PINTEREST

domingo, 27 de março de 2011

Dia Mundial do Teatro

Hoje é o dia Mundial do teatro. Para não deixar a data passar em branco, fomos ver a última apresentação de Cândida de Bernard Shaw, com Bia Seidl e Sérgio Mastropasqua além de grande elenco. A peça, que esteve mais de dois anos em cartaz, retrata as faces do universo masculino manipuladas pela mulher. O fraco de alma, realizado profissionalmente e o poeta de alma forte não tão bem sucedido, disputando as atenções e o amor de uma mesma mulher. Mulher que manipula ambos, na medida em que pretende o bem estar proporcionado por um e o frescor da juventude oferecido pelo outro. Ninguém melhor do que Bernard Shaw, com sua inteligência e perspicácia, para se comemorar uma data como esta.



Data que, aliás, teve o centésimo gol teatral de Rogério (algo que já vinha no nome) e a devolução da liderança isolada do campeonato Paulista ao seu verdadeiro detentor: Luis Felipe! Três vivas!


Depois eu fui tomar um "Five Dolar Shake" do Pulp Fiction e acabei pagando six no pior atendimento de que se tem notícia. Nunca mais. Essa Dona Deôla está decaindo a cada dia mais. Ou esses atendentes passam por reciclagem, aprendem a servir direito ou esse negócio vai perder freguês. Já perdeu o padrão de qualidade no produto e, agora, resolveu atender mal... tsc tsc tsc Vaja você: uma hora o milk shake vem num tipo e tamanho de copo, outra hora em outro. Um dia a pizza é de um jeito, noutro dia de outro. Sanduiches e salgados... nem vou falar. Aprendam com a padaria da Haddock Lobo e Estados Unidos ou com o Suplicy Café. Não custa nada atender bem.

Morcheeba

Enquanto alguns se espremiam para ver Iron Maiden no Morumbi, outros se acotovelavam para ouvir Morcheeba no HSBC Brasil. Logo ali ao lado tinha uma outra tribo para ver Roupa Nova. Não, não era desfile de moda, era aquele conjunto... Se bem que a julgar pelo público que chegava ao Credicard Hall... Nada contra, mas é que eu entrei no estacionamento da casa errada e demorei um bocado para entender o que se passava. Só sei que o show do Morcheeba foi absoluto e eletrizante. Banda cativante que fez questão de tocar o hit "São PAulo" composto na última passagem pela urbe. Valeu cada centavo!


PS: nesta noite a "Hora do Planeta" bateu recorde de participação mundo afora.

PS2: nesse meio tempo os americanos continuam jogando bombas na cabeça de alguém. Ô povinho fdp... E os puxa-sacos do Velho Continente sempre colaborando. Raça sem futuro!