PINTEREST

quarta-feira, 30 de junho de 2010

E ele avisou...

Mais de uma vez ele avisou que só desencarnaria no dia em que o Brasil estivesse muito feliz... então, no dia 30 de junho de 2002 o país sagrou-se pentacampeão mundial de futebol. Fez uma leve refeição e se deitou.
Obrigado Chico, por ter vivido entre nós.












IMAGEM: www.cabobranco.tv.br/intervalo/?m=201003

terça-feira, 29 de junho de 2010

Grande Data

29 de junho deveria ser declarado dia santo. Se bem que já é, pois hoje é dia de São Pedro e São Paulo, coisa de festa junina. Mas se o dia é o de São Pedro, por ele ter falecido em 29 de junhode 67, deveria também ser dia de Paul Klee (1940), Clóvis Graciano (1988) ou Katherine Hepburn (2003). Agora, a razão principal da santificação da data certamente é que neste dia, no ano santo de 1958, o Brasil sagrou-se Campeão Mundial de Futebol pela primeira vez. Salve Gilmar; Djalma Santos, Bellini, Orlando, Nílton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Pelé, Zagalo. Salve, Salve!


IMAGEM: http://www.mochileiro.tur.br/copa-1958.htm

Em Caxias do Sul - 97 anos de JUVENTUDE

Nossas almas em festa saúdam

Esse clube de real tradição
Na mais sã alegria se escudam
Entoando esta marcha canção

ABC de Natal - 95 anos

O adversário fica no campo perdido


Salve, o mais querido
Salve, o mais querido

segunda-feira, 28 de junho de 2010

FRANCISCO FERDINANDO E RAUL SEIXAS - algo em comum

Então... Francisco Ferdinando era o herdeiro da coroa do Império Austro-Húngaro, altivo, rico e bem casado, cumpria todas as suas obrigações inerentes ao cargo. Herdeiro é cargo? No caso era. E tem mais: fazia ele a sua viagen junto aos súditos da sérvia, quando em 28 de junho de 1914 em Sarajevo, um membro de um grupo separatista ("mão negra", também conhecido como "Unidade ou morte") avançou sobre o casal real assassinando-os. Francisco Ferdinando morreu na hora e sua esposa a caminho do hospital. Este evento passou para a história como um dos estopins da I Guerra Mundial, que durou de 1914 a 1918. A Europa nunca mais foi a mesma. Os dirigentes daqueles países se desentenderam por, pelo menos, mais 27 anos, até o fim da II Grande Guerra em 1945. Pois foi justamente em 1945, a 28 de junho, que nasceu o baiano Raul Seixas. Cara, o Brasil nunca mais foi o mesmo! Falecido em 1989, faria hoje 65 anos...


domingo, 27 de junho de 2010

SUPÉRFLUOS... para cada um o seu.

Copa da África do Sul 2010

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Desde que vi “Alice no país das maravilhas” (Disney), em que o diretor Tim Burton resolveu alterar não só a idade da protagonista como alguns detalhes do enredo, estou “encafifado” com este livro. Resolvi, portanto, dar uma “fuçada” no assunto. Vou logo avisando que não sou da área e não pretendo produzir nenhum “paper” acadêmico, ou coisa que o valha. Mas, convenhamos, costumo ser contra reducionismos, versões e outras “pataquadas” comerciais que visam vendas e lucro apenas. Muito que bem: a priori me parece que a empreita recentemente levada aos cinemas foi com o único propósito de fazer algo em 3D e vender bastante. Aliás, todos que possuem alguma estorinha estão tratando de fazer isso. Até Buzz Lightyear e Shrek entraram na dança.
Mas voltando ao livro, encontrei diversas edições (muitas por sinal) e parece-me que apenas uma significativamente séria. Apesar das edições traduzidas por Monteiro Lobato e até Nicolau Sevcenko, existe uma tradução direta do original feita por Sebastião Uchoa Leite (1935-2003) e Augusto de Campos ( Fontana/Summus - 1977) que vale seu dinheiro. Ambos escreveram, também, um belo artigo sobre Humpty-Dumpty no número 1 da revista José em 1976. Fora isso existem dezenas de versões, umas pobres outras menos, com ilustrações ou sem, com o intuito de introduzir a petizada no habito da leitura. Salutar, se verdade fosse.
No cinema a coisa ficou um pouco mais complicada pois encontrei muito mais versões do que imaginava. A principiar por uma de 1903, do diretor inglês Hepworth, com mais ou menos oito minutos de duração. Interessantíssima versão em P&B (é claro) e bastante danificada pelo tempo, mas muito bem feita. Há também uma versão feita para a BBC em 1961, dirigida por Jonathan Miller, com trilha sonora de Ravi Shankar e atuações magníficas de Peter Sellers, Sir John Gielgud, Sir Michael Redgrave e outros. Estas duas versões podem ser adquiridas aqui no Brasil graças à Magnus Opus que lançou um DVD (“Alice in Wonderland”) com ambas e alguns outros extras.
De resto, há desenho animado de boa e de má qualidade, da Disney e outros. Alguns filmes para adultos também e até uma versão estapafúrdia chamada “Alice no país das drogas”, um verdadeiro desastre, que nada tem a ver com Lewis Carroll a não ser a tentativa de usurpar o título.
Agora, se resolvesse enveredar pela seara das interpretações, nesse caso de nada adiantaria ter três anos livres que não seriam suficientes para ler nem a metade do que se oferta. Vai de Wittgenstein, até Gilles Deleuze, passando por Antonin Artaud, Freud, Jung e muitos outros que se aventuraram desde a interpretação psicológica da obra até a semiótica, a gramatical e a sociológica. Cansei.


PS: A imagem lá de cima é do filme de 1903 e a daqui de cima é (na seqüência) facsimile da edição original (manuscrita), capa do livro cuja tradução foi de Sebastião Uchoa Leite e Augusto de Campos e capa do DVD da Magnus Opus - tudo foto minha

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Farrah Fawcett

Então... Tá lembrado daquele papo de que morrer em dia que morre o “famosão” é fria. Pois veja o caso da musa Farrah Fawcett que resolveu morrer no mesmo dia em que o Michael Jackson (25/06/2009). Danou-se! Tanto que sequer figurou no filmete que passa antes da cerimônia do Oscar para lembrar os que se foram, ou coisa parecida. A mulher, uma verdadeira Pantera, simbolo dos anos setenta, a do cabelo mais imitado etc e tal, nem é lembrada mais. Deve ter sido o Poster mais vendido do mundo, ou coisa parecida. Ela era casada com aquele tal de Majors e isso sempre alimentou a imaginação da rapaziada, ou seja, era mulher para Cyborg nenhum botar defeito. E ai, só porque morreu no mesmo dia que o deslumbrado da vez, o povo nem lembra dela. Como é que pode? Tanto pode, que “podeu”!

PS: imagem  google vomitou e eu juntei.
PS2: não me leve a mal, pois nada tenho contra o Michael. Aliás, tenho vários discos dele e muitas das musicas dele fazem parte da trilha sonora da minha vida...

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Quando Lucrécia Borgia viu um disco voador

Não posso afirmar com certeza, afinal, esta senhora morreu há quase 500 anos (1519) e, portanto, não tive oportunidade de dialogar com a mesma, ou se tive, não lembro. Com Ruth Cardoso e Milton Santos sim. Mas quem diria que estes morreriam todos no mesmo dia. Também, só existem 365 dias em um ano. Vai daí, vem daqui, que sempre morreremos no mesmo dia que algum famoso. Não pode ser na mesma hora, senão os jornais só falam do “famosão” e você Ó! Parece que tergiversei, mas não e explico: Uns quatro anos antes de Milton Santos morrer, se não me falha a memória, tive o prazer de assistir uma palestra sua em Bauru (SP). Naquela ocasião, com poucos gatos pingados na platéia do auditório da OAB, o professor permitiu que dialogássemos com ele no intervalo do café. Ruth Cardoso já não era assim. Era mais elitizada, sei lá. A sua simples presença inibia o pobre mortal. Coisas de primeira dama, talvez. E o professor nos falou de suas inúmeras viagens e da ocasião em que avistou um objeto por ele não identificado. Levou suas experiências para o túmulo, que é só para onde as mesmas vão, até porque não as pode dar a ninguém. Como morreu no mesmo dia em que Lucrécia Borgia o fez, parece-me natural e óbvio que ao dissolver suas experiências no etéreo, no escaninho do dia 24 de junho, lá estava Lucrécia para ver. Mais ou menos como o comedor de pecados que absorve os pecados do morto. Uma esponja sideral cósmica dividida em dias com o lugar de cada um e o espaço de todos. Não pense que perdi o juízo, perdi não. Está bem aqui comigo, na certeza de que esta é a única explicação possível para o tal do inconsciente coletivo. Até porque, ao conversar com o professor, minha concepção de disco voador incluiu a hipótese do Roberto Carlos que voa pela janela, fruto da briga do marido com a mulher. Mesmo um frisbee pode ser considerado, singrando o céu dos parques e das praias. Uma ou duas caipirinhas bastam. Mas como hoje é noite de São João, vamos de quentão.


PS: imagem vomitada pelo buscador do google.

ATARI

Olha, eu não sei quanto a você leitor, mas eu não ligo a mínima para estes jogos eletrônicos que os mais jovens veneram. Não gosto de achar que estou para emboscar e explodir ninguém, muito menos penso em roubar carros e sair batendo-os por ai a fugir da polícia. Também não vejo graça nenhuma em jogar futebol com controles eletrônicos. Bom, para falar a verdade, eu não sei jogar futebol usando controles eletrônicos e já cheguei em casa de amigos e levei mais de cinco minutos para perceber que a partida que estava a assistir, na verdade, era entre o filho da casa e seu amigo. Não ria... basta-me a vergonha de admitir isso.
Agora, se me der um ATARI na mão é melhor você ter mais o que fazer, pois vou levar horas para me lembrar de que existe mundo e gente nele. Entendeu? Pois bem, tem um site que tem ATARI de penca, aos montes, absolutamente free e on-line. E para lembrar que hoje seria o 99º aniversário de Juan Manuel Fangio, jogue um Enduro. Mas pode ser um River Raid (meu favorito) ou mesmo um Pac-Man, o importante é se divertir.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Vilanova Artigas

Nestes tempos de Copa do Mundo e da polêmica acerca da utilização ou não do Morumbi como estádio da abertura dos jogos, nada melhor do que lembrar os 95 anos do nascimento do Arquiteto João Batista Vilanova Artigas (23/06/1915). Afinal, dentre mais de 700 projetos seus, o estádio do Morumbi sobressai, tal e qual a Rodoviária de Londrina, a Rodoviária de Jaú e o prédio da FAU-USP.
Perseguido pela ditadura, passou por breve período de exílio retornando posteriormente não só para assumir seu lugar na FAU, mas para dar a São Paulo uma cara moderna e absolutamente especial. Faleceu em 1985 deixando um legado forte e consistente para várias gerações de arquitetos.



PS1: na primeira foto, o arquiteto sentado sobre sua criação, a cadeira preguiçosa. Na segunda a maquete original do hoje polêmico Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Copa do Mundo - 40 anos

Tenho visto muitos jogos, não todos é claro, mas o suficiente para saber que de alguma forma a coisa vai mal. Média baixa de gols, times com medo de atacar, como se defender fosse o objetivo. Pior que os times, só mesmo os árbitros, quase uma vergonha. De que adianta se vangloriar, se fez o gol com a ajuda do braço, uma dessas ilegalidades sempre execradas por nós, principalmente se o protagonista era argentino. Para espantar esses pensamentos, nada melhor do que lembrar a conquista definitiva da Taça Jules Rimet, feita há exatos 40 anos. Jamais esquecerei aqueles jogos, muito menos a final em 21/06/1970:


Copa do Mundo de 1970 no México - Ficha da Final

Final: 21/junho/1970
Brasil 4 x 1 Itália
Local: Estádio Azteca (Cidade do México)
Árbitro: Rody Glockner (Alemanha Oriental)
Gols: Pelé 18, Bonisegna 37 do 1º tempo; Gérson 20, Jairzinho 25, Carlos Alberto 42 do 2º.
BRASIL: Félix; Carlos Alberto, Brito, Piazza, Everaldo; Clodoaldo, Gérson, Rivelino; Jairzinho, Tostão, Pelé.
ITÁLIA: Albertosi, Burgnich, Cera, Rosato, Facchetti; De Sisti, Bertini (Juliano), Mazzola (Rivera); Domenghini, Bonisegna, Riva.

domingo, 20 de junho de 2010

Aniversário...

Pois é... quem faz aniversário em dia de trabalho, dia de semana ou como queiram alguns, dia útil, tem de amargar festa fora da data para poder ter os amigos na parada. Aliás, nem pensava nisso, pois se o fizesse, teria chamado mais alguns para o convescote. Fato é que meu cunhado e sua família vieram ver o jogo aqui em casa e a minha mulher armou a festa em conjunto com a minha mãe. O Brasil colaborou, a comida estava boa e todos comeram bem. No fim da TARDE assistimos o DVD duplo do Eagles que ganhei de presente. Passamos uma TARDE excelente, ou seja, esta foi uma Tarde demais!

sábado, 19 de junho de 2010

BIBLIOTECA BRASILIANA - USP


A BRASILIANA USP é um projeto da Reitoria da Universidade de São Paulo que permitirá o acesso para a pesquisa e para o ensino a maior Brasiliana (coleção de livros e documentos de e sobre o Brasil) custodiada por uma universidade em escala mundial, tornando-a disponível na rede mundial de computadores (internet). Concebido pelo prof. István Janscó (in memoriam), sob a coordenação do prof. Pedro Puntoni, o projeto BRASILIANA USP implica, portanto, a permanente interface entre as atividades fins da USP - formação de quadros, pesquisa e divulgação de resultados – articulados por um vetor estratégico de alcance nacional.¹
 
"Então, nestas alturas do campeonato, esse projeto e o prédio estão sendo construídos, a FAPESP deu o dinheiro para o projeto-piloto e estamos caminhando....
O problema é preservar a integridade do projeto, isso é o que mais me preocupa. O fato é o seguinte: nós temos o projeto-piloto que vai ficar pronto, nós vamos ter o acervo, nós vamos ter um prédio e vamos ter uma montagem que até agora as pessoas diziam tranquilamente que não ia dar certo e que seria melhor ficar longe disso. Agora que vai dar certo, vai ser o filet-mignon da área de Humanas, porque vai ser o que há de mais moderno em termos de tecnologia, vai ter um acervo extraordinário e vai realizar uma biblioteca digital. Você pode imaginar os apetites que isso não vai despertar? Apetites para o bom e para o ruim. É isso."²
 
 
² - depoimento do professor István Jancsó in "Um Historiador do Brasil - ISTVÁN JANCSÓ", editora HUCITEC, SP 2010, coordenação de Marco Morel, Andréa Slemian e André Nicácio Lima, pg 320.
 
³ - Tire as suas próprias conclusões... as minhas são inpublicáveis. Independente disso, acesse o site da BRASILIANA e desfrute de tudo que tem de bom. Vale o seu tempo.
 
 
Mapa da localização - pertinho da FFLCH
(Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas)

UM NOVO DIA

Nasceu um lindo sábado. Não fui à Academia por não saber a qual delas ir. São tantas já as de se exercitar e ainda as há, também, para discutir designios e profecias, quando não futuros. Tomei meus remédios, aqueles que me acompanharão até o fim, e dei a passada d'olhos pelo jornal, apenas para esperar o jogo. Afinal, Copa que se preze deve ser assistida, mesmo se o time for de Liliput. Uma estranha sensação de perda paira pela casa. Os livros estão na estante, como sempre, no entanto por sabê-lo morto parecem-me mais finos ou leves, não sei. O céu porém...insiste em ser azul. Não chove, não chora. Como fazer com a alma de um ateu? Haverá padres? "Curas" para males inexistentes... Afinal era português, morava em Espanha e propôs Iberia, a fusão. Taí: fundiu-se ele próprio com o Universo e o mundo acabou de ficar mais raso (como o disse bem, Cosme Rímoli, de quem empresto a imagem - http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/ )

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Minhas 200 línguas...

"Muitos acreditam que ser brasileiro e falar português são sinônimos, mas não são. Em um passeio rápido pelos diversos Estados brasileiros, é fácil perceber a diversidade do português falado. Palavras iguais com usos diferentes, palavras específicas de determinadas regiões, pronuncias mais abertas ou fechadas, falas cantadas, mansas ou aceleradas. Uma audição mais atenta irá reparar que há, ainda, outros falares. Além do nosso português, existem no Brasil diversas comunidades etnicas formadas por cidadãos que falam apenas a sua língua materna, aquela ensinada por seu grupo familiar. Ou que falam o português como segundo idioma, por necessidade de se comunicar com outros grupos. São comunidades indígenas, quilombolas e de descendentes de imigrantes. Juntas somam 1,5 milhão de pessoas falando cerca de 200 línguas brasileiras, sendo 180 indígenas. A existência destas línguas coloca o Brasil entre os oito países que concentram mais da metade das línguas do Globo, ao lado de Paua-Nova-Guiné, Indonésia, Nigéria, Índia, México, Camarões e Austrália".
Que saber mais, desse e de outros assuntos? Acesse: REVISTA DA CULTURA e divirta-se a valer. Dá inclusive para baixar os exemplares em PDF ou tornar-se assinante. Dê um clic... afinal, não é por não morar perto de uma livraria dessas, que você vai deixar de saber das coisas. E tem mais: já tem uma loja dessas em Fortaleza  lá no Shopping Varanda Mall! Vai lá tomar um café.

PS: Lojas em Sampa (5), Campinas, Brasília (2), Porto Alegre, Recife e Fortaleza. Breve em Salvador.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Ricardo III, Al Pacino e José Serra

Até parece que eu estou vendo a sua cara. Mas o que é que estas três figuras fazem no título deste blog? Simples, o primeiro é a personagem de Shakespeare, o segundo o interpretou no cinema e o terceiro... Bem, o terceiro é a sua personificação na realidade política do nosso país. Não são meras coincidências, nem eu sou o gênio que viu esta relação. Trata-se nada menos do que do Gustavo Franco, ex Presidente do Banco Central, cuja palestra tive o privilégio de assistir. Ele acaba de lançar seu mais novo livro, "Shakespeare e a Economia" no qual identifica e explora o mundo econômico financeiro daquele autor. Na verdade este livro contém dois ensaios complementares, um assinado por Gustavo e outro, datado de 1931, de Henry Farnam. Gustavo também é o autor de "A Economia em Pessoa" e "A Economia em Machado de Assis". Este último faz parte da minha biblioteca e hoje foi devidamente autografado. 
Ele também assina artigo no mais novo número da Revista Dicta & Contradicta, "Shakespeare e a política no Brasil", que justifica de certa forma a alusão do título deste post.



Boas leituras a todos

terça-feira, 15 de junho de 2010

Relatório Saville

"If you had the luck of the irish,
You’d be sorry and wish you were dead.
You should have the luck of the irish,
And you’d wish you was english instead."

Lennon já sabia, até eu já sabia, mas o governo britânico precisou de 12 anos (na verdade quase 40) e mais de quinhentos milhões de reais para descobrir o óbvio: o domingo sangrento (Bloody Sunday) de 30 de janeiro de 1972 foi obra e graça do exército de Sua Majestade contra civis inocentes e desarmados.


 UAU! Eu heim! Mas, pensando bem, melhor assim... a História em pratos limpos. Compare com a Guerrilha do Araguaia ou a questão dos desaparecidos aqui no Brasil. Pense nisso. Talvez fosse bom se nós também nos dispuséssemos a gastar doze anos (na verdade quase 40) e quinhentos milhões de reais...

Estréias...

A lembrança trai, como sempre traiu, mas a lembrança que não é nossa, quando tomamos emprestada a lembrança dos outros... como é que fica? Pois eu estava para estrear, faltava uma semana, e naquele 15 de junho de 58 estrearam Pelé e Garrincha. Não foi uma estréia como a de hoje, sofrida e com gosto amargo no final. Não, foi estréia de ganhar da Russia por dois a zero. Dois tentos de vavá, portanto nenhum de Pelé ou Garrincha, os estreantes que passaram em branco. Se for ver por esse lado, a estréia de hoje não passou em branco e na já propalada burocracia do Dunga ainda levamos a melhor com três pontos e a liderança do grupo. Dunga é assim mesmo, vai pelas beiras, de um em um, papando lentamente e sem emoção os títulos que se lhe põem no caminho. Assim espero.


PS: depois que eu estreei, a cada jogo o Brasil fez cinco. Cinco a dois na França e cinco a dois na Suécia. Apesar de não lembrar de nada disso, posso garantir que a minha primeira semana de vida foi muito emocionante.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

15 anos sem Rory Gallagher

Simplesmente o melhor e maior guitar player que o planeta Terra jamais viu. Acho que jamais verá igual. Melhor? Impossível! Vê-lo e ouvi-lo tocar me fez ter certeza que esse instrumento não era pra mim.



Aproveite você também um pouco desse gênio.
e se quiser saber mais, acesse: http://www.rorygallagher.com/

domingo, 13 de junho de 2010

PODE COMEMORAR ! ! (ou sentir inveja, se for o caso...)

Com caneco da Copa ou sem "Comemore, torcida palmeirense! Se a semana já estava alegre com a chegada do Gladiador Kleber, agora ficará ainda mais agitada com o anúncio oficial da contratação de Felipão." ¹ Sim, caro palestrino, Luiz Felipe Scolari está de volta e com ele o sorriso na nossa cara também.
PS¹: palavras do Presidente Belluzzo

UM DIA ESPECIAL

Hoje atingi duas marcas importantes. A primeira, benfeitora da saúde, é a de que hoje completo UM ANO sem fumar e meu pulmão agradece. A segunda, benfeitora do ego, é a de que hoje, pela milésima vez, os utilizadores do site OLHARES (no qual publico desde 2007) marcaram uma foto minha como favorita. Além disso, hoje é um lindo domingo.

sábado, 12 de junho de 2010

NOITE DE AUTÓGRAFOS

Neste sábado estivemos em Sorocaba no lançamento do livro de sonetos da escritora Helen De Rose em concorrida noite de autógrafos, com a presença de vários outros autores e representantes de órgãos da imprensa regional. O livro com o sugestivo título "Declaração de Amor" só podia mesmo ser lançado no dia dos namorados. Nossos parabéns à autora e a seu belo trabalho.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

SEBO ou ALFARRABISTA

Eu não sou de ficar fazendo propaganda, do nada, sem mais nem menos. Até hoje, também, ninguém achou legal me pagar pra eu ficar falando de seus produtos, serviços ou lojas. Mas quando encontro algo realmente útil, que transcende a condição de comércio e passa à categoria das coisas indispensáveis, assim como oxigênio, chá verde e chocolate... neste caso eu divulgo com prazer. Portanto, se você está atrás "daquele" livro ou "daquele" autor já faz algum tempo, ou só encontra edições caras, dê uma olhada nos Sebos de sua cidade pois por lá pode estar a solução de seu problema. E se você me responder que Sebo é um lugar sujo - no mínimo empoeirado - geralmente no centro da cidade e com tipos estranhos nas cercanias; a solução dos seus problemas está em http://www.estantevirtual.com.br/ . Trata-se de um "site" com mais de 1700 Sebos e 24 milhões de livros ao alcance de um único "click". Gente séria, pode confiar.

E A COPA CHEGOU...

E a Copa chegou...Será que a Copa vem?

PS: foto obtida na exposição "A Pátria de chuteiras"
PS2: este "post" é o de número 500 deste blog!

terça-feira, 8 de junho de 2010

patrimônio público

Custou muito dinheiro ao contribuinte e gerou muita arrecadação e lazer. Hoje está abandonado a espera de que desabe no poço. Quem responde por isso? Trata-se do elevador que descia no fosso de uma das Furnas lá no Parque de Vila Velha no Paraná. Localizado a mais ou menos 20 Km de Ponta Grossa ou 80 Km de Curitiba era lazer garantido para moradores das redondezas e viajantes. Eu conheci estelugar aos 5 ou 6 anos de idade e vi minha mãe ficar branca de medo quando meu pai atravessou uma cerca de arame farpado para ver o buraco de perto. É claro que ele não viu nada por conta do mato alto e do medo de chegar perto demais e despencar 50 metros para o famoso "nunca mais". Muitos anos depois fiquei sabendo que haviam inaugurado esta infraestrutura com elevador panorâmico e tudo o mais e fui rapidamente visitar. Voltei lá casado, depois com filhos, depois descasado e neste feriado queria mais uma vez descer naquele buraco. Pois foi uma decepção. A atual administração do lugar desativou o elevador e está esperando que o mesmo desabe no buraco, por falta de manutenção e bom senso.

domingo, 6 de junho de 2010

Vila Velha

Tai um lugar sensacional que foi invadido por ecochatos xiítas. Pode até ser que melhorou em muitos aspectos, tipo menos depredação, menos souvenir, menos visitantes, mas convenhamos... ficou militarizado, cheio de sargentos: Não pode ver quando quer (só quando eles autorizam), não funciona mais o elevador de Furnas, não isso e não aquilo. UAU! Qualquer dia desses eles proíbem a presença de pessoas, isso sim. Eu sou do tipo que pensa que preservar é um compromisso com as gerações futuras. Eu disse: preservar! Olhe, no meu dicionário isso significa que eu posso ver, usar, participar sem estragar. Preservar sem a minha presença me parece um pouco radical demais. A Lua, por exemplo, é preservada e eu ainda posso ficar olhando. Mas o que os ecochatos xiítas querem é que você nem possa ver. Afinal, talvez, você possa vir a assustar algumas minhocas, pernilongos e urubus. Esse é um dos grandes males desse nosso imenso e "buRRocratizado" país: do oito  para o oitenta em apenas alguns segundos.

sábado, 5 de junho de 2010

MEIO AMBIENTE

Dia Mundial do Meio Ambiente. Nada melhor do que celebrar a exuberância da natureza em sua plenitude. Dia de sol e Mata Atlântica, isto sim, uma combinação perfeita, ainda mais à bordo do Serra Verde Express que liga Curitiba a Paranaguá. Descemos em Morretes para um almoço em que nos foi servido um caldo de camarão cujo nome oficial era moqueca. Depois de adicionar farinha de mandioca e pimenta, até que ficou bom. A alternativa local é o famoso Barreado, coisa que respeito mas não aceito.

CURITIBA


Curitiba é uma palavra de origem Guarani: kur yt yba quer dizer “grande quantidade de pinheiros, pinheiral”, na linguagem dos índios, primeiros habitantes do território.