PINTEREST

terça-feira, 29 de maio de 2012

Por decreto pode?

O Governo entende que classe média tem renda de R$ 300 a R$ 1000. E você?


"A definição foi aprovada nesta terça-feira após reunião do ministro da SAE, Moreira Franco, e o subsecretário de Ações Estratégicas da pasta, Ricardo Paes de Barros, com comissão de especialistas para avaliação dos critérios de identificação deste novo segmento da população. 
Dentro dela, foram definidos três subgrupos: a baixa classe média, com renda familiar per capita entre R$ 291 e R$ 441; a média, com renda familiar per capita de R$ R$441 a R$ 641; e a alta classe média, cuja renda familiar per capita fica entre R$ 641 e R$ 1.019.
De acordo com o trabalho, a renda familiar per capita da classe baixa vai até R$ 291 e a da alta, de R$ 1.019 em diante. Na classe alta, também foram definidos dois grupos: um com renda familiar per capita entre R$ 1.019 e R$ 2.480 e outro, que tem acima de R$ 2.480."

A pergunta que não quer calar é a seguinte: Quem ganha mais do que dois mil quatrocentos e oitenta reais é o que? E seu desdobramento é o seguinte: Então quer dizer que pode ganhar menos do que um salário mínimo e figurar em estatística oficial?

Fonte: UOL

sábado, 26 de maio de 2012

A Go Go

Os amigos estão reclamando pois escrevo pouco ultimamente. Minha rotina mudou e eu ainda não consegui espremer esse tempo para dentro do meu dia. As horas são como laranjas. Você espreme uma quantidade delas para dar um bom copo de suco. Alguns adicionam gelo e açúcar, de modo que passa a caber menos suco no copo. Outros, preferem o suco puro, sem adornos e aproveitam mais as suas laranjas. Há também aqueles que , de cara, comem a laranja sem espremer, sem sujar e com total aproveitamento de conteúdo. Estes devem ser os monges zen. Ainda não cheguei lá. Aliás, a julgar pela tarde de hoje, estou longe disso. Por conta de uma bobagem acabei tendo de fazer B.O. na Base da Polícia Militar da Pacata Vila. Não bastasse a chateação, ainda virei testemunha do soldado que me atendeu gentilmente, pois o mesmo foi desacatado em pleno exercício do ofício. Um total desrespeito com o servidor. Portanto, acabei passando boa parte do meu dia entre uma Base Militar e uma Delegacia de Polícia Civil. Eu, que sou apaixonado por futebol e Direito, que me divirto com jogos de várzea, campinhos de beira de estrada e assisto Juri como passatempo, acabei me divertindo. O duro foi acalmar a esposa e, posteriormente, fazê-la ver o lado bom da coisa. Eu bem que prefiro falar de filmes e livros. Em tempo: esta semana tive uma ótima idéia para um conto. Duro está sendo arrumar a idéia em um papel. AH! Parabéns ao Dalton Trevisa, que admiro desde 74, quando meu amigo Luis Lafam me apresentou o Vampiro de Curitiba. Trevisan ganhou o prêmio Camões, o maior da lingua portuguêsa. Salve, salve!

terça-feira, 22 de maio de 2012

Não use estas vagas se não é o seu caso...

Estas vagas são demarcadas e, geralmente, se encontram desocupadas para servirem às pessoas de mobilidade reduzida. Eu, particularmente, acho que elas podem também servir para paradas rápidas de embarque e desembarque de idosos ou de gestantes e, até, de mães com crianças de colo. Mas, embarcou/desembarcou caia fora. Portanto, a vaga é para pessoas de mobilidade reduzida, preferencialmente para cadeirantes. Não vale para pessoas sem educação ou sem cérebro. Combinado?

segunda-feira, 21 de maio de 2012

voltando de Itatuba

Santo Instagram, Santo IPhone que sempre estão comigo...


Esta é a milésima postagem deste Blog. Tinha que ser um show de imagem...

Obrigado a todos que nos acompanham.

domingo, 20 de maio de 2012

só queria...

Só queria ter matado um... só queria ter o suficiente... só queria pagar etc e tal. Enquanto uns lamentam, outros são positivos. Este, talvez, seria um excelente resumo de História da humanidade. Resumo de História? Bom, não é da Humanidade, mas serve do século XX? Tipo assim, do Brasil para o Mundo?! Buenas, entonces você fique feliz, pois esse troço existe: Trata-se do filme brasileiro, um clássico da contracultura, de Neville D'almeida que ficou perdido nos últimos quarenta anos e que, agora, será exibido pela primeira vez no país. Aleluia, espocam os fógos. Tem tudo na página do SESC, mas para aqueles que não aguentam esperar os filmes serão exibidos de 18/05 a 8/07 no SESC Sto. Amaro (Rua Amador Bueno 505) em Sampa. Do Brasil para o mundo? Sim! E digo mais: a FLIP vai dar mais espaço para o autor nacional estreante. É ou não é do Brasil para o munmdo?! Boa semana pra todos...


Eu peço perdão por não saber quem é o autor da foto.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

10ª Semana de Museus

"A quebra de fronteiras para acesso a informações e a instantâneidade com que nos chegam notícias de todas as partes do mundo nos coloca em contato com realidades diversas sem que deixemos nossa comunidade... Por outro lado, também é crescente o sentimento de valorização das identidades locais. Por meio de uma memória social é possível entender coletivamente experiências vivídas por determinado grupo... reconhecendo memórias que antes ficavam à margem da história oficial.
Com tantas transformações sociais, o primeiro desafio dos museus é refletir sobre seu papel nesse mundo em movimento.
Participe! Inspire-se, lance os desafios e seja também por eles desafiado!"

Vale por todo o País! Mais info: Instituto Brasileiro de Museus - Ibram
www.museus.gov.br

terça-feira, 15 de maio de 2012

Dando voltas...

As voltas que o mundo dá... ou foi um filme que eu vi? Eu vi 50/50 de Jonathan Levine que foi baseado em uma história real. Deu para sorir e chorar, exatamente como na vida do lado de cá da telinha. Doenças fatais costumam dar bons filmes desde Love Story de Arthur Hiller (1970). Já na vida real, este tipo de "coisa" só dá raiva. Veja o caso de Christiane Riera. E agora? Na FOLHA, Cao Hamburger escreveu: "E se não tivesse nos deixado tão jovem, o que teria inventado em teatro, literatura, cinema, televisão, como professora, ou qualquer outra área que escolhesse?" Life is tuqo que você quiser, menos fair... Puro acaso.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Pense, reflita...

Tem alguma coisa errada. Um cheiro de podre no ar... Se você está acostumado com o discurso oficial herdado dos governos Lula (2) e FHC (2), pode ser que acredita na Dona Dilma quando ela diz que há vilões à solta e que os Bancos privados são um dos principais. Será?! Mas não foi no governos do Sr Luis Inácio (um e dois) que os bancos lucraram como nunca na história desse país? Estranho. Enquanto isso nunca se vendeu tão pouco. Basta ver os estoques de imóveis e de carros, sem falar nas lojas em geral. E, como tudo tem uma primeira vez, a Dona Dilma muniu-se de coragem e agrediu a poupança do pobre. Lasque-se! Eu, que ando na rua, procuro trabalhar e contribuir com o bem estar dos meus e o cofre do país, vejo cada vez mais cenas como esta que retratei em plena Avenida Paulista... Parece que o discurso oficial anda desafinado.
Enquanto isso, eu queria ver um político fazer esta propaganda e não uma cartomante:


e a Ferrari do Thor tinha placas frias... O que será que Odin tem a dizer sobre isso?

domingo, 6 de maio de 2012

Circo (s)

Morar em cidade pequena tem suas vantagens. Uma delas é que sempre tem um circo em algum terreno antes baldio. Tem palhaço, tem mágico, tem malabarista e muita pipoca e algodão doce. Ontem aproveitei e fui ao circo mais uma vez. Muito bom voltar a ser criança, estar cercado delas, todas rindo felizes. É mágico... 
Pena que haja outros circos por ai. Desses que não deveria haver. Tipo o circo do cachoeira, o circo da RRT parida pela resolução XXI e coisas desse tipo. Espetáculos desnecessários e deprimentes. Fiquem com as imagens do Circo de verdade...





sábado, 5 de maio de 2012

A semana...

A semana foi movimentada. Teve chuva, frio e calor. Tinoco morreu e a Lua vai se "amostrar" em toda a sua plenitude neste domingo da primeira final do Paulistão. Não adianta o Juca dizer que não é... Mas, na verdade, o que me frustrou mesmo foi saber que uma tiragem da Cia. das Letras é de apenas quatro mil exemplares. Trinta anos atrás, ou melhor, quarenta anos atrás, já se reclamava que uma tiragem no Brasil não passava de três mil exemplares. Como é que este mercado não cresceu? Ao mesmo tempo, a mesma Cia. das Letras, quando visa a classe "C", edita sete mil livros por tiragem. Isso vem de encontro às minhas observações subterrâneas (que só ocorrem quando ando de subway) nas quais vejo grande quantidade de leitores explícitos. Já vi até Kindle e cada vez mais tablets em ação. Parece cré com Lé, mas não é. Vou fazer uma pergunta: quando é que os editores de jornal deste país varonil vão entender que o formato da bagaça é péssimo? Ao mesmo tempo encartam "Folhinhas" e outros cadernos esportivos em formato agradável, portável e legível. Tente ler um jornal no ônibus ou no metrô. Além de ter de dobrar a página para poder ler, tem de, invariávelmente, dar cotoveladas nos vizinhos para poder ler a página seguinte. Desde que fui a Buenos Aires eu sei disso. Aliás, qualquer um que pega o caderno de esportes da FOLHA ou o tal do METRO, que distribui no semáforo, sabe disso... E ai?! Vamo melhorá?? Ou vamo ficar nessa M... de edições de apenas quatro mil exemplares, de continuar tributando papel de revista, de não saber quantos cd's são realmente vendidos, de editar Leis e decretos que "dão outras providências"? Heim??!

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Mora na rua?

Um dos maiores problemas desta nossa Metrópole é a quantidade de gente que não tem condições dignas de moradia. As eleições para Prefeito e Vereadores estão prestes a terem suas campanhas iniciadas. Preste atenção no discurso dos candidatos e pense bem na hora de escolher os seus. Aliás, se puder, questione-os sobre estes e outros problemas em vez de apenas ouvir as promessas de sempre.