PINTEREST

sábado, 26 de maio de 2012

A Go Go

Os amigos estão reclamando pois escrevo pouco ultimamente. Minha rotina mudou e eu ainda não consegui espremer esse tempo para dentro do meu dia. As horas são como laranjas. Você espreme uma quantidade delas para dar um bom copo de suco. Alguns adicionam gelo e açúcar, de modo que passa a caber menos suco no copo. Outros, preferem o suco puro, sem adornos e aproveitam mais as suas laranjas. Há também aqueles que , de cara, comem a laranja sem espremer, sem sujar e com total aproveitamento de conteúdo. Estes devem ser os monges zen. Ainda não cheguei lá. Aliás, a julgar pela tarde de hoje, estou longe disso. Por conta de uma bobagem acabei tendo de fazer B.O. na Base da Polícia Militar da Pacata Vila. Não bastasse a chateação, ainda virei testemunha do soldado que me atendeu gentilmente, pois o mesmo foi desacatado em pleno exercício do ofício. Um total desrespeito com o servidor. Portanto, acabei passando boa parte do meu dia entre uma Base Militar e uma Delegacia de Polícia Civil. Eu, que sou apaixonado por futebol e Direito, que me divirto com jogos de várzea, campinhos de beira de estrada e assisto Juri como passatempo, acabei me divertindo. O duro foi acalmar a esposa e, posteriormente, fazê-la ver o lado bom da coisa. Eu bem que prefiro falar de filmes e livros. Em tempo: esta semana tive uma ótima idéia para um conto. Duro está sendo arrumar a idéia em um papel. AH! Parabéns ao Dalton Trevisa, que admiro desde 74, quando meu amigo Luis Lafam me apresentou o Vampiro de Curitiba. Trevisan ganhou o prêmio Camões, o maior da lingua portuguêsa. Salve, salve!