PINTEREST

quarta-feira, 7 de março de 2012

Tabaco, cigarro e sua indústria...

Se você tem cinco minutinhos, pare pra pensar nas info que eu vou colocar aqui. Não é nada de exclusivo, nem nenhum furo de reportagem. Apenas e tão somente informação disponível nas páginas das companhias de cigarro e do prórpio Governo da República federativa do Brasil. Primeiro que nós só escutamos discurso contra o consumo de tabaco e sentimos o mercado regulatório estrangulando de modo a tornar a vida do fumante um inferno. Eu mesmo aproveitei as crescentes restrições para parar de fumar. 
Mas vamos ao que interessa: A safra 2010/2011 registrou a maior produtividade e o terceiro maior volume da história do tabaco brasileiro na Região Sul. De acordo com a Associação dos Fumicultores do Brasil – Afubra, a produção total da safra 2010/2011 na Região Sul atingiu 833 mil toneladas, ou seja, um crescimento de mais de 20% em relação à safra 2009/2010, quando foram produzidas aproximadamente 692 mil toneladas.
Como conseqüência da maior oferta do produto, foram gerados aproximadamente R$ 4,1 bilhões
em receita para os produtores de fumo dessa região. Estima-se que a produção de fumo seja a
fonte complementar de renda de cerca de 200 mil pequenos produtores rurais em mais de 700
municípios, com importante contribuição social, envolvendo direta e indiretamente mais de 2,5
milhões de pessoas no processo (Fonte: Anuário Brasileiro do Tabaco 2011).
Atualmente, o Brasil é o 3º maior produtor de tabaco do mundo, atrás de China e Índia, porém ainda se mantém como líder na exportação mundial do produto. Em 2011, 546 mil toneladas de fumo e seus derivados foram exportadas, volume 8% superior ao do ano anterior quando foram embarcadas 506 mil toneladas. O faturamento obtido com essas exportações foi 7% superior ao de 2010 e atingiu o montante de US$ 2,9 bilhões (Fonte: Ministério da Agricultura).
A Souza Cruz continua a se posicionar entre os 10 maiores contribuintes de tributos no Brasil. Em 2011, gerou R$ 7.627,4 milhões de tributos sobre vendas. Nos últimos cinco anos, somente os tributos sobre vendas da Souza Cruz aumentaram em média 10% ao ano, e totalizaram um incremento de R$ 2,5 bilhões.
Ali acima apresento um gráfico da própria Souza Cruz demonstrando a evolução da contribuição desta empresa para com os cofres do Governo. Isto, apesar do crescente contrabando e de todas as campanhas anti-tabaco soltas por ai. EU pergunto: alguém, em sã consciência, acha que o Governo quer que todos parem de fumar? Só a Souza Cruz possui 300.000 pontos de venda pelo país afora com uma log´stica de estarrecer. Além disso a empresa remunera seus acionistas distribuindo cerca de 96% do lucro. 
As internações relacionadas ao tabaco são responsáveis por uma parte importante do número total de internações e aumentaram de forma significativa durante o período estudado. Os custos com essas hospitalizações são significativos – R$ 1,1 bilhão -, e corresponderam a 8% dos custos hospitalares para adultos com mais de 35 anos. O estudo constatou que os custos médios de internações causadas por algumas das doenças relacionadas ao fumo mostravam-se estáveis ou inferiores durante o período, o que vem sugerir que estejam sendo adotados procedimentos menos dispendiosos ou que os preços não tenham sido atualizados para cobrir a inflação. (fonte: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Controle%20do%20Tabagismo%20no%20Brasil.pdf

Sabe pensar? PENSE...