PINTEREST

domingo, 29 de julho de 2012

Tempos de falta de tempo

Perdoem-me os leitores por não postar com freqüência... Acredito que vou remediar isso. Não vou ficar me desculpando e coisa e tal, mas tenho tido uma rotina olímpica (para ficar no espírito do mês). Não tem sobrado nenhum tempo, nem para o lazer... De qualquer forma, para os amantes do cinema e para aqueles que não têm tempo de ir à sua locadora, a TV Cultura (sempre ela) tem uma programação excelente nas quartas, quintas, sextas e sábados à noite. É cinema de qualidade na telinha da sua casa.
Já para quem gosta de garimpo, aqui vai um filme imperdível: "Ensaio de um Crime" de Luis Buñuel em sua fase mexicana. O filme é forte e mistura tesão com morte. Quem gosta de Almodóvar já sabe do que falo, pois em dois de seus filmes este "Ensaio" é homenageado (Carne trêmula e Matador).


domingo, 22 de julho de 2012

O Grande Golpe


Eu falei já aqui que estava revisitando filmes policiais e coisa e tal. Muito bem: tem um que é imperdível e deve fazer parte da sua videoteca. Trata-se de "O Grande Golpe" (The Killing) feito em 1956 por Stanley Kubrick. É um suspense de tirar o chapéu com uma narrativa diferente e que, na época, foi considerada revolucionária. Não vou ficar contando filme aqui...

Telefonia

Estou "P" da vida com os serviços que me são prestados pelas empresas de telefonia. A Embratel eu já estou processando e aguardo ansiosamente a audiência marcada para agosto. A Telefonica, que resolveu que devemos chamá-la de VIVO, se faz de morta e parece que irá pelo mesmo caminho a se explicar na frente de um Juiz. Já a porcaria da TIM decidiu meter a mão em 27 pila minha, na maior, sem o menor constrangimento. Estes eu ainda estou tentando convencer de que a grana é minha e que, portanto, é bom me devolver. A ANATEL parece ter resolvido mostrar serviço e em ano eleitoral isso é deveras interessante. Vamos ver no que dá. Só sei de uma coisa: eu costumo fazer como naquela letra do Caetano, "saio despreocupado, mas se alguém se fizer de engraçado, meto o pau!" Só me faltava essa: sentir falta dos tempos da ficha de orelhão e do serviço da TELESP...
Ora pois, agora deu! Ou como dizem lá no sul: deu pra ti!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

On the road

Olha, qualquer dia desses o Walter Salles chega lá. 

De tanto treinar, ele vai acabar fazendo o filme mais chato da face da terra...

domingo, 15 de julho de 2012

Anima Mundi

Vem ai o Festival dos festivais. É só alegria...


Você encontra a programação completa em

sábado, 14 de julho de 2012

14 de julho


Data nacional francesa mas, também, data nacional do planeta. Afinal, a Revolução Francesa assim como sua antecessora Independência dos EUA, mudaram o modo de pensar no mundo. Muita gente perdeu a cabeça, muita gente se aproveitou e, posteriormente, a Revolução de 1917 mostrou ao mundo que o trabalho iniciado com a queda da Bastilha estava longe de ser concluído. Até hoje, se pensarmos bem, as pirâmides sociais não mudaram quase nada...



terça-feira, 10 de julho de 2012

Os gritos do silêncio

Gastei um tempo revendo alguns filmes de guerra. Não vou dizer que adoro, mas sempre gostei. Sou filho de gente que passou pela guerra e, portanto, cresci escutando histórias as mais diversas sobre este assunto. Uma amiga da minha mãe até escreveu um diário que acabou sendo publicado por um deseus netos após a sua morte. "Diário de Roswitha" é leitura obrigatória para quem quer beber na fonte. Vou começar falando de "The Killing Fields" que no brasil se chamou "Gritos do silêncio". Quer saber? "Gritos do silêncio" não é um "filmão". Pode ter tido sua importância como "denuncia", como "boca no trombone" ou coisa que o valha, quando a sociedade americana resolveu brincar de jogo da verdade. Afinal, em 1984 denunciar Nixon parecia "bacana". Mostrar as atrocidades do Kmer vermelho e do regime sangrento de Pol Pot no Cambodja parecia necessário. Para tanto, já que o Vietnam já tinha se transformado em quase "arte" nas telas, decidiram por um filme meio com cara de "documentário", com lances dramáticos e alguma tentativa de te fazer chorar. Drama com final feliz. Ups, Hollywood fabricou mais três Oscars...



segunda-feira, 9 de julho de 2012

1932 - 80 anos

Lá se vão oitenta anos da Guerra Civil brasileira. Naquele ano os paulistas se sublevaram, financiados pela oligarquia que acabara de perder o poder para a Revolução de 30, para mostrar ao país que ali (na Revolução de 30) estava a se desenhar uma ditadura. Poucos acreditaram no primeiro momento mas, depois, quando a farça da constituição de 34 ruiu, os brasilieros levaram oito anos para dar fim a uma ditadura sangrenta, cruel e de métodos nazistas. Getúlio acabaria voltando pelo voto popular em 1950, mas isto é outra História. A Revolução Constitucionalista de 32 forjou heróis, forjou uma indústria nova e mostrou a criatividade e a capacidade de organização de um povo ante a necessidade. 
Durante a ditadura militar (1964-1985) a data de nove de julho não era comemorada, apesar do obelisco do Ibirapuera e da Av. 23 de Maio não nos permitirem o esquecimento. Afinal, uma ditadura não ia querer que o povo se lembrasse de que era possível de ser combatida. Logo após a democratização, o nove de julho voltou a ser feriado estadual e é com muita honra que lembramos desta data e de seus heróis.

"O inimigo aqui não transita"
 

Festa da Cerejeira

Tradicional festa da colônia japonesa, aconteceu neste final de semana no município de São Roque. As primeiras mudas de cerejeira foram trazidas pelos japoneses na década de 30 do século passado. Desde então, nas regiões de clima frio, as floradas são celebradas com muita alegria pelas colônias nipônicas espalhadas pelo sul do Brasil. Quer saber mais? acesse www.festadacerejeira.com.br Lá você vai encontrar tudo sobre os locais em que se pode encontrar esta festa no Brasil e no mundo, com fotos belíssimas de floradas as mais magníficas. Trata-se de árvore muito especial e sua florada é realmente belíssima.








segunda-feira, 2 de julho de 2012

Cinema Árabe


Se liga: até 22 de julho você vai poder conferir o que de melhor o cinema árabe tem pra mostrar. É só escolher o Cinesesc, a Galeria Olido, a Cinemateca Brasileira ou o Centro Cultural do banco do Brasil. Aspectos que a imprensa não costuma revelar estarão presentes como, por exemplo, a discussão da sociedade patriarcal da Síria em casamentos cancelados pelas noivas. Mesmo a primavera árabe está na parada, se bem que apenas em documentários, afinal não deu tempo da ficção mostrar a sua cara. A curadoria é da libanesa Salti e a direção cultural coube a Soraya Smaili além de que esta mostra com 32 filmes veio direto do MOMA de NY para SP habibi.


domingo, 1 de julho de 2012

MIS MUBE



 


Até podia ser Miss Mube... mas é Museu da Imagem e do Som e Museu Brasileiro da Escultura. Aliás, feliz do sujeito que tirou a cerca que separava os dois. Agora entrou num, sai no outro. Numa ponta um café de primeira ao lado da loja charmosa, na outra um Bistrô envidraçado e aconchegante. Basta ir, que as exposições sempre surpreendem. Desde máquinas fotográficas de dois séculos, passando por Claudio Tozzi, Brennand, Índios ou mesmo Cinemube com sua vitrine independente. Melhor que isso, só se você ainda tiver tempo de descer a rua e passar o resto do dia no Museu da Casa Brasileira....


Ah; depois de ver os trabalhos mais recentes do Claudio Tozzi, fui para casa ver Blow Up (depois daquele beijo) de Michelangelo Antonioni. Filme de 1966 com Vanessa Redgrave e os Yardbirds tocando num boteco londrino (muito antes de serem Led Zeppelin pelas mãos de Jimmy Page) Bandinha esta que foi responsável pelo "start" das carreiras de Eric Clapton, Jimmy Page e Jeff Beck...