PINTEREST

quarta-feira, 3 de junho de 2015

#Photowalk em São Paulo


 Participei do meu primeiro Photowalk em são Paulo a convite do Marcello Barbusci que eu conheci através do Victor Andrade.
Minha trajetória com a máquina na mão começou a exatos cinquenta anos atrás quando ganhei minha primeira caixinha para colocar um filme dentro e um cubo de flash por cima. A coisa foi evoluindo e aos quatorze fui aluno da Dulce Soares através de quem conheci Maureen Bisilliat e Stefania Brill. Depois veio o Alex Vallauri e o Hudinilson Jr, cada um a seu modo trazendo uma machadinha para me abrir a cabeça. Tive a oportunidade de participar de uma experiência incrível com a Dulce Soares e o Claudio Luchessi na qual utilizamos filme diapositivo (slide) de 64 ASA que na hora da revelação foi tratado como se tivesse 800 ASA. O resultado final deste trabalho ficou exposto durante uma semana no Teatro da Ilha em São Paulo. Algumas destas fotos foram impressas e estão com a artista plástica Sarita Roysen que na época participou das fotos. E eu nunca parei apesar dos períodos de hibernação. Às vezes longos períodos de hibernação. Com o advento da fotografia digital acabei me desfazendo de todo meu equipamento anterior que era composto de várias lentes, filtros e máquinas. Migrei inteiramente para o digital e em função de uma semente que foi plantada no meu cérebro comecei a andar pela cidade de máquina em punho. Esta semente foi o filme do Cine Bijou da Praça Roosevelt chamado "Pequenos Assassinatos" (Little Murders) do Alan Arkin.
Tudo muito errante, até que encontrei pessoas na internet que tinham um gosto parecido e desde o primeiro minuto do aplicativo Instagram eu participo. Nos encontramos para fotografar detalhes, pessoas e grafites. Participei de muitos encontros no Ibirapuera, no Beco do Batman e no Minhocão. A coisa cresceu, evoluiu e muitas amizades surgiram disso. Recentemente conheci o Victor Andrade na internet e ele me apresentou estas pessoas fantásticas e suas máquinas voadoras (kkkkk). Viciei, se é que isto é possível depois de cinquenta anos de "addiction".


Nenhum comentário: