PINTEREST

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Inacreditável...

Vez por outra despejo minhas angustias existenciais nos noventa minutos de um jogo de bola. Sempre que posso assisto um. Seja várzea, seja infantil ou profissa. Nacional ou alienígena. Masculino ou feminino. Desde que corram atrás de uma bola, que deva ser movimentada com os pés, este autor estará lá, de olho na jogada, no lance, na arquibancada e no quero-quero. às vezes a gente também chinga o Juiz (é claro) que isso é de praxe. Agora, tem lances que a gente nunca esquece. Sabe aquela final de Campeonato Paulista de 1971? Então... já sabe do que estou falando. Agora, quando o lance não tem nada a ver com o time da gente... bom, ai fica mais difícil de ser memorizado. Tem que realmente ser absurdo, excepcional ou risível. Tem de ser inacreditável. Tipo trucagem de vídeo. Quem se liga em futebol viu ontem uma destas ocorrências de caráter cósmico. Uma em cada oitocentos anos luz. O atacante do Flamengo perdeu um gol que nem a octogenária da minha mãe perderia. Nenê de colo não perderia. O gatinho lá de casa não perderia. Aliás... nem eu perderia. Se alguém não sabe do que se trata, veja o video. Credo! o goleiro do Vasco já tava olhando para o bandeirinha, buscando uma absolvição, uma anulação. Quando viu que a bola estava em jogo e nada havia acontecido de trágico ou prejudicial, levou até um susto e se posicionou. Depois ficou aliviado e hoje cedo, como meio planeta, esta vendo e revendo o vídeu lá no youtube. Faça o mesmo, pois eu não vou ficar aqui compartilhando bobagem de jogador de time que nem é do meu Estado. Divirta-se.

Ah, e se você acha que tem algum erro de ortografia ou concordância neste ou em qualquer outro texto deste blog, deixe um recado... avise, que ninguém é de ferro e todos precisamos de ajuda e solidariedade. Só não vá sair metendo a boca sem ter certeza, tá?!