PINTEREST

domingo, 31 de julho de 2011

Festas de Agosto

Começaram as Festas de Agosto na Pacata Vila dos Tempos do Império. Hoje foi o desfile dos carros de lenha, da Banda, dos violeiros e da história de São Roque, nosso Santo padroeiro. Pois vai lá... muito bom. Eu gosto, mas 15 dias de festa é um exagêro de matar a pau. Colocam a barraca do padre vender pastel no meio da rua e durante uma quinzena o trânsito embaça. É dose pra leão. Só vendem porcaria, só tem show de segunda. Um horror. Mas o desfile é bonito. A Procissão no encerramento, aniversário da cidade (16/08), é grandiosa e bela, com as ruas ornadas com desenhos e flores. E assim prossegue a vida na Pacata Vila.









Só tem um detalhe: o povo podia aprender a não jogar lixo no chão. Coisa feia. Tinha Gari pra todo lado, tinha lixeira e, mesmo assim, o saldo neste quesito (educação e civismo) é bastante negativo.

 No primeiro caso, o cidadão tinha acabado com seu copo de vinho e o deixou cair, como que por "descuido". No segundo, depois de tomar toda a cerveja, o cavaleiro simplesmente arremessou a lata ao chão. Sem nem ligar para o fato de ser observado por muitos... triste. Muito triste.

sábado, 30 de julho de 2011

Amenidades ou melhor MP, futebol e detalhes...

Pois é... só se fala nisso: Futebol. É Estádio prá lá, Estádio prá cá. Vai inaugurar ou não? Fica pronto? Tem licença? E o MP se esmera em responder as perguntas. Autorizaram a demolição da Marquise do Maracanã que estava tombada pelo patrimônio Histórico: o MP tá lá pra saber como foi mesmo que isso aconteceu. Mas já aconteceu... Autorizaram as obras da Arena do Palestra. OK, mas lá está o MP tentando embargar depois que já destruiram tudo e o local virou um grande canteiro. Meio tarde estas intervenções ou não? Tipo sem timing. Não gosto disso. Parece até coisa de desocupado e sabemos que o MP é tudo, menos desocupado.
E aconteceram os sorteios dos grupos para a disputa das vagas de 2014 da Copa do Brasil. Até que foi "bunitinho", não fosse a roupa horrível da Ivete, o absurdo de ouvir Sinatra, de chamarem Ronaldo de Romário, de Romário não ter sido chamado, de Ivan Lins cantar Ana Carolina. Credo! Quem decidiu estas coisas? Uau! Que porcaria. 
Estive esta semana no aeroporto de Natal e as obras para a Copa estão em ritmo desacelerado, digamos assim. Bati até uma foto:
E, finalmente, vi uma intervenção do MP digna de nota. Foi no Jornal Tribuna do Norte, lá no finzinho do jornal, sem mais nem menos e sem a devida explicação. Ta certo que eu não sou leitor assiduo, portanto , não sei... e pronto: fiquei sem saber. Viu? A intervenção do MP? Entendeu? Entendi foi é Nada...

quinta-feira, 28 de julho de 2011

de Pau dos Ferros (RN) a Iracema (CE)

Não tenho palavras para expressar a beleza desta viagem. Uma senhora viagem, no tempo, na poesia das imagens. Foi surreal também, mas esta parte eu deixo para depois. Apreciem:
 
 
 
 
 
 
 
 
 


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Dia do Escritor

No Brasil? Sim... graças à Jorge Amado e João Peregrino Jr. Coisas da década de sessenta, como muitas outras, outras tantas e tantas outras. Costumo dizer que, se pretende ouvir sobre a década de sessenta, é melhor "se sentar", pois em pé cansa. (ou seria sessentar?) Sessentemos então... 
A questão é deveras interessante. Dizem que nós brasileiros lemos pouco, publicamos menos ainda e, se bobear, nem sabemos do que se trata. Claro... quando algum professor bem intencionado e mal pago, resolve trazer literatura para a sala de aula, pobre alma, manda ler "Clarissa" de Érico Veríssimo ou, vá lá, algo de Machado. Meu amigo: isso não se faz. Com tanta coisa mais palatável solta por ai... não faz sentido afastar o jovem leitor com vocabulário e construções literárias de "alto" nível. Meu Deus! Não me interprete mal: não sou contra Machado ou Érico (quem sou eu?), mas é que se você quer viciar alguém na doce arte de se fazer acompanhar por um bom livro... até me arrepiei... tem de ser cativante, alegre e bater a campainha do prazer. O jovem tem de querer a próxima página como quem precisa de oxigênio para viver. 
O jovem lê muito, páginas e páginas diáriamente. Ou você pensa que na internet não precisa saber ler? E tem mais, a maioria acaba que aprende outra lingua por conta disso. O problema é a qualidade. Portanto, senhores professores... por favor, por obrigação, por caridade até... vamos lá: hoje tem aula de leitura!
Dia do Escritor, e neste dia, Deus me deu um presente: pude ouvir, de viva voz, algumas das histórias do escritor Franklin Jorge (www.osantoficio.com)  e que, passada a meia-noite, me deu um papel com seus endereços eletrônicos. Na vida, estas oportunidades são poucas. Obrigado Franklin. Obrigado Socorrinha, por ter-nos apresentado.


PS: na imagem, uma das maravilhas da terra potiguar, o Pico do Cabugi. Porquê? Só por ser dia do escritor, preferes a óbvia imagem de um livro? Você preferia mesmo ver um livro? Oras... compre um!

domingo, 24 de julho de 2011

Etapas

Estivemos na festa do amigo que acaba de se formar Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Campina Grande (PB), Campus de Souza. Mais uma vitória na vida deste valoroso Glauber José de Oliveira Ferreira. O rapaz vai longe e eu fiz questão de estar presente neste momento de mais um início de caminhada que ele desenha para o seu futuro. Parabéns!
Início de caminhada também, para a pequena Maria Isabel Ferreira Sena, batizada neste final de semana. Momento de muita honra para nós, por sermos padrinhos.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Será mesmo? Dilma viu?

Tenho lido notícas sobre pessoas sendo demitidas  ou afastadas de seus postos no Ministério, no DNIT... um mistério. Mini mistério... Ministério. A mente vagueia, enquanto o corpo cansado dirige pela BR 405 entre Mossoró e Pau dos Ferros.
 Será mesmo?
Dilma viu?
Uma parada, uma foto e a mente volta a divagar...
 
 de vagar...
lenta, a mente...

terça-feira, 19 de julho de 2011

3 filmes, um livro...

Então... fiquei sozinho. A esposa foi visitar a mãe que mora longe. E mais um monte de coisa. Portanto... eu vi um monte de filme. Apesar de estar lendo Umberto Eco e seu "Pêndulo de Foucault", filmes sempre são bem vindos. 
Dentre eles, estes três são excepcionais: Meu Malvado Favorito (Despicable Me), uma animação prá lá de "adulta" e especialmente bem feita. Jogos do Poder (Charlie Wilson's War) com Julia Roberts e Tom Hanks (dispensam apresentação) e Crime de Mestre (Fracture) com Anthony Hopkins. 
Gente, animação é animação (Daanh!) e é só pra quem gosta. Mas como muitos filmes do gênero, não é pra criança. A criança vai ver, vai rir e pronto. 
É filme de e para adultos sensíveis, portanto, novamente, não é pra qualquer um. Parece um comentário metido, de cima para baixo, superior e cheio de soberba, mas não é. Assista o filme e depois escreva comentando...
Já Jogos do Poder é filme cabeça com explosões, alguma ação e peitos de fora (pouco). Só que é o seguinte: é filme para pessoas antenadas com os acontecimentos políticos, ou seja, leitores de jornal diário. Trata-se de História  dos anos oitenta. Tipo pré-muro-de-Berlim. Muita atenção nos diálogos. De resto, destaco a frase final: "we f... the end game". Algo do tipo da estorinha do Mestre Zen. O garoto ganha um cavalo e todos acham legal, e vem o Mestre e diz :"Vamos ver"... Passa o tempo, o garoto cai do cavalo e todos blasfemam: o Mestre diz "Vamos ver...". Vem a guerra e todos os meninos da aldeia são convocados menos o da perna quebrada. Entre prantos os pais se alegram e o Mestre diz: "Vamos ver...". Os americanos manobraram para os soviéticos perderem no Afganistão e depois não cuidaram para que aquele país destroçado tivesse atenção e, sobretudo, escolas (Who cares?) e o resultado veio via aérea em setembro de 2001. Não é, Mestre zen?!
Agora, sinceramente, quer filme maravilhoso? Com diálogos especialmente bem elaborados e um ator fora do normal? Crime de Mestre! Hopkins no seu melhor, sem dúvida... e a trama fantástica. Tem de gostar de filme de advogado (como se diz por ai) e tem de entender um pouco o common Law, mas é diversão garantida. Qualquer um que viu Law & order vai entender. Ah, o bem vence o mal, quase sempre...

domingo, 17 de julho de 2011

Garra e superação: Parabéns Japão!

É isso ai: quem pensa que o Brasil é o país do futebol, pode começar a reciclar seus conceitos, porquê futebol é jogo de equipe e não de ajuntamento ou amontoado de astros, estrelas e indivíduos soberbos. Os primeiros podemos chamar de constelação e o segundo grupo de idiotas. O futebol feminino do Brasil mostrou que o jogo só termina quando acaba. Parece piada né? Pois não é. Achar que o jogo já estava ganho quando ainda faltavam dois ou três minutos, foi burrice. E pagamos caro por isso. Já as japonesas mostraram que equipe, foco e superação são fundamentais. Todas unidas pelo objetivo comum. Aliás, falar que o Japão é o país da superação é pleonasmo. Basta lembrar de Hiroshima, Nagasaki e os recentes terremosto e tsunami. Daí a dizer que elas superaram as alemãs, as suecas e as americanas... fichinha. Do que gostei mais... mesmo... foi da derrota das americanas. Gente metida, com ares de superior. Bah. Danem-se. Do futebol masculino, acho que nem vale falar. Foi a maior demonstração de que ajuntamento de famosos só dá certo lá no Faustão. Em campo, com um técnico incompetente (que não enxerga o jogo) no comando... puro blá, blá, blá. Lá nos meus tempos de Ginásio, nosso professor de educação física fazia a gente treinar fundamento e a gente queria jogar... Pois é povo: fundamento no futebol é saber bater na bola com direção. Culpar o campo é papo de covarde. Meu amigo Cibar Cáceres Ruiz deve estar exultante por seu Paraguay. Viva o Japão!!!

sábado, 16 de julho de 2011

Aloha!


Nem ta frio... sabadão de sol e eu aqui: Ó! 
Trampa, trampa, trampo... 
Sampa só na segunda, para protocolar e distribuir.
Simão é que está gostando... estou em casa o dia todo...

PS: e a Argentina.... fú! Adeus Copa América...

quinta-feira, 14 de julho de 2011

TELEFONICA - padrão espanhol de atendimento

Rapaz... quer ser mal atendido? Quer ter o telefone desligado na sua cara, depois de ficar brigando para que um computador idiota, dotado de (i) reconhecimento de voz, te encaminhe para uma atendente mal educada? Fácil: basta ser cliente Telefonica. Só, mais nada. Espere e verá. Com o tempo algo que você paga régiamente, deixa de funcionar e pimba: você será mal atendido. Ah, você responde, tem a ouvidoria, tem aquela pessoa, como é mesmo o nome dela? Ombudsman: isso! Pois é, este também é inacessível. Veja a imagem:
É isso. Desde pequeno sei que espanhol é esquentado, bruto, mal educado. Só nunca pensei que este padrão fosse implantado para atendimento dos usuários de concessionária de serviço público... Não mesmo. Me recuso a pensar que eu era feliz e não sabia. Esta gente cobra caro por serviços padrão classe "F" e não estão nem um pouco interessados em saber de você. Padrão Telefonica: um lixo!! Ah, e eu tenho um número de protocolo. A mesma coisa que nada. Talvez eu mande fazer uma tabuleta com ele, junto da palavra Otário talvez até fique bom.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

"Um país se faz com homens e livros"

Frase célebre de Monteiro Lobato. Sempre ele, o visionário do Vale do Paraíba. Nascido em Taubaté, tratou de se indispor com o mundo, se necessário fosse, para propagar as idéias nas quais acreditava. E a necessidade de espalhar cultura e informação era uma delas. Imaginem Monteiro Lobato com a Intenet na mão. Inimaginável... Mas, neste vasto mundo de Deus, muita gente passou a acreditar nas idéias deste homem de Taubaté. José Bento fez escola. Em 2010 um jovem Juiz da cidade de Presidente Venceslau, Dr. Silas Silva Santos, decidiu aplicar a doação de livros no lugar das cestas básicas em casos de crimes leves (porte de droga e lesões corporais, p. ex.) De acordo com ele, em um ano, foram doados mil livros a 16 escolas. Um Procurador Federal da cidade de São Carlos, Dr. Ronaldo Ruffo Bartolomazi, resolveu seguir com a idéia e desenvolveu uma parceria com a Secretaria de Educação daquele Município. Até agora 80 livros já foram doados. A Secretaria elabora uma lista de livros e o doador efetua a compra nas livrarias e faz a entrega. Genial não?! 
Uma vez eu ví um video em que o escritor Ferréz, nome literário de Reginaldo Ferreira da Silva, fazia um alerta pela ausência de livros na Cêsta Básica. Nós encampamos a idéia e criamos um selo que está à disposição aqui no Blog (para qualquer pessoa que queira divulgá-lo). Entendemos que esta é mais uma boa oportunidade para colocá-lo em evidência e ele ilustra a presente postagem. 
Existe também uma outra forma de achar isso tudo muito legal. Faça doações. Doe livros usados, doe livros escolares de seus filhos e sobrinhos. Adquira um livro por mês e vá doar à Biblioteca de sua escola (Pública é claro) ou àquela do seu bairro, Igreja, clube comunitário. Quotize-se com os amigos e crie um clube do livro aonde cada membro compra um e todos lêm (assim você compra um livro e lê vários). É tão fácil... 
Eu sei, eu sei... na tela do computador é mais fácil, brilha mais, o colorido isso e aquilo... é interessante etc e tal. Mas pense comigo, 73% dos brasileiros não têm acesso... Pô, colabora ai, não custa nada fazer um país melhor. Ou vai esperar esta turma, que se diz Govêrno, fazer alguma coisa? Já viu do que eles são capazes, não é? Então, tá esperando o quê?

 
PS: Enquanto isso, a Rede Record vai batendo firme no Sr. Ricardo Teixeira...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

As impublicáveis pérolas da propaganda...

Agora publicadas:

Super políticamente incorreto. Imperdível: Abra a sua mente.
Para não ficar dúvida, vamos publicar algumas aqui:
 Criação Marcio José Kutchma Formiga e Bruno Galvanni
 Criação Luiz André Serro dos Santos
Criação Jimmy Anderson Duarte Rodrigues
Viu? Não Falei!
Trata-se do livro mais irreverente dos últimos tempos.
 
Criação Eddie Ferreira da Silva

Autores do Livro: Victor Marx, Eduardo Dencker e Marcel Ares
Panda

domingo, 10 de julho de 2011

Então, terminou a Flip, a Liga Mundial e...

É isso mesmo. A Flip, como sempre sensacional. Só pude acompanhar algumas palestras ao vivo e isso graças à internet, pois não deu pra ir. Mas a Flip e a Liga Mundial estavam programadas para terminar hoje. A única coisa é que não se esperava o Brasil vice. Se bem que vice é bom, decacampeão seria melhor. Continuamos Eneacampeões. Já é difícil pra caramba de dizer. É para muito poucos isso. E jogaram bem. Agora, senhoras e senhores, a vergonha que as meninas nos fizeram passar no futebol feminino, não tem tamanho. Aliás, fizeram com que o Campeonato Mundial terminasse hoje, quando ainda faltavam dois jogos... Ganhavam de dois a um, com uma jogadora a mais em campo. Além de não matar o jogo quando teve chance, permitiram o empate esdrúxulo no final da prorrogação. Ainda botam a menina que fez o gol contra (GOL CONTRA!!!!!!) pra bater um dos penais? Onde estava a comissão técnica? Este time tem técnico? Não parece ter. Ridícula participação. Sem desculpas. Sem essa de que valeu o esforço, pois de esforço não teve nada. Foi uma porcaria. Renovação total. Bilhete azul pra todas e todos envolvidos com este negócio de futebol feminino. VERGONHA!!!! Marta, marta, marta, blá, blá, blá... e mais nada. Time tem onze! Ou não?! A mulher vai lá e faz dois. E dai? Tomaram dois lá atrás e um foi contra. Não está bem? Sai. O técnico cego, com jogadora mancando em campo... AH, quer saber? Não falo mais disso. Boa semana pra todos, que o verdão meteu três no Santos.

sábado, 9 de julho de 2011

9 de julho de 1932 - Uma bibliografia

A bibliografia a seguir apresentada, inclui um filme (para os preguiçosos, digamos assim) e é bem basiquinha. É para se entender a sociedade paulista, inserida no Brasil da primeira República. Entenda a Guerra Civil Brasileira. Estes eventos, cujo feriado comemoramos hoje com muito orgulho aqui no Estado de São Paulo, mobilizaram o país inteiro com ocorrências do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte. É preciso abrir um pouco o foco, trocar a tele pela grande angular, para entender melhor aquela época, aquelas pessoas e as circunstâncias que as envolviam. É nossa História. Aventure-se!

Amaral, Antônio Barreto do               Dicionário de História de S. Paulo
                                                           Coleção Paulística, vol. XIX
                                                           Imprensa Oficial SP 2006

Fausto, Boris (coord.)                         História da Civilização Brasileira
                                                           Tomo III – O Brasil Republicano vol 8 e 9
                                                           Estrutura de Poder e Economia (1889-1930)
                                                           Sociedade e Instituições (1889-1930)
                                                           Ed. Bertrand Brasil  2006

Bruno, Ernâni da Silva                        História e Tradições da Cidade de São Paulo – 3 volumes
                                                           Livraria José Olympio Editora
                                                           SP 1953

Cohen, Ilka Stern                                Bombas sobre São Paulo
                                                           A revuloção de 1924
                                                           Editora UNESP  SP 2007

Paula, Jeziel de                                   1932 – Imagens Construindo a História
                                                           Editora Unicamp – Editora Unimep
                                                           1999

Pontes, José Alfredo Vidigal               1932 – O Brasil se revolta
                                                           O Estado de S. Paulo – Ed. Terceiro Nome
                                                           Sp 2004

Donato, Hernâni                                 A Revolução de 32
                                                           Circulo do Livro 1982

Silva, Hélio                                         1922 – Sangue na areia de Copacabana
                                                           L&PM 2004

Silva, Hélio                                         1926 – A Grande Marcha (A Coluna Prestes)
                                                           L&PM  2005

Silva, Hélio                                         1930 – A Revolução Traída
                                                           Civilização Brasileira 1966

Silva, Hélio                                         1931 – Os Tenentes no Poder
                                                           Civilização Brasileira 1966

Silva, Hélio                                         1932 – A Guerra Paulista
                                                           Civilização Brasileira 1967

Silva, Hélio                                         1933 – A Crise do Tenentismo
                                                           Civilização Brasileira 1968

Vários Autores                                    A Revolução de 32 – Um Painel Histórico
                                                           Academia Paulista de História
                                                           Instituto Roberto Simonsen
                                                           CIEE – coleção CIEE vol. 53       2001

Donato, Hernâni                                 História da Revolução de 32 
                                                           IBRASA 2002

Skidmore, Thomas                              Brasil, de Getúlio a Castelo
                                                           Paz e Terra 1982

Bittencourt, Circe (org.)                      Dicionário de datas da História do Brasil
                                                           Ed. Contexto 2007

Donato, Hernâni                                 Dicionário das Batalhas Brasileiras
                                                           IBRASA 1996

Hilton, Stanley                                    1932 – A Guerra Civil Brasileira
                                                           Ed. Nova Fronteira 1982

Meirelles, Domingos                           1930 – Os Órfãos da Revolução
                                                           Ed RECORD 2006

Sevcenko, Nicolau                              Orfeu Extático na Metrópole
                                                           São Paulo, Sociedade e Cultura nos frementes anos 20
                                                           Companhia das Letras 1992

Amaral, Pedro Ferraz do                     A Guerra Cívica – 1932
                                                            Resumo da obra em 6 volumes
                                                            De Paulo Nogueira Filho
                                                            Mandada publicar pela comissão do cinquentenário
                                                            Sociedade Veteranos de 32 – MMDC 1982

Mota, André
Santos, Marco Cabral dos                   São Paulo 1932 – Memória, Mito e Identidade
                                                                Alameda Casa Editorial 2010

Escorel, Eduardo                          32 - A Guerra Civil (um documentário)
                                                        DVD Imovision P/B 48 min
                                                        Tatu Filmes 1992

página na internet: http://www.sociedademmdc.com.br/

sexta-feira, 8 de julho de 2011

É eles!

Isso mesmo. Sempre tem um que vem dizer isso e o outro que ouve aquilo. Quem será que teve a idéia idiota de achar que a Paloma tinha "tomado" o lugar do Vannucccccci. Ora tenha dó. DIzer que a jovem tomou o lugar do dino, é demais né?! O cara tava caindo pelas tabelas, todo torto, sem condição de falar mais nada. Reciclar foi necessário e natural. Tudo bem, houve uma contribuição, há uma história. Respeitemos. Mas é bom parar por ai. Tipo Chaves ou Fidel. Cara, tem hora pra tudo, até pra ir-se-me-já-fui.
Vamos falar de coisa boa: hoje é aniversário da Bípede.
E voltemos à realidade, que nessa perdemos Billy Blanco. Perdemos? Perdemos nada. Digo e repito. Estas pessoas não morrem, viram verbete. Continuam nas prateleiras, nas rádios e DVD's. Na hora que você bem entender, você vai lá e vê o cara, recitando, cantando e virando pirueta. Não é memória. É fato. Ontem mesmo, bla, blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá e você leu. Cara, isso aqui não é brincadeira não. Enquanto escrevo tem gente tocaiada, tem gente alegre também, pois pensa que criou um país novo como lá no Sudão, tem gente chorando porquê a vovó Ford morreu, outro ri porquê ganhou na loteria, eu porquê a internet me permitiu ver e ouvir a minha mulher que está uns 3 mil km daqui, lá no calor c'as muriçoca. E eu aqui, quase que nem peixe gaúcho, morrendo congelado. Peixe gaúcho morre congelado? Morre. Devia ter algum intercâmbio com os lagos da Sibéria ou do Baikal. Mas não tem. Daí, a Bípede se mandou pra Salvador e foi curtir a expo da nossa amiga Lucia, o calorzinho da boa terra e um acarajé, que ninguém é de ferro. Eu mesmo, assim que me livrar dos compromissos com os togados, me mando para o mágico interior do Rio Grande do Norte. Sabe duma coisa? "Além do Horizonte, Existe um lugar, Bonito e tranqüilo... Prá gente se amar... lá ro lá ro láro la la lá"
A foto? É do mirante de Luis Gomes... O tal lugar além do horizonte. O título? é a exaltação, é o grito preso que se liberta, quando dobra a esquina da Av. Independência com a Rua José Ferreira da Costa: é eles!

E digo mais: se lá já estivesse, com certeza, estaria inscrito no torneio de sinuca do Bar do Jacó, que acontece neste domingo 10/07, precisamente às dez da manhã. E não se iluda: ia dar troféu! Que tá fazendo que ainda não se inscreveu? dez pilas...

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Kita, artilheiro e campeão. Vamos ajudar?

Muleque atrevido. Não se contentou em ser artilheiro do campeonato paulista de 86. Também tinha de ser campeão, com o gol do título e em cima do Palmeiras. Já tinha uma medalha de prata das olimpíadas de 84 e queria mais. Foi brilhante. O seu time, a Internacional de Limeira, entrou para a história como o primeiro campeão estadual vindo do interior. Um feito, uma glória, que mesmo 25 anos depois é reconhecido naquela simpática cidade. Tudo bem que de lá para cá, por diversas razões, algumas que a razão até desconhece, o time vem de mal a pior. Mas Kita, Kita é o herói. Antes disso, ele já tinha sido artilheiro do Campeonato gaúcho pelo Juventude (83) campeão pelo Inter (84). mais tarde acabou campeão pelo Grêmio também, não só do estadual como da Copa do Brasil (89), a primeira. O cara da estrela na testa, porém, não está passando bem. Está na UTI em Passo Fundo (RS). Portanto,  sábado tem Gre-Nal da solidariedade, com a renda revertida integralmente para Kita e a Inter de Limeira está vendendo uma camiseta comemorativa também para ajudar. Uau, dez reais para ver os ídolos mais uma vez em campo. Meu deus, se eu morasse por perto, era isso que eu ia fazer no sábado (09/07) lá em Passo Fundo às 14:30 no Vermelhão da Serra.
Você, torcedor de Limeira, do Internacional de Porto Alegre, do Grêmio, Atlético-PR,  Juventude, Portuguesa e Flamengo (aonde fez logo dois gols na sua estréia), seja solidário, entre AQUI e compre uma camiseta. Só assim seremos um grande país, lembrando dos nossos heróis, preservando a história e sendo solidários com o próximo, uma atitude cristã.


FOTOS: UOL