PINTEREST

quinta-feira, 4 de março de 2010

SOROCABAE RERVM GENTISQVE CVLTVS IN AEVVM (*)

Nossa... preciso me penitenciar, talvez ir a um Confessionário. Ainda não sei ao certo. Bom, Confessionário não vai dar mesmo... não vou a um desde os sete anos de idade. Lá se vão quase cinco décadas... e meu joelho não é lá grandes coisas. Penitência? Talvez, na medida em que me proibam de tomar sorvete ou coisa parecida.
Na verdade, a culpa nem foi minha, portanto, não tenho que nada nem coisa nenhuma, mas o "pessoal" não sabe e vai cobrar. Fato é que na manhã de hoje (04/03), recebi um convite para participar de Sessão Solene em homenagem aos 349 anos da Câmara Municipal de Sorocaba e dos 56 anos do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba (IHGGS). Coisa pra maluco nenhum botar defeito. Receber um convite doze horas após a festa é brincadeira de mau gosto. (a reunião foi 03/03) Ou será que foi azar? Pode ter sido sorte também e isto eu nunca vou saber. Algumas vezes o Universo conspira e você nem fica sabendo, outras a coisa é tão óbvia que você nem dá bola, esquece até de agradecer. Mas as forças (ou a Força Jedi) estão sempre por ai, zelando... Minha vó dizia que eram os Anjos da Guarda, mas este termo, além de fora de moda, não tem a modernidade suficiente para que meus filhos entendam. A bem da verdade, meus filhos já são adultos e não precisam entender nada. Eles que se danem neste mundão de Deus e se liguem na tomada por conta própria, isto sim.
Ao pessoal do IHGGS, minhas sinceras desculpas.
Sem saber de nada disso... eu estava no cinema vendo o maravilhoso  "O Segredo dos Seus Olhos", de Juan José Campanella, com Soledad Villamil, Ricardo Darin e Guillermo Francella. Um filme de amor, de paixão, de reviravoltas e de suspense, costurando uma trama com potência máxima.
O melhor do cinema portenho perto da sua casa. VÁ!


(*) Culto das Coisas e da Gente de Sorocaba para sempre.

NANOSEGUNDO

NO rádio tocava “eu sei que eu sou.... bonita e gostosa.... eu sei que você... me olha e me quer...” e ela dançava, pulava, parecia uma Frenética, até que esbarrou numa das mesinhas da sala de sua avó e seus olhos viram, em câmera lenta, um raro exemplar de vaso, da Dinastia Ming, se espatifar em incontáveis caquinhos, que depois se espalharam pelo piso de mármore italiano. Parou como quem brinca de estátua, travada, vendo o gato da família, ainda assustado, se achegar para cheirar um dos cacos. O gato sentou e depois de olhar para ela, começou a se lamber, totalmente alheio à merda que acabara de acontecer. Após alguns segundos, resolveu dar um leve tapa num caquinho côncavo que passou a rodopiar pelo mármore liso, sendo prontamente perseguido. Um espetáculo de pulos, saltos acrobáticos e sons cerâmicos. Ela continuava ali, paralisada. Tinha acabado de jogar sua parte da herança no lixo. Os sonhos que acabara de sonhar ao olhar para o vaso, antes da fatídica vontade de dançar, foram para o lixo também. Três eram os irmãos, três eram os vasos. A menos que desse cabo de um de seus irmãos, quem tinha ficado sem vaso era ela, mesmo que o gato inocente fosse condenado. Coisa que não seria nada simples, pois ela era a única que estava em casa e o gato nestes últimos dez anos sempre perambulou pela sala. A vida é assim mesmo, tudo é capaz de mudar, radicalmente, em um simples nanosegundo. Sonhos desmoronam, oportunidades se esvaem, sortes se definem. Cavalos selados passam e você não tem tempo para pensar. Ou reage e pula, ou assiste. E a propósito disso tudo, veio-lhe à mente uma frase de famoso financista americano, constantemente citado pelo avô, cujo nome nunca lembrava: “sorte é quando a preparação encontra a oportunidade...”e emendou com sua filosofia de adolescente: “para o bem ou para o mal...”. Desligou o rádio, foi buscar a vassoura e limpou a área. Tomou um banho, vestiu a melhor roupa e foi assistir o Pôr do sol...


IMAGEM: é claro que não é um vaso Ming. É só uma caneca de fazer chá, comprada lá na Liberdade... Acho que nunca vi um vaso Ming, de verdade, daqueles que se pode por a mão, saber que tem zilhão de minutos de vida, UAU, nunca pensei nisso!