PINTEREST

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

FELIZCIDADE

Poesia urbana,
Neblina das madrugadas
De esquinas peladas
E rebolado bacana;
Essencialmente enraizada
Em veias de amianto e anjos de concreto
Que dançam alucinados
No Boulevard do crime