PINTEREST

sábado, 30 de junho de 2012

Filmar ou morrer...


Não deixe de ver...
É no MUBE até 30/06/12
Museu Brasileiro da Escultura

Próxima edição programada para DEZEMBRO 2012 com inscrições a partir de SETEMBRO!

sexta-feira, 29 de junho de 2012

no avião...

Buenas... entonces lá fui eu andar de avião. Não é que eu seja do tipo que nunca andou, mas faz tempo que não ando. Será? Não, não é isso... digamos que não ando com freqüência. Ficou melhor. Pois então: ou as coisas mudaram muito ou eu me espanto com qualquer coisa. Pra começar, a tal da fila de embarque é um absurdo que parece ter diminuído de tamanha. Afinal, o lugar é marcado ou não?! Bom, vamo que vamo: Nesta companhia de cor azul (que não tem nada a ver com aquela de cor laranja) eles distribuem salgadinho e goiabinha com suco ou coca-cola e tem TV da Vivo com jogo ao vivo (é claro). Coisa fina não? E tem também uma coisa que nenhuma companhia tem (se bem que a Linha Aérea Vermelha lá de Marília tinha) que é o proprietário recolhendo lixo dos passageiros e circulando no corredor e batendo papo. O cara é vendedor de primeira, pois saiu distribuindo cartão VIP, sorriso e aperto de mão. Tudo sem custo. As aeronaves são todas Embraer, tudo de primeira. Eles te mandam um e-mail confirmando a trip, depois mandam um e-mail perguntando se você gostou, mas cobram os "zóio" da cara se você resolve antecipar seu vôo. Pô, eu tenho meu lugar, mas vou deixá-lo livre para que o vendam caro para outra pessoa e eu vou em um assento que voaria vazio e eles me cobram mais de 15% por conta de que vão ter lucro às minhas custas? É o quê isso? Tudo safa, isso sim.


domingo, 24 de junho de 2012

Sonho lúcido?

Pois é... Já ouviu falar de Frederick van Eeden (1860-1932)? Então: esse cidadão foi o primeiro a falar em "Lucid Dream". Aquele tipo de sonho em que você está consciente de que sonha. Algo como os filmes "Vanilla Sky" (2001), "Open your eyes" (1997) ou "The Good Night" (2007). 
Aliás, recomendo "Good Night" (Sonhando acordado), primeiro por ser uma espécie de documentário passo-a-passo do movimento do sonho lúcido (lucid dreaming) e, principalmente, por ser uma comédia sádica. Mas antes veja pelo menos Vanilla... Não é MATRIX, mas faz pensar.

sábado, 23 de junho de 2012

m' Bora meu!

Sou de câncer, nasci no inverno e nem me venha dizer que isso não faz diferença. Aliás, quero crer que se alguém bolou esse negócio de signo, essa pessoa era do hemisfério norte. E neste caso, devo inferir que ao observar indivíduos de câncer, para atribuir características, observou pessoas que nasceram no verão. A diferença é muuuuiiiiito grande. Pessoas que nascem no verão, ou em regiões de clima constantemente quente, são diferentes de pessoas que nascem no frio ou vivem nele por todo ano. E digo mais, nasci no inverno em país tropical, portanto, muito diferente de encarar o planeta no Alaska ou em João Pessoa. Quero crer que isso altera a visão do mundo. Não nos torna melhor do que ninguém (pois isso não existe, a não ser em questões muito pontuais) mas é uma experiência deveras diferenciadora e reflete por toda a vida. Por exemplo, não há como você comemorar seu aniversário na praia ou na beira de uma piscina sem ter de encarar uma viagem (vamo-que-vamo) de milhares de quilômetros. Fica sempre aquela festa infantil de quadrilha sem quentão na memória. Isso influencia o indivíduo que, no meu caso, passa a amar tudo que é feito de milho e o "tar" do doce de abóbora. Fógos de artifício passam a ser ancestralmente divinos, como se fossem genéticamente anexados à gente. Entendeu? 

quinta-feira, 21 de junho de 2012

mais um aniversário

Quando a gente é novo não acredita que vai durar. Nem me perguntem a razão deste absurdo, pois não sou do ramo (nem quero ser). No entanto, me apraz em muito saber que estava errado. Completo com alegria mais um ano de vida e sinto renovadas as forças para mais uma rodada. É verdade que em certos momentos (não muitos) o saco vai lá na Lua e pensa em estourar, mas o fato é que eu hoje sou um sujeito feliz. Ah, disso eu não tenho dúvidas. Nem um tiquinho assim.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Duas questões

A primeira é que a Erundina comprovou sua integridade. Como já havia escrito aqui, muito antes de o Bode feder, há limites para todas as coisas. 
Já a segunda questão, além de ser de honra, igual a primeira, me veio exatamente por conta da primeira. 
A imagem a seguir diz tudo. 


domingo, 17 de junho de 2012

"Deus da Carnificina"





Rapaz... filme claustrofóbico, preso em um apartamento, mais na sala do que em outro cômodo qualquer. Diálogos com entrelinhas de montão e algumas surprêsas estranhas. Portanto, não se fie muito na tradução. Um filme para perder o fôlego e o medo do casamento (para quem ainda não casou). Excelente atuação de Jodie Foster em contraponto a uma apagada Kate Winslet, participam de uma artilharia verbal em que o politicamente correto, a mobilização por causas do Terceiro Mundo, as regras da vida em comunidade, as diferenças entre homens e mulheres, os sacrifícios pessoais exigidos pelo casamento, aparecem como um vulcão a jorrar sobre o espectador. Não se iluda, pois trata-se de um espelho que te diz: Você é normal.

sábado, 16 de junho de 2012

Pronto: Falei!

Veja você: há heróis anônimos. Um deles, falecido outro dia desses, levava o cinema à zona rual sem pedir nada em troca. Estou falando de Carlos Abi Laudi (o Carlito) que na década de sessenta e setenta cumpria sua nobre missão nas fazendas das cercanias de Américo Brasiliense, Município a 280 km de São Paulo. Depois chegou a ser dono de cinema, mas perdeu espaço pra TV. Foi Prefeito, Vereador e Vice. Este merece estátua.
Já o pessoal do PT, ao negociar o apoio do Maluf, dando-lhe espaço em Ministério, só para ver o Haddad eleito em Sampa, perdeu todo e qualquer resquício de dignidade; se é que ainda tinha alguma. Não sei como a Erundina caiu nessa. A meu modesto ver, tudo tem limite.

terça-feira, 12 de junho de 2012

São Paulo - um outro ângulo

 Rua Florêncio de Abreu
 Rua Florêncio de Abreu
 Metrô entre as Estações Português-Tietê e Armênia (Ponte Pequena)
 Estação Luz do Metrô
 Mercado Municipal com a Catedral da Sé ao fundo
 Av. Tiradentes
 Av. Tiradentes
Vila dos Ingleses

domingo, 10 de junho de 2012

Você é do tempo?

Que tempo? De amarrar cachorro com lingüiça? Do Guaraná com rolha? Nada disso: não precisa ir tão longe. Basta que você soubesse haver no mundo um país chamado Yugoslavia. Uma faixa estreita de terra, desgarrada do antigo Império Austro-Húngaro e que foi governado pelo Marechal Tito. Pois é, depois que o tal do Tito morreu, o "buteco" ruiu, desmantelou-se em uma guerra civil sangrenta, com limpeza étnica e crimes de guerra. Quer ter uma aula sobre isso? Mas aula, tipo digna do nome? Pois muito que bem: procure para ver o excelente filme "UNDERGROUND" com o qual Emir Kusturica ganhou seu prêmio de Cannes em 1995. É surreal. É comédia. É real. É drama. E se você não assistir vai ficar sem saber e, se bem sei, vai pensar que estou louco. Kusturica é um diretor servio, nascido em Sarajevo e formado em Praga. Se vir este nome, preste atenção.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

uma história bem contada

Em inglês recebeu o nome de "The burning Plain" e em português o exelente filme de Guillermo Arriaga (com Charlize Terron e Kim Bassinger) acabou se chamando "Vidas que se cruzam". Este filme deveria ser obrigatório para roteiristas e todos aqueles que pretendem contar bem uma história. É daquelas películas em que, a princípio, você não sabe do que se trata de tanto personagem perdido desfilando inconsistências. aos poucos você percebe que estão te contando uma história simples, de amor adolescente, que se arrasta pela vida com suas culpas e medos. As assombrações do passado, os medos, tudo isso se esvai diante do amor. Como gostamos de histórias de amor... mas se tiver tragédia no meio, talvez dê tempero. Uma pimentinha não faz mal a ninguém. Já sob o ponto de vista moral e até penal, este filme se permite ser politicamente incorreto. Palmas para ele. A vida é assim.


quinta-feira, 7 de junho de 2012

Ray Bradbury


A mente criativa nos deixou aos 91 anos. Que bom que viveu tanto. Que bom que nos entreteve por tanto tempo. Ao saber da notícia, imediatamente assisti Fahrenheit 451 feito por François Truffaut baseado no livro de Ray. Este, ele escreveu alugando uma máquina de escrever por pouco mais de nove dolares. Chegará o dia em que no verbete imaginação, estará escrito simplesmente Ray bradbury. RIP




terça-feira, 5 de junho de 2012

You can count on me

Taí: filme americano de respeito. Nada de tiros, nada de "nada com nada" ou porradas ninja. Um pouco de vida real pra variar. Angústias, dificuldades e solidariedade. preocupação com aquele irmão mais novo que parece não se conformar com a sorte. Coisas da vida. A relação entre irmãos, entre tio e sobrinho. Claro que tem sexo, drogas e rock and roll. Mas isso já está impresso, ou melhor, isso já está no nosso DNA. Também não tem New York ou algum ator de impacto. Nem glamour ou máquinas espetaculares. Mesmo assim, ou talvez por isso mesmo: Vale a locação.

sábado, 2 de junho de 2012

In-Edit Brasil

Em 1978 eu ganhei uma câmera super-8. Depois de algumas experiências de animação, com mesa de luz e layers fabricados por mim mesmo, ela se perdeu nos recõndidos mais profundos da alma humana. Don Letts também ganhou uma Super-8 em 78 e com ela filmou um documentário que mudou a maneira de o mundo ver: 1) documentários, 2) Punk, 3) Punk Rock, 4) Punk Rock Bands, 5) Clips de música. Esse cidadão, também responsável por dar o start de um dos discos mais fantásticos que já ouvi (London Calling - The Clash) estará em Sampa pra quem quiser ouvir, ver ou trocar idéia. Tudo bem que estes "caras" só aparecem aqui (aparentemente) quando ninguém mais quer ouví-los em outros lugares, mas tratando-se do "IN-EDIT", mesmo assim vale à pena. Afinal, quando você pode ver de perto alguém que fez história (e tem consciência disso)? 

Pois bem: quer info? clique www.in-edit-brasil.com e divirta-se aprendendo em São Paulo de 1 a 10 de junho no MIS, na CINEMATECA, na LIVRARIA CULTURA, no CINECESC, na MATILHACULTURAL e no CINE OLIDO.

Nota de falecimento: o Brasil perdeu Nelson Jacobina. Nós perdemos! Vai dizer + o Q? Perdeu... Perdestes, Perdemos! Foi! Não tem mais... Desde 74 que sei dele e de seu Maracatú atômico. Um brasileiro digno de ser alardeado.