PINTEREST

sábado, 4 de agosto de 2012

de sardinhas e clarinetes

Pois lá fui eu saber como é ser sardinha. Passei hora e maia, de pé, sendo espremido e deslocando cada vértebra do meu corpo por conta de ir de São Paulo a Vargem Grande em um ônibus de linha chamado São Marcos... Experiência que me fez lembrar Springfield e suas maravilhosas crianças espremidas para fora da janela do ônibus escolar... Tudo por conta de uns motoqueiros que se recusam a cumprir a lei. Só, mais nada. Não se justifica e ponto. Não adianta vir com retórica sindical e coisa e tal. Nada feito. É como tentar explicar o fracasso olímpico de alguns atletas ou, talvez, o comportamento criminoso de alguns parlamentares. Não se justifica. Eu? |Eu estou aqui, de camarote, metendo a boca nos atletas e nos parlamentares e, dependendo do resultado, nos magistrados.A notícia realmente triste, foi a perda do Severino Araújo. E como fica a tal da orquestra Tabajara depois disso? Não é brincadeira não: foram mais de 13.000 bailes e cem discos.