PINTEREST

quinta-feira, 22 de março de 2012

CAU - com força total

Para aqueles que duvidaram até de que um dia iríamos existir com as próprias pernas. Para aqueles que mesmo depois da promulgação da Lei Federal acharam que a coisa não andava. Para aqueles que mesmo depois da eleição e posse dos Conselheiros acharam que seríamos incapazes. Para todos estes a maior prova de capacidade está na qualidade da Reunião Plenária que tive a oportunidade de assistir nesta Tarde no Palácio Anchieta. O CAU está de vento em popa e está enfrentando os obstáculos com atenção e honestidade de atitude e de propósitos. O quadro para que haja servidores, a princípio em contratação emergencial, foi aprovado com a seriedade necessária. E é assim mesmo que tem de ser, antes que os interesses de uns resolvam sobressair aos de outros. Não me iludo, nem tampouco o Professor Miguel Pereira, pois sabemos que foram cinco as entidades que podemos chamar de "fundadores" do CAU. Uns dirão que estou louco, mas ouvi estas exatas palavras da boca do Professor. Há que se ter cuidado, há que compor. è imperioso que se aproveite a maré favorável, e a boa vontade de todos neste início em que ainda temos um inimigo comum externo. Pois no dia em que os inimigos se tornarem interna corporis, o nosso tão sonhado Conselho não vai ser mais do que apenas isso: uma Autarquia Federal.



Coleta seletiva

Sempre fui fã dessa iniciativa. Desde o final dos anos oitenta que estou familiarizado com a prática e quase fiz mestrado em reciclagem voltada para a construção civil. As circunstâncias não foram as mais favoráveis e a idéia foi para a gaveta. Naqueles tempos eu era pai de dois pequenos frequentadores da chamada pré-escola e todas as famílias eram instadas a levar seu lixo reciclável para a escola uma vez por semana. No final do ano, tanto a festa como dois novos computadores ou a nova pintura foram financiados pelos inúmeros danoninhos e Yakultes vazios. Com o tempo algumas Prefeituras encamparam a coleta seletiva e... só Deus sabe o que acontece. A maioria do país não pratica a coleta seletiva, o que é um absurdo acima de qualquer qualificação. Inadmissível que não se fça em larga escala. Digamos que não é civilizado sujar o entorno de onde se vive e nós (a humanidade como um todo) escondemos lixo em baixo do tapete. 
Mas, independente disso, existe gente que além de criativa ainda faz bem à sociedade como um todo. Esse é o caso da Cooperaacs que desenvolve um belo trabalho com o que os outros consideram lixo. Neste trabalho eles envolvem artistas, albergados, moradores de rua e pessoas em situação de risco profissional. Possuem parceria com o Conjunto Nacional e fazem esculturas e decoração com muita qualidade. Basta lembrar do imenso Quixote que andou por lá por um tempo. Nestes próximos dia eles estão por lá. Confira.



PS: hoje é o aniversário de um grande amigo. Parabéns Glauber!