PINTEREST

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

domingo, 25 de setembro de 2011

Mapas invisíveis

Exposição que rola na Caixa Cultural lá da Av. Paulista, na qual Cinthia Marcelle & Marilá Dardot, Estela Sokol, Fabiano Gonper, Laerte Ramos, Lenora de Barros, Lucia Koch, Marcelo Moscheta, Paulo Nenflídio e Tatiana Blass expõem sua pesquisa a partir do tema dado. 
A pedra fundamental foi o livro "Cidades Invisíveis" de Ítalo Calvino em que o viajante Marco Polo descreve para o Imperador Kublai Kahn os lugares por onde passou. Depois de narrar cidades muito distintas, Marco Polo chega à conclusão que esteve falando o tempo todo de Veneza. 
Segundo a curadora da mostra, Daniela Name, "olhar para uma Cidade é viver as experiências que ela pode oferecer. São Paulo foi fundada por homens em movimento e que esta característica ainda é visível por sermos uma cidade móvel, metrópole nômade sujeita a aparecimentos e desaparecimentos que acontecem em um ritmo cada vez mais vertiginoso".
Ainda segundo Daniela, "vivencia-se cada vez mais a cidade através de imagens. O trânsito a violência e o medo apartam cada vez mais os habitantes diminuindo os trajetos e a experiência, tornando-a quase nula". Fala-se até de um sono sem sonhos, por conta das fronteiras entre as diversas zonas urbanas que nem todos frequantam.
Estes artistas criaram seus mapas invisíveis, experimentaram a cidade e mostram nesta exposição que o resultado está perto da reinvenção que cada um pode fazer da cidade para sí. Uma cidade para cada olhar.

Uma das experiências propõe ao público que tome um ônibus aleatóriamente (o terceiro que passar) e que se permaneça no coletivo por 15 paradas, após as quais se deve explorar o entorno e, depois, divulgar a experiência para ser compartilhada pelos demais frequentadores da exposição.


E eu pergunto: você consegue descrever a sua rua, ou o seu trajeto para o trabalho, a escola, o culto? Assim, agora? Consegue, com detalhes? Cores? Árvores? Pense nisso.

sábado, 24 de setembro de 2011

Paulista


Fazia tempo que não andava pela Av. Paulista. Esta tal de Rinomania me fez fazer isso. Comecei meu dia, às 9:00 em ponto, na Livraria Cultura para conseguir meus ingressos da Conferência com Ricardo Piglia (que será na segunda à noite). De lá, após um bom café, fui caminhando pela avenida até o Museu (MASP) fotografando rinocerontes e prédios. Acabei dentro do Museu vendo Modigliani, Van Gogh, Volpi, Bosh, Renoir e companhia. Almocei no restaurante de lá e fui caminhar mais. No vão do MASP estão fazendo uma favela. Favela artística, cujo propósito não entendi. Tem algo a ver com a exposição do subsolo, eu acho. Minha fome era maior, eu sei.






quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Dia Mundial sem carro...

Você consegue?

dia da árvore

Não tenho muito o que dizer... quase que só posso orar. Olhe, estamos às voltas com a aprovação do novo código de desmatamento, desculpem, florestal. Tem gente protestando, ralhando e, mesmo assim, o rame-rame da máquina burocrática está triturando nossas árvores. Aí, a gente anda pelas cidades e vê cada vez menos árvores. Umas pois a tempestade arrancou, outras o cupim minou ou suas folhas "sujaram" a calçada e, todas, acabam substituídas por um pouco de cimento. Uma tristeza. Todos só reclamam e nunca agradecem a sobra que os acolhe, a beleza que nos alimenta. Vou deixar aqui a minha prece em forma de foto. Um abraço.


aproveite e clique AQUI para uma visita ao DIA DA ÁRVORE

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

algumas perguntas...

O que está acontecendo no sistema prisional do Pará? 
Eu não entendo certas coisas. Leio, penso e releio. Continuo sem entender e olhe que não me considero analfabeto funcional. Longe disso, aliás. É que certos comportamentos são inconcebíveis, principalmente se levados a cabo por pessoas supostamente capazes de exercer um cargo público.

-Ah, mas o Leão não deveria ter jantado o turista.
-Pois é, mas o turista não deveria ter sido jogado na jaula... certo?
-Quem jogou? Quem ficou do lado de fora olhando a carnificina?
-Mas o assunto não é zoológico!
-Mas é como se fosse...

Leia Aqui

Outra: o que aconteceu com o caso da jovem que ficou à mercê de detentos em Abaetetuba, também no Pará? Alguém foi punido? E a moça, recebeu alguma indenização? Recebeu atendimento e acompanhamento médico?


domingo, 18 de setembro de 2011

Olhos Azuis

Um filme excelente no qual só tem atuação de primeira. "Olhos Azuis" expõe as visceras do aeroporto JKF. "Olhos Azuis" mostra crua e nítidamente como somos tratados ao pisar solo norte-americano. Não passamos de "piece of shit" ou "cucarachas" (como queiram). "Olhos Azuis" é o trabalho do paraibano José Joffily que traz para tona o comportamento arrogante e contraditório do cidadão dos EUA que possui um pouco de poder e muito preconceito. Bem dirigido, o filme mostra passado e presente em paralelo, com atuações que nos envolvem de forma crescente com o passar da fita. Muito habilmente, o roteiro expõe conflitos e filosofias correntes, pedaços do inconsciente coletivo tanto dos americanos como daqueles chamados "aliens". O filme conta com elenco brasileiro, americano e argentino com cenas externas rodadas apenas em Pernambuco. Há uma postura política clara por parte dos autores do roteiro e, podemos dizer, que finalmente alguém botou o dedo na ferida. Por outro lado, lá no norte eles são assim, sempre serão e não creio que um ou duzentos filmes possam mudar alguma coisa. Afinal, eles é que decidem como querem tratar os outros e quem pode ou não pisar aquele solo.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

"Crônica de um verão"

"Paris, verão de 1960. O cineasta e etnólogo Jean Rouch, acompanhado do sociólogo Edgar Morin, leva a câmera às ruas para colher respostas à seguinte pergunta: "Você é feliz?" O que tem início com uma simples enquete logo se transforma num ambicioso e imprevisível retrato de um grupo heterogêneo de estudantes, operários e imigrantes que expôem seu cotidiano, suas dúvidas e angústias, suas concepções sobre a política e a vida. Em seguida, os realizadores registram as reações deles à projeção do material filmado, momento em que as fronteiras entre verdade e ficção são postas em crise. Unindo o método de Flaherty às teorias de Vertov, este filme-ensaio-manifesto inaugura o cinema-verdade. Com equipamentos leves e portáteis (tecnologia que o próprio Rouch ajudou a desenvolver), os cineastas promovem uma transformação radical nas práticas cinematográficas da época. O cinema nunca mais foi o mesmo."
Este filme ganhou o Prêmio da Crítica em Cannes 1961e depois que você assiste esta magnífica produção - que vem em uma caixa muito bem elaborada com o filme e um encarte de textos - apresentada pela Coleção Videofilmes (n.º 16), você se pergunta: e o que tenho feito da minha vida?

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Viu no que deu, Faustão?

Foi só o brasileiro ter sido apresentado a um veículo completo e muito mais barato, que a ANFAVEA botou as manguinhas de fora, abraçou a "rapeize" do PT e foram passear no bosque das obscuridades e do protecionismo. Ai, ai... e o imposto aumentou em 30 pontos, tipo de sete para trinta e sete. Uma graça. Com este protecionismo idiota a industria nacional deita e rola, além de continuar a fornecer porcaria. Durante quantos anos precisamos engolir lixo com nome de computador? Para quê? Para fomentar a indústria nacional. Durante quantos anos nossos carros saíram de fábrica sem os mínimos equipamentos de segurança? Para quê? Para que a industria instalada por aqui (que de nacional não tem nada) se fartasse de lucros. Agora, vem esta mesma gente, disfarçada de cordeiro, dar uma de santo, afirmando proteger empregos e coisa e tal. Venderam o peixe direitinho e o PT comprou. A FIESP não é flor que se cheire, nem nunca foi. Seus membros pensam da manhã até à noite em como aumentar lucros, engavetar iniciativas populares, postergar melhorias e esticar ao máximo o uso de tecnologias e equipamentos ultrapassados. Tudo com juros menores e salários idem. É claro que uma vez que o pessoal do Governo escutou o canto da sereia de "mais imposto", entrou em polvorosa. Aumentar imposto é tudo que eles querem. Quanto mais a gente trabalha, mais vagabundo passa a mão. Viu Faustão, no que deu fazer propaganda de carro mais barato? Viu?

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O mundo seria tão melhor...

Se todos tivessem consciência ecológica e se os empresários investissem um pouco do seu dinheiro nas vantagens de ser "verde". A gente percebe que as grandes empresas têm posturas ambientalistas apenas quando isto lhes traz alguma vantagem mercadológica. O exemplo típico é o tal do selo verde que auxilia nas exportações, abre mercados e permite que se pratiquem preços melhores. Outra conveniência é o rastreamento, a garantia de origem e de manuseio para o gado e outras criações, por exemplo. Os chamados "orgânicos" já perceberam isso há mais tempo e, por conta disso, praticam preços até certo ponto extorsivos. Mas o verdadeiro motivo deste "post" foi um colante que fotografei em um grande shopping da cidade de Campinas. Eles têm uma postura que vem desde o projeto e, entre outras práticas ambientais, aproveitam na ordem de 75% da água utilizada. O complexo de lojas, inaugurado em 2002, possui uma estação de tratamento capaz de atender uma pequena cidade de até 15 mil habitantes. Esse processo possibilita a reutilização de dois terços do volume diário de água na rega de plantas, nos vasos sanitários, na lavagem dos pisos do estacionamento e no ar condicionado. O restante é lançado no Ribeirão das Pedras com mais de 95% de eficiência de tratamento. É óbvio que isto diminui os custos. Não precisa dizer mais nada.


domingo, 11 de setembro de 2011

Ó dúvida cruel...

Sei não... para falar a verdade não me alinho com todos aqueles que acham bonitinho velar os mortos do ataque perpetrado em 11 de setembro de 2001. Eu estava na frente de um monitor da Bloomberg e recebi a notícia fresca. Liguei na Globonews e vi o segundo avião como quem assiste a final do Pré-Olímpico de Basquete. Não me diz nada. Não sou fã. É ficção? É realidade? É mistura destas duas coisas, como os artigos de jornal da memória, ressoando durante a projeção de um filme? Não sei dizer. Sei que Mickey começou jogando Napalm nas aldeias e antes dele os brinquedos explosivos em Dresden. Quem viu Charlies War? Quem conheceu alguém nas Torres ou mesmo em Tobruk ou Budapest? Só sei que estou cansado do colonialismo cultural. Cansado de ter de achar o sofrimento deles mais bacana do que o nosso. Cansado de achar o lixo deles mais bonito do que o nosso. Fede igual, isso eu sei.

Imagem: Banksy

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Manito se foi...

Esse cara revolucionou o sax brasileiro. Fez parte da formação de bandas fantásticas e abrilhantou discos antológicos por ai afora. Tocou com os grandes e foi um deles. Manito (Antônio Rosas Seixas) faleceu nesta sexta (09/09/2011) e deixou a nação roqueira de luto. Fez parte de "Os Incríveis" nos anos 60 e depois arrebentou a cena participando de "O Som Nosso de Cada dia", uma senhora Banda cujo disco "Snegs"  (1974) entrou para a História do Rock tupiniquim de forma brilhante. Manito participou do disco "Fruto Proibido" (1975) da Rita Lee e também montou uma banda incrível chamada "Saxomania". Bicho, não precisa dizer mais nada... Ele vinha driblando um câncer desde 2006 e parece que desta vez Manito foi lá pra Luz. Sim, proquê um cara que nem ele... só pode estar na Luz. Em 2010 ainda se apresentou no SESC com o pessoal do Som Nosso e você pode ir lá no Iutube e assistir à vontade. Eu ia lotar isso aqui de video... não consegui escolher um. É difícil... Desejo Paz para todos...

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Regularização fundiária

Assunto sério. Muita gente compra terreno e até casa e apartamento sem que a documentação esteja em ordem. Sabe aquela coisa do contrato, quase um papel de pão, que a pessoa assina e guarda na gaveta? Pois meio país é desse jeito. Agora vem o Governo e acena com crédito e programas tipo "Minha Casa, Minha vida" e o cidadão se dana atrás de documento que não tem ou não se consegue fácilmente. Às vezes leva meses e até anos para se ter a "coisa" toda certa. 
Pois bem, não é para me gabar nem fazer propaganda, mas minha dupla formação me faz um espectador privilegiado e, ao mesmo tempo, um ator muito capacitado nestas questões. Procuro fazer cursos, participar de Seminários e Congressos e posso dizer que não estão tratando adequadamente o problema. Pessoas simples, e muitas vezes sem recursos, deixam a documentação "para depois" e não fazem idéia de que postergar esta etapa da aquisição do imóvel é certamente mais caro do que enfrentar de vez e na hora. É como comprar um carro e não fazer a transferência, talvez até pior. Posso garantir que o barato sai caro. Portanto, consulte sempre um advogado da sua confiança antes de fazer qualquer negócio. Se não conhece um, procure a OAB da sua cidade para uma orientação adequada e segura de como proceder.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Independência

Então... mais um sete de setembro. Bacana o sete de setembro. Desde criança a gente aprende a gostar deste feriado que nos acorda, anima e que possui uma alegria primaveril embutida. Afinal, faltam poucos dias para a primavera. A gente enche a cidade de bandeiras coloridas e as flores já estão por toda parte. Nossa Bandeira é linda, fala verdade...
Outro dia terminei de ler 1822 (de Laurentino Gomes) e fiquei pensando sobre aquelas viagens quase intermináveis para se chegar do Rio a São Paulo. Tipo, vou ali do lado, visitar uma Província e já volto. Um mês. E descobriu-se que o que move o mundo é a genitália feminina. Tá mais para 06/09 do que 07/09 mas, enfim: Viva a Marquesa de Santos.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Ah, pois...

Este mundo anda muito curioso. Na verdade, meu gato é que é curioso. Não a toa dizem que a curiosidade matou o gato... O povo não costuma dizer bobagem, só de vez em quando. Pensando bem, é de quando em vez, pois senão não teríamos tantos idiotas em postos de comando e muito menos no Congresso Nacional. Se procurar bem vão até achar analfabeto por lá. Nas Câmaras Municipais não precisa nem procurar. Mas não era essa a questão. A questão é que algum maluco achou por bem perguntar por ai quais seriam as nacionalidades mais "legais". Deu Brasil em segundo lugar. Estamos realmente na moda ou perguntaram por aqui mesmo. Juram que não, que foi abrangente e coisa e tal. Mas, como dizia um professor meu, este tipo de pesquisa não tem representatividade nenhuma. Era melhor pegar o telefone e ligar para os amigos. 
Já um outro maluco achou que podia usar o Cristo para fazer propaganda de infidelidade conjugal. Tipo assim: "Tenha um caso agora. Arrependa-se depois". Fica uma dúvida: foi mau gosto ou burrice? Agrediu a Igreja, os Católicos estão em polvorosa? Os Cristãos estão bravos e a Arquidiocese do Rio está espumando. Tenho certeza que quem bolou isso fez faculdade. Pois vai ser efetivo assim na casa do chapéu! Imagine, com um único outdoor a pessoa atingiu milhões de pessoas através da internet e da TV que resolveram noticiar a polêmica. É claro que os padres ficaram "putos", querem entrar na Justiça e coisa e tal. Cairam que nem patos, isso sim. É como colocar seu nome na camisa do jogador que fez o gol da final. Vai sair na primeira página de todos os jornais, que certamente custaria uma fortuna muitas vezes superior ao que se pagou para a tal camisa vir com o escrito nela. Certo? O site vai bombar: é que nem baile, homens pagam e mulheres entram na faixa... Vou rir muito se depois disso os cadastrados não triplicarem. Afinal somos a nacionalidade mais bacana depois dos americanos. E olhe que para ganhar eles precisaram ter Coca-cola, Hollywood, Disneylândia, Playboy, Dolar, Miami, NY, Obama, Marshmellow, BigMac, IPad, John Wayne e Marylin, além de jogar bomba na cabeça de meio planeta só para serem respeitados. E nós? Uma meia duzia de bundas, havaianas, Lula, Praias, Carnaval, Caipirinha, Minério de Ferro, brazilian wax, Pelé e ... café? D. Pedro é que não foi.

PS: eu ia colocar aqui a foto do outdoor polêmico, mas ai eu só ia repercutir a propaganda do site sem "levar " o meu... kkkkkkkk 
Então coloquei a foto do sujeito que está "multando" um pato na praia, de autoria do colega de "Olhares" Antônio L. Teixeira (Teixeiraboc). E não me pergunte por quê. Senão eu vou explicar tintin por tintin, desde a construção do primeiro Castelo dos Templários...

domingo, 4 de setembro de 2011

Interesses saem das sombras...

Então... a rapaziada apareceu do nada e veio falar de tramóia da revista. (veja nos comentários do Post anterior) Eu fui dar uma olhada no blog dos caras que me acusam de "receber" para publicar. E o que descubro? Descubro que eles também são contra a revista e falam de tramóias. Eu gostaria de saber como é que aquelas pessoas fizeram para sair na foto em pleno corredor do Hotel? Como foi? Foi foto ilegal? Pode ser... Mas as pessoas estavam lá ou não? Se não estivessem, não teriam saído na foto... certo?! Aonde está a tramóia? Interessante que o blog que me acusa publicou o seguinte desenho:

 Portanto, se fizeram foto ilegal, devem ser processados por invasão (talvez) ou outro motivo qualquer. Algumas coisas são públicas e notórias e não adianta tapar o sol com peneira. Uma destas coisas é o desespero do PT de se perpetuar no poder. De aparelhar a máquina estatal com os seus quadros e de cobrar dízimo de seus filiados. Outra dessas coisas públicas e notórias é que este tipo de partido não gosta de imprensa livre, não gosta de opinião divergente. Pouco importa a qualidade do jornaleco e da revista, muito menos a sua coloração. Importa que deve poder circular e pronto. Deve poder dar a sua opinião. Senão os tais jornais da "causa operária", Libelú e outras tendências não existiriam... Ponto.

PS: como eu dirijo um espaço democrático, eu publiquei o comentário daquelas pessoas que me acusam de "receber". Poderia não ter nem publicado. Mas eu penso que a Constituição Federal está em vigor...

PS2: (escrito em 6/9)

"Dilma rejeita regulação da Imprensa"

http://t.co/9qmxJZC



sábado, 3 de setembro de 2011

Cuidado Crianças: Lobo Mau na espreita!

Alguns PeTistas se acham onipotentes e estão cada vez mais mal intensionados em relação ao Brasil e seus habitantes. Chegou a hora de dizer basta! No último Congresso do PT se apresentou claramente o que chamam de "Marco Regulatório" da Imprensa. Está claro que os métodos são os mais nazistas possíveis.  Aos poucos, igual disse Hitler, "derrotarão a democracia através da democracia". Isso está ficando cada vez mais cristalino, uma vez que o poder petista não aceita divergências nem denuncias que afetem seus caciques, seus aliados ou dirigentes. Para os amigos tudo, para os inimigos a Lei. Não pode falar mal do Zé, pois isso é imprensa marrom. Os métodos desta turba xiíta vão tão pra esquerda que pegam a direita pelas costas. O Zè, por exemplo, já acha que o Congresso não deveria ter o poder de cassar. Será? Com estas idéias bacanas, uma vez no poder, eles vão destruir o Brasil. O Congresso será povoado por idiotas, por massa de manobra e ladrões. E o Governo ficará à mercê dos companheiros de armas e ideologia. A Democracia é o único regime saudável e aceitável. A Liberdade de expressão é a única forma de se garantir isso e para tanto a liberdade de opinião, crença política, religiosa e filosófica, precisa ser  mantida. Não podemos aceitar patrulha. Não podemos aceitar paternalismo. Nenhum dirigente partidário deve poder dizer, muito menos determinar, o que é ou não melhor para os demais brasileiros. Aliás, pensando bem, o lugar de pessoas que mentem, roubam e dissimulam não é no poder, seja ele qual for. Todo cuidado é pouco!

Diga não à campanha difamatória que os petistas estão fazendo contra a revista Veja:

A liberdade de expressão é fundamental e garantida pela Constituição Federal. CUIDADO!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Olhares e Instagram - uma digressão


Ou deveria dizer flash-back de reflexão... sei lá. Só sei que sou usuário de ambos. Ah, para quem não sabe, vou explicar um pouco mais. (Estou com ar "professoral", digamos assim, portanto, preste atenção!)
"Olhares" é um site de fotografia baseado em Portugal, quase que exclusivamente lusófono e com fotografias de muita qualidade. Quando você se inscreve (gratuitamente) logo descobre que se for assinante pago poderá ter algumas vantagens. É barato e você acaba pagando, para descobrir rapidamente que as tais vantagens não lhe dizem respeito. Suas fotos não iraõ para a galeria pública (GP) que é uma espécie de "sentar ao lado do Senhor". Muito bem. Não vou aqui entrar no mérito de a foto ser escolhida ou não, de que as votações para "GP" são secretas e coisa e tal... Me recuso. O que vale é que se trata de uma escola de fotografia. Basta ser observador atento. Você além de aprender, conhece o mundo. Um turista.
No "Instagram", que é um programa para IPhone, também de fotografia e totalmente gratuito, você também aprende muito, também viaja o mundo, só que é mais abrangente, pois o que une a comunidade é o telefone da maçã e não a lingua. E você acaba conhecendo o mundo como os moradores o vêm. Um local.
Esta, a meu ver a grande diferença: o olhar de um turista é sempre muito diferente do olhar de um morador. 


PS: Pura coincidência, mas não podia deixar de registrar aqui. Uma que enriquece a qualidade da informação que você consegue aqui e outra que texto bem escrito merece divulgação. A Cora Ronai do blog internETC escreveu um ótimo texto sobre este assunto.
Leiam: http://cronai.wordpress.com/2011/09/03/o-instagram-e-a-orkutizacao/

PS2: a primeira foto foi publicada no Olhares (Recife vista do avião) e a segunda no Instagram (Estação de Mairinque). Ambas minhas, é claro.
PS3: para saber mais, basta clicar nos nomes...