PINTEREST

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Brasileiro é criativo?


Criaram mais uma taxa. Trata-se da taxa de fiscalização ambiental criada pela Lei 14.626 de 29/11/2011. Dependendo da empresa que vai recolher a tal taxa ela pode ter de desembolsar mais de mil e trezentos reais por trimestre. E a CETESB já soltou uma nota advertindo que esta taxa não vai aumentar a carga tributária destas empresas. Então eu pirei? Desde quando taxa deixou de ser tributo? Ou a CETESB, agora, está legislando em direito tributário também? Fora que, para variar, existe uma pequena monstruosidade rolando por ai, vez que o IBAMA também tem uma taxa de fiscalização ambiental. Durma-se com um barulho desses. Depois o brasileiro ainda se pergunta da razão de nossos produtos custarem o olho da cara. Chegamos a pagar seis vezes o preço praticado no exterior. Caso de algumas motos por exemplo. Dizem que a razão, dentre outras, é que existe um tal de custo Brasil rolando na parada. Eu, por outro lado, sou daqueles que acham que o brasileiro adora pagar mais caro. E eu sou do tipo que quando diz que matou a cobra, mostra a cobra morta. Dois exemplos: 1) quando a Honda lançou aquele sonho de consumo CB 750 ela deitou e rolou na hora de por o preço por um simples motivo. A demanda reprimida era imensa por conta das proibições de importação da ditecuja. 2) Uma caixa de bonbons de marca boa, com 400g de deliciosos chocolatinhos embrulhados um a um custou na semana anterior à Páscoa razoáveis sete reais. Já um ovo de chocolate com os mesmo 400g custava exatos vinte e um reais. Adivinhe qual vendeu mais. As pessoas não sabem fazer conta? Ou sempre tem algo mais interessante para fazer do que protestar por seus direitos? E depois “dizem que sou louco por pensar assim...”