PINTEREST

terça-feira, 30 de novembro de 2010

"Experimental" ainda cabe? Brasília com a palavra...

Hoje saiu a premiação do Festival de Brasília e a palavra de ordem parece que foi o ineditismo, o experimental. Brasília não é lugar para experiências. Brasília deveria ser sinônimo de solidez e calmaria. Experiências no Planalto Central irradiam-se por todo o território e a sacudidela das marolas nem sempre é boa. Minha mulher me adverte de que o texto é sobre cinema e não política ou economia, mas no meu ver das coisas não existe cinema sem dinheiro e sem idéias (políticas). Mas, enfim, vamos aos vencedores:

Melhor filme  - "O Céu Sobre os Ombros", de Sérgio Borges
Prêmio Especial do Júri - Aos personagens/atores do filme "O Céu Sobre os Ombros"
Melhor direção - Sérgio Borges, por "O Céu Sobre os Ombros"
Melhor ator - Fernando Bezerra, de "Transeunte"
Melhor atriz - Melissa Dullius , de "Os Residentes"
Melhor ator coadjuvante - Rikle Miranda , de "A Alegria"
Melhor atriz coadjuvante - Simone Sales De Alcântara, de "Os Residentes"
Melhor roteiro - Manuela Dias e Sérgio Borges por "Céu Sobre os Ombros"
Melhor fotografia - Aluizio Raulino, por "Os Residentes"
Melhor direção de arte - Gustavo Bragança, de "A Alegria"
Melhor trilha sonora - Andre Wakko, Juan Rojo, David Lanskylansky e Vanessa Michellis por "Os Residentes"
Melhor som - Som Direto, Edicão de Som e Mixagem de "Transeunte"
Melhor montagem - Ricardo Pretti, de "Céu Sobre os Ombros"

Eu não dei palpite nenhum nestas escolhas, sequer um mísero voto me pediram... mas na minha TV, nesta noite especial, passou "A Carga da Brigada Ligeira" com Errol Flynn, Olivia de Havilland e David Niven, entre muitos outros. Excepcional P&B de 1936 com uma estória de amor ambientada na India e na Guerra da Criméia, com sacrifícios, atos heróicos e alguma verdade histórica ganhadora do Oscar de Melhor Assistente de Diretor em 1937. Afinal a noite foi de premiação, ou não?
Taí um filme que vale o tempo gasto.