PINTEREST

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

TRANSUMER

Uma mistura bem humorada de consumidor com transitório, (de passagem) - não vou ficar muito tempo gostando disso não... fazer? Menos ainda. - São pessoas que já chegaram lá, mas preferem "curtir" ao invés de ter. Ter dá trabalho, exige administração e administração é tempo. Tempo vale ouro. Então, o negócio é gastar o dinheiro experimentando sensações, novidades, sendo surpreendido em vez de somente acumular.
Pois foi hoje que eu soube disso e descobri que já deram até nome para um comportamento que pratico por conta e risco já faz um bom tempo. Para falar a verdade... alguns anos. Desisti de acumular e gasto tudo com viagens. É claro que deixo algum para os gastos necessários, e importantes, como seguro saúde, brinquedos e alta gastronomia por exemplo. Aliás, não acredito em ninguém que leva a vida muito a sério. Eu prefiro jantar no Guarujá, ou mesmo levar a mulher para assistir algo no Rio e dar uma passadinha no Shirley lá no Leme ou na Livraria da Travessa. Quando em Sampa, é na Cultura. Gosto do Palácio do Catete, gosto da Ópera de Arame e do Ibirapuera. O que fazer se estas coisas ficam em cidades diferentes. Na dúvida, vamos com algumas milhas tomar um café com churros lá no Tortoni. E tenho dito.

PS: Bom apetite!
PS2: Imagina, apenas pelo amor ao debate, se cada ser humano (e somos mais de sete Bi) resolve ter um terreno só seu. Não haverá Globo Terrestre suficiente...
PS3: Vamos parar com isso, de ter. Vamos SER!