PINTEREST

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Gyere Te is ünnepelni!! Venha comemorar conosco!!


Tony Curtis (1925-2010)





Today is a sad morning, but it sure will be over (the sadness) at lunchtime.
Life goes on... till the end.
(Nova York, 3 de junho de 1925 - Las Vegas, 30 de Setembro de 2010)

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Vamos falar de outra coisa e não de coleópteros ou lepidópteros...

Pois é de Economia nacional. Não é Teatro (como os 39 Degraus de Hitchcock), é sério. Não vou falar horas, como os executivos do Bradesco lá no encontro da APIMEC-SP, nem mostrar duzentos chart's ou dar explicações do tipo "o que não pode ser medido não existe". Vou mostrar alguns slides e cada um tire a conclusão que achar melhor. Só não vale concluir errado, combinado?!
Mas vou mostrar também um anúncio de jornal feito pelo artista plástico Paulo Bruscky que pode ser visto lá na Bienal de Ibirapuera.

PS: Qualquer das imagens que você deseje ver melhor, basta clicar nela.
PS2: O lucro dos 5 maiores bancos estabelecidos no Brasil, só no primeiro semestre deste ano, ultrapassou a casa dos 20 Bi (eu disse BI) de reais. E Lula vivia às turras com os Bancos, o Capital, o Mercado, o Plano Real etc e tal... As pessoas mudam: pois não?
PS3: a percepção internacional, hoje, é de que não importa muito quem ganhe as eleições do próximo domingo. No entendimento "deles" não há stress nenhum no horizonte do Brasil. O programa dos candidatos, na verdade e na essência, não diverge um grama...
PS4: e Ernesto Geisel voltou a ser citado: foi no governo dele que se investiu em infraestrutura pela última vez neste país. Portanto, ou tratamos de fazer o mesmo e incluímos a EDUCAÇÃO no pacote ou todas estas conquistas acima demonstradas (e das quais o Lula se orgulha tanto) irão para o vinagre.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

AMERICA, CHICAGO, CLUBE URBANO e outras cossitas más...

Eu não estou aqui pra fazer propaganda pra ninguém que não me pague, mas desta vez vou abrir uma exceção. Trata-se do tal do Clube Urbano que faz parte da nova febre da internet. Você se associa gratuitamente e recebe por e-mail diversas ofertas que têm tempo limitado e número máximo de pessoas ou objetos. Confuso? Pode acreditar que é, mas funciona. Aonde é que "eles" ganham eu não sei nem quero saber. Só sei que é muito bom participar. Eu já estou em dois destes, mais precisamente o "Clube Urbano" e o "BrandsClub". Um me proporciona ofertas com descontos estupefacientes em entretendimento e alimentação e o outro me permite a aquisição de produtos caros, de marcas boas, com descontões absurdos. Contempla as maiores cidades brasileiras no quesito Também quero.
Pois foi numa dessas que eu assisti neste domingo ao show do América e do Chicago (duas bandas) com mais de 40% de desconto. Foi no ginásio do Ibirapuera das sete e meia às onze e tanto. UAU!!! Absolutamente espetacular e pagando pouco!! Ta esperando o quê?? Clica nos nomes e faça seu cadastro.




PS: se quiserem me agraciar com propaganda paga, não tenho nada contra, mas é que coisa boa a gente espalha, conta pra todo mundo. Não sou desses que retém informação, nunca fui.

PS2: Hoje associou-se aqui o centésimo seguidor. Aplauso gente, aplauso!!!

Zé Celso na Bienal



E Zé Celso Martinez Corrêa, devidamente indenizado pela ditacuja, foi fazer uma performance na Bienal de São Paulo... neste domingo tido como chuvoso... Bienal especial, diga-se.
Bienal de 6 terreiros, dois urubus, de dois ataques (até agora) e nenhuma defesa...
Bienal com dois urubus engaiolados e assustados com o barulho, as pessoas e o movimento. Isso não é arte. Pode ser provocação, pode até gerar reflexão, ruptura e movimento. Mas, definitivamente, não é arte.
E depois, vem a reclamação, de que foi invadido, pixado, xingado, chutado...
Ah, mas tem uma rapaziada entusiasmada por lá, todos de verde e devidamente identificados por crachá, como o Paulo Delgado, que fazem visitas monitoradas, guiadas e didaticamente interessantes. Eles dão um certo sentido ao caos.

"INVASOR" e "LIBERTEM OS URUBU" são as palavras de ordem!

PS: Se quer fotos da coisa toda, vá lá e faça as suas ou compre um catálogo, tipo mais de noventa reais. É muita coisa legal e muita outra coisa, nem tão legal assim. Só vendo pessoalmente. Não adiante fazer busca no google, do tipo "resumo da bienal" ou "fotos da bienal"... ou ainda "redação sobre a bienal de são paulo". Vai por mim, os professores também tem internet.

PS2: Eu vou voltar várias vezes. Isso vai até dezembro, com ou sem spray.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Trópico de Capricórnio

Ai eu vejo estas coisas e fico pensando nas aulas de geografia lá do Prof. Araújo e seu imenso bigode a flutuar pela sala de aula. Acho que o bigode dele nem era tão grande assim, a gente é que era pequeno e olhava de baixo pra cima. E o tal Trópico continua a ser um risco na placa, que não é mais lousa, algo que não existe mas insiste em ser. Afinal, ganhou até placa. Pensando bem, até gol tem placa e não passa de algo nacional, às vezes só interessando a uma torcida de um determinado time. E essa linha então, que dá a volta no Globo... muito mais importante.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Dia Mundial sem carro

O meu dia mundial sem carro se limitou a eu ir de moto para a Academia hoje cedo. Eu fui a Sorocaba hoje e sem carro isso seria impossível ou, pelo menos, bastante desagradável. Depois me lembrei que Dom Pedro I levou mais de sete dias para vir do Rio a cavalo... mas aonde eu ia arranjar um cavalo uma hora dessas?

terça-feira, 21 de setembro de 2010

João Gilberto Noll

O autor de A Máquina de Ser, João Gilberto Noll esteve na USP proferindo palestra para os alunos do Programa de Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado) da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Aqui na foto com a poeta potiguar Gladys Ferreira, pouco antes da chuva espantar a todos. O que me fez lembrar que em São Paulo tudo é exagerado, pois que se vai de 12% de Umidade Relativa do Ar para tapetes de granizo, assim, sem mais nem menos.

Dia da Árvore

Neste 21 de setembro, primeiro dia da primavera, é dia da Árvore. Certamente você já fez na vida uma redação sobre a Árvore, ou ainda, com o título " A Árvore é nossa amiga". Pois então, aproveitepara lembrar da sua professora do primário e plante uma muda ou espalhe sementes. Lembrar de pessoas que nos fizeram o bem é sempre bom, pois de uma forma ou outra as professoras do primário contribuíram para o que somos hoje, para chegarmos até aqui. E plantar uma Árvore é uma forma de ajudar o meio-ambiente nessa luta contra a poluição desmedida e a destruição acelerada. Colabore, não destrua, separe seu lixo e não desperdice água. Uma boa primavera para todos.


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Akira e UP,

Você alguma vez pensou em ver um épico e acabou com um desenho animado? E, por acaso, você já quis ver um desenho animado e acabou vendo um épico? Então... você pode ver "UP" e "Akira" e depois me diga o que foi que você viu. Em qual deles chorou e qual dos dois te mostrou um caminho, uma lição uma moral... para toda a vida, daquelas que se conta para os filhos e netos. Talvez no sábado foi um e no domingo foi outro. Ou, se acaso, na semana, no dia mais estressante, ou numa noite qualquer, mesmo até numa destas horas podres... pense bem. Veja um e depois o outro. Depois veja o outro e mais pra frente o um. Procure ser honesto, não um dirigente dos Correios ou Deputado, mas cidadão, pai de família, apenas sonegador. Eu disse apenas. O caos se instalou na minha mente. Ah! Foi a dieta da sopa! Só foi... pá! Mas pode comer melão. O duro é ter de ler que a gaveta estava cheia da grana. Eu logo fui abrir a minha... só contas, nada mais. Só fiquei com uma dúvida: como é que se ganha um radio na tampinha de refrigerante e depois se deixa cair do parapeito, para ver outro menino levar e não se tem um xilique? Será que não sabe o que é música? A sua vida é em preto e branco? Se me der na louca oportunidade, vou perguntar pro Mayrant... outro dia, não hoje, que é segunda e eu fui na academia e estou quebrado, meu time perdeu. Ôpa... o chá ta pronto: alguém servido?

domingo, 19 de setembro de 2010

O Estrangeiro

No Teatro Eva Herz, que comemora seu terceiro ano (Livraria Cultura do Conjunto Nacional/SP), fomos ver "O Estrangeiro" de Albert Camus, adaptação de Morten Kirkskov (tradução de Liane Lazoski). Trata-se de um monólogo competentemente apresentado por Guilherme Leme dirigido por Vera Holtz. O romance conta a história de um narrador personagem, Meursault, que após a morte da mãe comete um assassinato e é julgado por esse ato. A ação desenrola-se na Argélia, na época em que ainda era colônia francesa, país onde Camus viveu grande parte da sua vida. Nisso, nesta condição de colônia, de ser francês em terra de outrem, é que reside parte da crítica embutida no texto, que traz, por outro lado, boa dose de absurdo ao mesmo tempo em que relata uma sucessão de acasos e acontecimentos desastrosos para o narrador. Em um cenário simples mas efetivo, a peça desenrola-se em um único ato com a iluminação que beira a perfeição. Vera Holtz declarou que gostou da experiência de dirigir, mas que não abandonará a condição de atriz.
Aliás, sinto saudade de Vera no papel principal de Pérola, de Mauro Rasi. Não... na verdade sinto saudade dos textos do Mauro, de sua irreverência e talento que jorravam aos borbotões. Conheci Vera em Bauru, quando foi encenar Pérola no Teatro da Universidade do Sagrado Coração (é claro que ela não lembra disso) e Mauro Rasi ainda era vivo... mas isso é para outro post.

sábado, 18 de setembro de 2010

Ipê Branco

A três dias da primavera, quando as coisas parecem finalmente entrar nos eixos, a temperatura certa na época certa do ano. E é assim que deve ser, sem anarquia, pois quem manda no time é o técnico, não é Neymar... Portanto, calor na primavera e no verão, frio e ventos no outono e no inverno. As árvores daqui já estavam ficando loucas e confesso: eu também. Agora, que é a melhor época do ano, isso é. Sempre gostei muito da primavera, primeiro porquê tem nome de mulher, segundo que anuncia as férias de verão e também por proporcionar praia e cachoeira depois de meses sem. Ta certo que inverno aconchega e coisa e tal, mas se Deus te deu o privilégio de nascer e viver em país tropical, tennha dó... Se gostas de inverno, com certeza estás no lugar errado. Mas como o Brasil é o melhor lugar do mundo, e afirmo isso de cátedra, até por já ter morado fora, aqui tem pra todo mundo. Tem serra, tem litoral, pantanal, paralelo 30 e linha do equador. Quer mais o quê? Tudo bem... um bom livro, que isso não é pedir demais.

PS: Eu vou de "Galiléia" excelente e premiado livro de Ronaldo Correia de Brito.
PS2: A foto é dos Ipês brancos lá do Sítio Itatuba, basta clicar que amplia.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

PEDRO E OS LOBOS

De João Roberto Laque, jornalista também formado em História, que depois de minuciosa pesquisa e horas de depoimentos (dentre outros com Darcy Rodrigues e Carlos Pittoli) conta a louca vida de Pedro Lobo misturada em um relato desconcertante da Ditadura Militar que se instalou entre nós em 1964.
Pedro Lobo, decidido a melhorar de vida, abandona sua terra natal na Serra do Mar e acaba Sargento da Força Pública (hoje Polícia Militar). Depois de exonerado pelo Ato Institucional número 1, transforma-se em um dos mais ativos guerrilheiros daqueles dias. Após ser torturado e banido do país, passa por Argélia e Cuba antes de fixar-se na antiga Alemanha Oriental (DDR). Com a Anistia em 1979, Pedro Lobo retorna ao país e é reintegrado à PM e hoje desfruta da reserva como Oficial.
Para quem leu os quatro livros de Elio Gaspari, mais os Carbonários de Alfredo Sirkis ou o livro do Gabeira (dentre muitos outros), este livro de João Roberto é complemento obrigatório no deslinde de uma época.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Letras em Cena...

(foto batida por Ariel Moshe)
TIETE TIETE de Alcides Nogueira
Da esquerda para a direita: o Diretor (Ariel Moshe), Macunaíma, Pagu, Oswald de Andrade, Mario de Andrade, Olivia Guedes Penteado, Emília, Pedrinho, Narizinho e o Anjo de Cemitério.
Machado, Martha Meola, Eduardo Silva, Márcia Azevedo
Mario de Andrade
Pagu
Os membros da "Patrulha Pulha" e o Anjo (narrador)
Macunaíma, Pagu, Oswald, Mario, Olívia, Emília, Pedrinho e Narizinho.
Alcides Nogueira e Ariel Moshe
ELENCO: Mauricio Machado, Lucélia Santos, Eduardo Silva, Flavia Garrafa, Martha Meola, Pascoal da Conceição, Carlos Meceni, Marcia Azevedo e Tuna Dwek

Um minuto de silêncio...

Por

Claude Chabrol (1930-2010) 

e

Wesley Duke Lee (1931-2010)

sábado, 11 de setembro de 2010

Nine, One, One

Então... eu fazia outra coisa em outro lugar. O lugar tinha Bloomberg, bateu o primeiro avião. Um avião bateu em um prédio? Liga na Globo News... e vimos o mundo mudar, ao vivo e à cores, quando o segundo avião bateu. E hoje, neste alinhamento do final do Ramadã, com o ano novo deste 5771 que se inicia, com o feriado do nono ano do fim do mundo como o conhecíamos, os Ipês amarelos todos floridos, a primavera despontando... eu vou ao mercado comprar os ingredientes da festa. Nestes nove anos o mundo mudou, eu mudei e eu pergunto: e dai? Afinal, é apenas mais uma destas coisas que "nunca mais", tipo Concha Acústica do Pacaembu. Por conta disso, Bush ficou mais rico, destruiu um país inteiro, milhares de vidas e depois vem aqui em Sampa fazer palestra, posar de homem comum. Who cares?

PS: Eu prefiro pensar que hoje fazem 20 anos do Código de Defesa do Consumidor. Me afeta mais, me ajuda mais e mudou a vida deste país para melhor.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Letras em Cena

O LETRAS EM CENA é um projeto de leitura de textos de peças teatrais, poesias, cartas, ensaios, contos...

Foi criado em 2006 por Clóvys Tôrres e Marina Mesquita e tem a PALAVRA como foco. Seu grande objetivo é promover encontros agradáveis e descontraídos entre autores, atores, atrizes, poetas, produtores, diretores e o público.
Acontece todas as segundas-feiras entre março e dezembro, sempre no Grande Auditório do MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand), na Av. Paulista, em São Paulo-SP. Em quatro anos existência (2006– 2007- 2008-2009) realizou aproximadamente 160 leituras, reuniu cerca de 1.800 artistas e um público médio de 140 pessoas por evento.
Foram quase 40 encontros em cada ano, promovendo o hábito da leitura em novas platéias (estudantes, grupos de idosos, grupos de alfabetização, estudantes de artes dramáticas e o público em geral) que têm a oportunidade de participar gratuitamente deste evento ao lado de grandes nomes da cultura brasileira e também a possibilidade de conhecer novos autores e seus trabalhos.
O projeto revela o primeiro processo de uma montagem teatral: a leitura de mesa, o momento em que começam os entendimentos sobre o texto, autor, período histórico, importância da obra, entre outros.


Ah! segunda 13/09 é com Lucélia Santos!
Todos já pra lá!
Meia hora antes distribuem os ingressos: tudo absolutamente grátis!

PS: enquanto isso... os Judeus comemoram a chegada do ano 5771, os muçulmanos estão no Ramadã, um louco quer queimar livros sagrados, os palmeirenses estão de cabeça quente, Ronaldo continua gordo, poetas vendem livros por eles mesmos editados e alheios a tudo isso (como se tivessem lido Drummond) os Ipês amarelos estão florindo...

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Somos independentes?

Na escola, quando pequeno, aprendi que tivemos um herói como monarca, que desafiou o poder de seu pai e declarou nossa independência. Depois, já no Ginásio (que naquele tempo tinha dessas coisas), em plena noite ditatorial, comemoramos o sesquicentenário desse gesto, com hino, Tanques nas ruas, hastear de Bandeira e Tracisio Meira fazendo as vezes de Dom Pedro I (nas telas dos cinemas). Agora, depois de ter lido inúmeros ensaios, livros e artigos... de ter sobrevivido planos econômicos e governos nem tanto, a apenas doze anos do Bi-centenário e em pleno feriado chuvoso... vejo que o Governo abocanhou quase metade do crescimento da produção de bens e serviços entre 1994 e 2009. Que independência é essa? Se o cidadão Alferes Joaquim José da Silva Xavier foi enforcado por revoltar-se contra a excessiva carga tributária de 20% ( o Quinto), o que é de nós? Me perdoem aqueles que por ventura tenham parentes na política, mas estamos trabalhando para sustentar vagabundo! Estamos trabalhando para acatar ordens e idéias alienígenas. Estamos trabalhando para sobreviver, apenas. E, a meu ver, estamos pagando caro, pois dava para fazer por menos. A prova disso é o custo do desfile de hoje no Planalto Central. Neste ano, após a intervenção do TCU, está custando a metade de três anos atrás. E o Dr. Orestes só saiu de cena por conta de doença dele mesmo... Essa é a nossa independência?

domingo, 5 de setembro de 2010

Aniversário de uma conquista

Hoje (5/09) fazem 50 anos que Cassius Clay, depois Mohamed Ali, ganhou sua medalha olímpica nos jogos de Roma (1960). Sujeito polêmico, converteu-se ao islamismo, jogou sua medalha olímpica fora - por não ter sido atendido em um restaurante só para brancos-, recusou-se a servir o exército (não nesta ordem) e depois de muitos títulos e glória, acabou com Parkinson. Pois muito bem: nasceu negro no "maior país do mundo" (como ele mesmo gostava de dizer) e sofreu todo tipo de discriminação, inclusive a segregação odiosa que naquela época por lá se praticava abertamente. Mas como foi que este garoto acabou campeão mundial e rico? Qual coincidência cósmica em que momento deu o click? Aonde e quando é sempre a pergunta que se faz. O Universo é cheio de conspirações e no caso daquele menino a conspiração colocou um policial treinador de boxe em seu caminho. Alguém, que sequer sabe o bem que fez, roubou a bicicleta do garoto Cassius e quando, tomado de raiva, ele jurou dar uma surra no malfeitor, ouviu do policial que antes tinha de aprender boxe. Pouco tempo depois este garoto já ganhava títulos.
Minha vida é cheia destes clicks. Ou eu sou especialista em reconhecê-los (sempre a posteriori) ou talvez obcecado pelo assunto, os veja até aonde eles sequer imaginaram estar... Mas, mesmo assim, tente descobri-los na sua história. Exercite-se. Pode valer uma tarde de chuva, ou uma vida.

PS1: Mesmo trêmulo devido à sua doença, ele acendeu a pira olímpica na cerimônia de abertura de Atlanta (1996) e recebeu uma réplica do que conquistara em 1960, uma forma de o país se desculpar ao campeão e mostrar o quão duro foi nascer negro em sua época, ainda que se tornando um campeão olímpico da nobre arte.

PS2: foto UOL

sábado, 4 de setembro de 2010

CASA DE AREIA

Duas atrizes excepcionais. Não... um elenco fora de série com uma equipe pra lá de qualificada, todos iluminados pela luz do Maranhão, uma direção competente e um roteiro triste. Talvez fosse sina, talvez fosse destino e mesmo sendo lindo e emocionante... foi triste.
Terminei de ver o filme e lá fiquei, boquiaberto pensando... se apertava o botão para desligar ou o “menu”, para ver de novo. Outra dúvida: pesquisar o filme ou o “quê” levou estas pessoas a fazer este filme, contar esta estória, deste jeito naquele lugar... O lugar é lindo, mas não me atrai, nem me apraz. Não é o tipo de lugar que eu vou. Hoje não. Mesmo assim, o lugar é lindo, a empreita foi belíssima. O tempo do filme estacionou meu cérebro. Como é bom ouvir música depois de sessenta anos só ouvindo vozes e vento. Me fez bem.
Filme para ter em casa.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

o Avô dos cartões magnéticos

Isso mesmo. Este foi o que se pode chamar de primeiro cartão para sacar dinheiro em caixa automático. Funcionava assim: Você possuia três destes cartões perfurados e os furos é que diziam quanto dinheiro podia ser sacado. Íntroduzia-se o cartão na máquina e após a respectiva senha o valor era liberado e o cartão ficava retido. O Banco devolvia depois, pelo correio. A grande vantagem é que a coisa funcionava 24 horas e livrava a cara da gente com grana cash. Isso é do início dos anos oitenta e você precisa ter no mínimo cinco ponto zero para ter tido um (kkkkkkkk).

Dez coisas que eu decidi não mais fazer


Fumar, Beber álcool, comer carne vermelha, comprar produto pirata, ler Paulo Coelho, Ler Lya Luft, escalar o Everest, pular de Buggie-Jump, andar de Bugre nas dunas (sejam quais forem as dunas) e adotar uma tartaruga.
Você pode achar estranha a minha lista. Nada mais fácil: faça a sua. E não adianta vir aqui criticar, por reparo, pois a lista é minha e fui eu que decidi não mais fazer estas coisas. Umas, por serem pura perda de tempo, outras por já ter passado da idade. Você dirá que fiquei velho para o Buggie-Jump... enganou-se:  Fiquei velho para agüentar Lya Luft e Paulo Coelho, fiquei velho para aturar bêbado e mau cheiro.  Cara, a vida é curta para se perder tempo com besteiras, rusgas e inconveniências. Abobrinha então... só se for vegetal.
No Everest o Niclevicz e mais meio mundo já foram... alguns morreram, e eu pretendo viver muito ainda. E tem mais, passar frio nunca foi a minha praia. Andar de Bugre na Duna não precisa nem explicar... vem areia na boca, você sai com a bunda quadrada e sempre tem um Ogro semi-analfabeto ao volante cuja maior felicidade é demonstrar o seu total desapego à vida... E sinceramente, adotar tartaruga só se for um Jabuti lá na minha estante. 

PS: É claro que estou falando da estatueta do prêmio Literário, orra meu!
PS2: explicar a recusa de comprar produto pirata não carece, não é mesmo.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

PRÊMIO JABUTI ANUNCIA SEUS FINALISTAS

Estes são os finalistas deste ano:

CATEGORIA ROMANCE:

"SE EU FECHAR OS OLHOS AGORA" (RECORD) - EDNEY SILVESTRE
"OUTRA VIDA" (OBJETIVA) - RODRIGO LACERDA
"LEITE DERRAMADO" (COMPANHIA DAS LETRAS) - CHICO BUARQUE
"OS ESPIÕES" (OBJETIVA) - LUIS FERNANDO VERISSIMO
" GOLPE DE AR" (EDITORA 34) - FABRÍCIO CORSALETTI
"SINUCA EMBAIXO D'ÁGUA" (COMPANHIA DAS LETRAS) - CAROL BENSIMON
"O ALBATROZ AZUL" (NOVA FRONTEIRA) - JOÃO UBALDO RIBEIRO
"O FILHO DA MÃE" (COMPANHIA DAS LETRAS) - BERNARDO CARVALHO
"A PASSAGEM TENSA DOS CORPOS" (COMPANHIA DAS LETRAS) - CARLOS DE BRITO E MELLO
"O BOI NO CAFÉ" (EDITORA IMEPH) - SÉRGIO VIOTTI

CATEGORIA CONTOS E CRÔNICAS:

"HISTÓRIAS QUE OS JORNAIS NÃO CONTAM" (AGIR) - MOACYR SCLIAR
"EU PERGUNTEI PRO VELHO SE ELE QUERIA MORRER (E OUTRAS HISTÓRIAS DE AMOR)" (7LETRAS) - JOSÉ REZENDE JR.
"MEU AMOR" (EDITORA 34) - BEATRIZ BRACHER
"PAULICÉIA DILACERADA" (FUNPEC-EDITORA) - MÁRIO CHAMIE
"CRÔNICAS INÉDITAS 2" (COSAC NAIFY) - MANUEL BANDEIRA
"A MÁQUINA DE REVELAR DESTINOS NÃO CUMPRIDOS" (EDITORA DIMENSÃO) - VÁRIO DO ANDARAÍ
"A CIDADE ILHADA" (COMPANHIA DAS LETRAS) - MILTON HATOUM
"NÃO TENHO CULPA QUE A VIDA SEJA COMO ELA É" (AGIR) - NELSON RODRIGUES
"FORÇA ESTRANHA" (OBJETIVA) - NELSON MOTTA
"CRÔNICAS DA VIDA E DA MORTE" (ROCCO) - ROBERTO DAMATTA

CATEGORIA POESIA:

"PASSAGEIRA EM TRÂNSITO" (RECORD) - MARINA COLASANTI
"SANGRADAS ESCRITURAS" (STAR PRINT) - REYNALDO JARDIM SILVEIRA
"SONETO ANTIGO" (THESAURUS EDITORA DE BRASÍLIA LTDA) - ANDERSON BRAGA HORTA
"LAR" (COMPANHIA DAS LETRAS) - ARMANDO FREITAS FILHO
" POESIA REUNIDA - EUCLIDES DA CUNHA" (FUNDAÇÃO EDITORA DA UNESP) - LEOPOLDO M. BERNUCCI E FRANCISCO FOOT HARDMAN (ORGS.)
"O SEXO VEGETAL" (EDITORA ILUMINURAS LTDA.) - SERGIO MEDEIROS
"A COR DA PALAVRA" (IMAGO EDITORA) - SALGADO MARANHÃO
"SAGRAÇÃO DO ALFABETO" (SCORTECCI EDITORA) - LEONOR SCLIAR-CABRAL
"SOB O CÉU DE SAMARCANDA" (EDITORA BERTRAND BRASIL LTDA) - RUY ESPINHEIRA FILHO
"PALAVRAS CÚMPLICES - VERSOS & REVERSO" (FUNDAÇÃO WALDEMAR ALCÂNTARA) - BEATRIZ ALCÂNTARA