangue
E do oxigênio dos pulmões
Movido pela força pulsante
De um órgão vibrante
Conhecido por coração
A quem os poetas um dia
Pela força da poesia
Atribuíram o amor e emoção
A força do pensamento
Emana do alto compartimento
No tecido cerebral
Mas onde se aloja a alma?
Por favor, não me tomem a mal
Por faltar a mim toda a arte
Para explicar essa parte
Pois como patologista
Não detectei qualquer pista
De sua localização
Procurei no corpo inteiro
Sem encontrar paradeiro
Por exclusão, vem a certeza
Que a alma permeia a inteireza
Do que temos dentro de nós
Ultrapassa o nosso abrigo
Se une com a alma do amigo
Que nos ampara quando sós

terça-feira, 15 de março de 2016

13 de março de 1964

Kitty Genovese foi morta brutalmente neste dia sob os olhares de mais de trinta de seus vizinhos. Ninguém chamou a polícia. O ataque durou mais de quarenta minutos e todos apenas olharam. Este crime mudou o mundo. Foram escritos inúmeros livros, foram feitas Histórias em quadrinhos e filmes. era 3:15 h da madrugada.
38 pessoas ouviram os gritos e assistiram ao assassinato desta mulher e nada fizeram além de olhar. Este fato, esta desumanidade, levou dois psicólogos a terem a sacada do "problema do espectador" (Bibb Latane e John Darley) e o que eles concluiram foi o seguinte:

Quando estão sozinhas, as pessoas consideram sua linha de pensamento como unicamente racional, e então elas tomam decisões mais facilmente. Mas, quando estão em grupo, a responsabilidade de agir fica mais confusa (supõe-se que o outro irá tomar uma decisão, ou que o problema não é real).
O que os psicólogos argumentaram no caso de Kitty Genovese é o seguinte: o importante não é o fato de ninguém ter agido quando 38 pessoas ouviram os gritos de Kitty, mas sim o fato de que ninguém agiu porque 38 pessoas a escutaram gritar.
Se houvesse apenas 1 pessoa como testemunha, talvez Kitty ainda estivesse viva. Mas como 38 assistiram, sua morte virou um espetáculo.

imagens de autores desconhecidos (para mim) copiadas da net. Se alguém souber, favor informar...

Eu ainda pergunto: e se fosse hoje?

 

terça-feira, 8 de março de 2016

Para o dia internacional da Mulher:


"Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor.
Estou farto do lirismo que para e vai averiguar no dicionário
o cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas
Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis
Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todo lirismo que capitula ao que quer que seja 
fora de si mesmo
De resto não é lirismo
Será contabilidade tabela de co-senos secretário do amante
exemplar com cem modelos de cartas e as diferentes
maneiras de agradar às mulheres, etc
Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare
— Não quero mais saber do lirismo que não é libertação".
Manuel Bandeira