PINTEREST

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Glauber Rocha anistiado

Quase 29 anos após a sua morte, o cineasta baiano Glauber Rocha (1939-1981) deverá ser reconhecido como anistiado político pelo Ministério da Justiça nesta quarta-feira (26), em Salvador (BA). O julgamento do processo iniciado por Paloma Rocha, filha do cineasta, em 17 de maio de 2006, será concluído pela Comissão de Anistia no teatro Vila Velha, no centro da capital baiana. 
Aliás, qualquer um que se sentiu perseguido no período compreendido entre os anos de 1946 e 1985 pode fazer uma solicitação de anistia e ou reparação incluindo ai uma pensão vitalícia. O Estado e o nosso imposto pagam com prazer; pois segundo o Ministério da Justiça, cerca de 55 mil solicitações de anistia já foram julgadas pela Comissão de Anistia. Do total, 14 mil casos receberam algum tipo de reparação econômica e 18,5 mil pedidos foram negados. Em outros 22,5 mil processos, o Estado pediu desculpas aos atingidos. Há ainda 11 mil processos aguardando definição em primeira instância e mais 3.500 com solicitação de recurso.
Com as indenizações, o governo já desembolsou R$ 2,4 bilhões. Para o cálculo das indenizações são levadas em consideração duas situações: um para quem não tinha vínculo laboral na época –cujo valor pode ser de até 30 salários mínimos por ano de perseguição, até um limite total de R$ 100 mil–, e outro para quem tinha trabalho, ou seja, é levado em consideração a possível progressão na carreira –essa categoria não tem limite de indenização.
Além do cineasta, o Ministério da Justiça já concedeu a anistia a outras personalidades. Em 2008, os escritores Ziraldo Alves Pinto e Sérgio de Magalhães Gomes Jaguaribe, o Jaguar, receberam uma pensão vitalícia de R$ 4.375,88 e uma indenização de R$ 1.027.383,29 e R$ 1.000.253,24, respectivamente. Em abril deste ano, o dramaturgo José Celso Martinez Corrêa foi contemplado com uma pensão vitalícia de R$ 5.000 e mais R$ 569.083,33 retroativos.

FONTE: UOL e GOOGLE

Um comentário:

Gláuber disse...

Bela foto de Gláuber