PINTEREST

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Caixão de ouro...

Para manter o tema mórbido do dia, que não é o costume por aqui, mas calhou de acontecer, sou obrigado a tecer comentários quanto à criatividade na hora da morte, amén. Pois então: já não bastava o morto ser velado sentado em uma moto, agora me vem o mafioso australiano e arruma um caixão de ouro para nele ser enterrado. Ou ele descobriu um jeitinho de levar dinheiro para o outro lado, ou é uma nova modalidade de lavagem ou, ainda e definitivamente, este senhor não ia com a cara dos seus herdeiros. E eu falei por telefone com a senhora Blogharty (minha correspondente em Melbourne) e ela me asseverou que pouco antes de morrer, segundo a vizinha da prima da amiga da governanta dele, a vó dele tinha dito que: "ele fará, ó!" Viu? Eu sabia: Coisa de Faraó.

FOTO: UOL

A Vida imita a Arte?

Na passada d'olhos, sobressaltou o seguinte:
29/04/2010 - 20h36 FOLHA DE SÃO PAULO
Corpo de entregador é velado sobre a própria moto
da Reportagem Local
Um maluco foi velado sobre sua moto, sentadinho, como se a pilotasse. Isto lá pras bandas de Porto Rico. Imediatamente me lembrei de Rosário Tijeras, um filme colombiano que vi fazem alguns anos. Neste filme, Rosário e seus amigos levam um defunto para sua última balada e fazem uma stripper dançar na sua frente.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

VERTIGO

Para lembrar os trinta anos da morte do Mestre do Suspense Alfred Hitchcock resolvi colocar este filme, que dentre os 54 sucessos, foi o que ele fez em 1958. Um clássico constantemente lembrado como um dos dez melhores filmes de todos os tempos pela revista "Sight & Sound". É evidente que não se pode contar o filme mas neste, Kim Novak e James Stewart estão de matar... Vertigo, que no Brasil é conhecido como "O Corpo que cai" foi restaurado, sendo que pode e deve ser apreciado muitas vezes. No mínimo o cidadão deve ter uma cópia em casa, pois este é um daqueles filmes que precisam ser vistos várias vezes. Hitchcock não é só o Mestre do Suspense, mas também o Mestre dos Detalhes, sempre se superando em suas aparições em determinado momento do filme. Neste, por exemplo, ele aparece andando em uma calçada... O que foi? Pensou que eu ia dizer quando? kkkkkkkkkkkkk Qual é a graça de você ver então? Bom filme.

PS: Por quê 58? Ora, foi o ano em que o Brasil ganhou a primeira Copa do Mundo... 

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Fast-Food

Este é o Fast-Food Húngaro. Vendido nas esquinas de Budapest em carrinhos, mais ou menos como Hot-Dog em N.Y.
Quem puder e quiser conhecer, não vai se arrepender, mas convém esconder a balança do banheiro por alguns dias e marcar hora extra na academia.

CAATINGA

Instituído através de decreto presidencial, de 20 de agosto de 2003, o dia 28 de abril foi escolhido como Dia Nacional da Caatinga. O patrimônio biológico da caatinga não é encontrado em nenhum outro lugar do mundo além do Nordeste do Brasil. Inclui áreas do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e o Norte de Minas Gerais. 
Infelizmente, o estudo minucioso da caatinga não trouxe boas notícias. Os pesquisadores constataram que esse é o terceiro ecossistema brasileiro mais degradado, atrás apenas da Mata Atlântica e do cerrado. 50% de sua área foram alterados pela ação humana, sendo que 18% de forma considerada grave por especialistas. A desertificação apresenta-se bastante avançada.
A percentagem das áreas de caatinga protegidas por reservas e parques é ínfima: 0,002%, segundo o Ministério do Meio Ambiente.
O Ministério do Meio Ambiente já declarou seu interesse em transformar a caatinga em patrimônio nacional e assumir para si a responsabilidade da proteção. Muito lindo, mas é apenas mais uma dessas coisas que vão ficar no papel, ainda mais se for questão eleitoreira em ano eleitoral. A Marina gostaria, a Dilma já não vai implementar e o Serra nem vai tomar conhecimento. A sorte é que o Brasil é maior que esta gente e a rede de Universidades estaduais e federais do Nordeste não esta dormente. Os professores destas regiões desenvolvem pesquisas e propõe soluções adequadas para o manejo e a preservação, sendo certo que muita gente boa anda envolvida e atuante. Resta passar para a comunidade, envolvendo-a com atitudes proativas e educação ambiental.

Vá conhecer. Você vai adorar!

FOTOS: Eu, myself in loco, Rio Grande do Norte, 2008

terça-feira, 27 de abril de 2010

Aniversário do PACAEMBU

Nosso querido PACAEMBU, aliás Estádio Paulo Machado de Carvalho, faz 70 anos hoje. Desde a minha infância tenho um carinho especial por este lugar. À medida que eu crescia o Pacaembu foi encolhendo, mas nada foi tão drástico como a demolição da belíssima Concha Acústica , para dar lugar à construção mais feia de todos os tempos: o Tobogã. Exconjuro quem projetou, quem teve a idéia, quem ousou construir e até quem inaugurou esse tal de Tobogã. No Pacaembu assisti jogos memoráveis, jurei a Bandeira quando dispensado do Exército, participei de "n" cerimônias cívicas e assisti a shows ótimos. Lugar extraordinário que vai além do campo de futebol, primeiro pelo complexo de quadras e piscinas que possui e mais recentemente pelo Museu do Futebol. Museu, aliás, de nível internacional, multimídia e interativo, do tipo passeio obrigatório, tal e qual o Museu da Lingua Portuguesa (mas isto já são outros 500).


FOTOS: 1) cerimônia de inauguração (Vê-se a Concha Acústica bem), 2) época da construção (notem o bairro quase deserto), 3) vista aérea atual na direção contrária da foto ao lado (ao fundo o bairro das Perdizes) - Fotos todas da NET. Caso você seja o autor ou detenha os direitos, entre em contato para que possamos dar o devido crédito.

Dia da Empregada Doméstica

Com direitos trabalhistas diferenciados, a empregada doméstica sofre para deixar sua condição de quase escrava. Ainda hoje, em pleno século XXI o FGTS desta categoria é opcional. Possui menos folgas, um horário de trabalho estendido e, no mais das vezes, dorme em uma dispensa que chamam de quarto de empregada. Como a legislação para aprovação de plantas não permite este aviltamento, as construtoras para aprovarem as plantas dos prédios de apartamentos, no mais das vezes escrevem dispensa lá aonde, depois, vão escrever quarto de empregada na peça publicitária. A Prefeitura aprova a planta, finge que não vê e a população compra fazendo de conta que lá se pode dormir, passar anos de sua vida, mesmo sabendo que mal cabe a cama e muitas das vezes nem janela tem. É ou não é para achar que ainda temos saudade da escravidão?
Mas no site do IBGE, pasmem (mas fiquem mesmo boquiabertos!) está escrito assim: "É um trabalho difícil e, por estas e outras, as empregadas domésticas vêm sendo cada vez mais valorizadas hoje em dia. Com isso, conseguem fazer valer seus direitos. A recente conquista do depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FGTS - mesmo que opcional para o empregador, é sinal de que os tempos mudaram."
No Distrito federal, por exemplo, das mais de cem mil empregadas e empregados domésticos apenas dez por cento possuem Carteira Assinada. E é por lá que se exerce o poder, se fazem as Leis... Imagine, então, no resto deste vasto e imenso território.
Muitas pessoas respondem: mas se registrar fica caro! Oras bolas, digo eu. Se é caro, ou preciso ganhar mais ou esse serviço eu não vou consumir. Não é assim que você se comporta no Shopping? Então, porquê a empregada pode ser explorada? Você aceitaria trabalhar em um grande escritório, um Banco ou Hospital mais de oito horas por dia, apenas com uma folguinha semanal, com menos férias e sem FGTS, se sujeitando aos caprichos e manias de alguém? Detalhe: só pega no pesado... Responda sinceramente.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Chernobil

Em 26 de Abril de 1986 aconteceu o acidente nuclear de Chernobil. Segundo dados, hoje conhecidos, 75% da Europa foi atingida por algum nível de radiação. Passados 24 anos, o que a Europa já fez a respeito? Quanto da verdade ainda não foi revelada? Alguém está monitorando as populações atingidas? Os evacuados ainda estão vivos? Em que condições? São muitas as perguntas e, neste momento em que se discute se o Iran pode lidar com este tipo de energia, seria bom ter algumas destas respostas. Nós temos algumas pessoas brincando de produzir energia com reatores nucleares em Angra dos Reis e às vezes eu me pego imaginando o “Day after” daquele paraíso. Sou exagerado, paranóico ou simplesmente realista? Com a palavra a NUCLEBRÁS...

FOTO: feita em Chernobil por Alain Gilles Bastide (2005)

domingo, 25 de abril de 2010

Dois Aniversários...

Dois são os aniversariantes de hoje: Paulo Vanzolini e Ella Fitzgerald...



25 de ABRIL

Este é um dia muito especial. Há muito o que dizer, um livro por escrever... Mas ninguém foi mais sucinto do que Chico Buarque em TANTO MAR. Assim, nada mais resta senão reproduzí-lo aqui:

Sei que está em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim
Eu queria estar na festa, pá
Com a tua gente
E colher pessoalmente
Uma flor no teu jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, que é preciso, pá
Navegar, navegar
Lá faz primavera, pá
Cá estou doente
Manda urgentemente
Algum cheirinho de alecrim

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
Ainda guardo renitente
Um velho cravo para mim
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto de jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Canta primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim

FOTO DAQUI

sábado, 24 de abril de 2010

GENOCÍDIO DOS ARMÊNIOS - 95 ANOS

Gente, vamos falar de coisa séria. Pois então, hoje, vinte e quatro de abril é data nacional na Armênia. Eles lembram o genocídio dos armênios por parte dos turcos (acobertados pela primeira Guerra Mundial) em 1915. Este genocídio, que começou na noite de 24 de abril com o sequestro e assassinato de mais de seiscentos intelectuais e políticos armênios, exterminou mais de um milhão e meio de armênios e seus descendentes. Além do extermínio o evento gerou uma diáspora que espalhou armênios pelo mundo, obrigando-os a viverem como apátridas. Os turcos não reconhecem o evento como genocídio até hoje o que, convenhamos, se trata de brincar de avestruz. Minha avó materna era descendente de armênios por parte de mãe e, portanto, uma pequena parte desse sangue ainda corre aqui. Assim, não posso deixar de lembrar esse evento histórico e aproveitar para mostrar minha indignação pelo fato de que o Brasil ainda não reconheceu oficialmente o evento como Genocídio.



MAIS INFO AQUI

sexta-feira, 23 de abril de 2010

The book is on the table...

Então... Povos da Floresta: Uni-vos! Brasileiros de todas as partes do país, invejem o Rio de Janeiro nesta ensolarada sexta-feira de abril: hoje é dia de São Jorge, um feriado carioca. Mas o que se faz mesmo em feriados que emendam da terça à noitinha até o “Fantástico” do domingo seguinte? Olhe, fosse eu morador da orla do corcovado, certamente teria ido ter com minha prancha lá para os lados de Saquarema já desde a sexta anterior. Certamente não ia me abalar com dois dias de trabalho perdidos entre uma segunda e uma terça. Inútil conjecturar, não moro lá... Mas, de qualquer modo, supondo-me por lá neste dia (em que por cá, os compromissos assombram) certamente tiraria o dia para poder ler Shakespeare e Cervantes, escutando Pixinguinha e Leo Jaime com caipirinha. Não deve ser fácil... admito, mas foi a única maneira de todos estes estarem na mesma frase. Efe, erre,”A”, esse, “E” = frase. Bebam, refestelem-se, comemorem pois hoje é dia Mundial do Livro e dos direitos de autor. Afinal, talvez não houvesse liberdade não fossem estas duas coisas, livro e direitos de autor... Neste singelo 23 de abril no ano de mil seiscentos e dezesseis da era de Nosso Senhor Jesus Cristo, Shakespeare e Cervantes resolveram não mais habitar este mundo. Uma data assim só podia ser homenageada pela ONU. O nascimento de Pixinguinha e de Leo Jaime é só para lembrar que este só pode ser um dia especial. Aliás, que eu saiba Shakespeare também nasceu em um 23 de abril de 1564. Agora, muito cuidado ai: se você é fotógrafo ou cineasta e foi batizado de Otto, muito, mas muito cuidado! Ottos que se metem com imagens costumam falecer neste dia. Otto Preminger e Otto Stupakoff que o digam. Nossa, quanta coisa num dia só... se soubesse que ia ser tão movimentado, não teria aceitado um convite para almoçar com o Prefeito de Araçariguama...

quinta-feira, 22 de abril de 2010

RG

O presidente da tribo amanheceu de ressaca, depois de algumas cevadas fermentadas que não desceram redondas e foi direto para o espelho de água vomitar. A cada golfada contava mais uma ruga na testa. Riu com os ombros tremidos: Quinhentas e dez rugas!
O presidente da tribo estava com a cara vermelha e não mais toda lisa, mas começou a barbear-se com lâmina à bateria! Vaidoso, lambuzou a cabeleira comparada às asas de um anum preto, com condicionador espremido de um bicho-da-seda... E gargalhou ao ver sobre a peneira da parabólica o “chefe” da FUNAI, que era casado com a indígena Letícia, tentando, com um lenço branco, emitir mensagens de paz abanando fumaça das queimadas criminosas que não via!
O presidente da tribo estava enfadadiço! Desamarrou sua vitória regia e deitou sobre ela, fumando um malboro sem filtro. Desencapou uma bala de menta, sabor artificial e mastigou enquanto espirrava uma essência perfumada in natura pelo corpo: protetor solar!
A tarde passou escorrendo... Vestiu a camisa do Milan, do Berlusconi, e saiu caminhando devagar. A noite vinha correndo... Acendeu o farolete e falou ao celular. Estava reflexivo... depois deu de ombros ... Afinal, só não haviam achado ainda seu RG, que havia perdido na nau furada. Foi deitar no sofá da taba e assistiu a 22ª reprise do exterminador do futuro pela TV antes de adormecer.


PS: Recebi o presente texto da poetisa Gladys Ferreira com especial autorização para aqui publicar... desfrutem-no.

PS2: IMAGEM DAQUI

PS3: Hoje comemora-se a chegada do primeiro turista europeu ao Brasil... Pedro Alvares Cabral desembarcou em 22 de abril de 1500 na Bahia. Não sei que agência ele usou, mas os caras sabiam das coisas, mandaram ele logo para Porto Seguro, Trancoso e Arraial da Ajuda. Belíssima escolha.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Mary and Max

Este stop-motion com massinhas, espetacularmente repelente, com tons cinzas ou marrons e quase total ausência de outras cores em nada contribui para o bom humor de quem quer que seja. Jamais leve seu filho para ver a menos que queira criar um neurótico compulsivo e de alguma forma agorafóbico. Já bastam para tanto o videogame e o computador que você comprou no Natal passado. As massinhas ambulantes protagonizam a animação mais depressiva do planeta, sendo certo que a improbabilidade tanto do encontro como do relacionamento de ambas as personagens é tão grande que acaba dando certo. Você ri no começo e chora no final. Nem parece que se trata de massinhas a partir de certo ponto, apesar de que a pureza das personagens logo permite ver que não são humanos. São ingênuos e pueris, mas te fazem pensar na sua vida, em como você não se relaciona com as pessoas à sua volta, sejam pais ou vizinhos. As perguntas mais idiotas possíveis permeiam a correspondência de duas pessoas que além de não se conhecerem não possuem nada em comum. Absolutamente nada. São parceiros de correspondência, ou amigos por correio (pen-pal), uma destas coisas extintas, muito em voga em décadas passadas, substituídas pelos amigos virtuais online. Talvez se o filme tratasse das figuras do orkut/messenger, ou coisa que o valha, não tivesse tocado tanto. Ao mesmo tempo, mostra porquê estas formas virtuais de relacionamento se expandiram tanto. Adam Elliot (que escreveu e dirigiu Mary and Max) escolheu dois personagens confusos e com alto potencial de patologia. Totalmente depressivos e improváveis de poderem existir na mesma tela em um cenário quase incolor, repulsivo e, ainda assim, mais interessante e detalhado do que os protagonistas, talvez por pretender exatamente o que conseguiu: a reflexão. O filme todo é um absurdo, mas atinge o objetivo de fazer pensar nas relações com os parentes e os vizinhos. Afinal de contas, o que é uma amizade? O que acontece, enfim, para que uma pessoa consiga se relacionar, conversar e fazer amizade com um “outro” que nunca viu? Como é que sequer cumprimentamos os nossos vizinhos e mantemos grandes e demoradas conversações com estes seres milhas e milhas distantes? Qual a lógica nisso? Nenhuma... E é exatamente esta falta de lógica que é explicitada neste Filme comovente.


Mary and Max, vá ver mas deixe seu filho em casa.

21 de Abril...

Hoje pode ser tudo. Hoje é tudo. Estou até meio confuso. Trata-se do dia mais cheio de acontecências (essa palavra não existia até agora, mas agora já existe). Tiradentes, Pero Vaz de Caminha, Tancredo Neves, feriado no meio da semana, péssimo para o escritório, bom para o Blog. Não sei mais. Aniversário de Brasília, aniversário da colega janaína Amado (do Blog Mínimo Ajuste) e Niemeyer comemora... Lucio Costa e Kneese de Melo já viraram história. Lembro do Kneese professor, dele e do Maurício Nogueira Lima, do Eduardo Corona... old good friends, no longer here. Saudade. Mas minha cabeça está rodando, como se a Elis tivesse me dado Whisky com guaraná, mas é por causa da Mary e do Max, sem contar o Chico Xavier (todos atualmente nos cinemas), e do Bauby que a Gladys comprou na FNAC. O Escafandro e a Borboleta é o terceiro filme que me faz chorar esta semana (antes foram Mary e Max e Chico Xavier). Assim fica difícil...Quem é a Santa de plantão? Estou só comendo salada, correndo quase 15 km por semana, fazendo 120 abdominais por dia e a balança do banheiro foi colada com superbonder, não sai dos oitenta e sete quilos. Só quando o gato sobe nela é que ela mostra o número cinco. Comigo vai direto para o oitenta e sete. Ironia isso, do gato ficar subindo na balança, sentar lá e miar, como que a me dizer que eu tenho que emagrecer no mínimo cinco quilos. Gato chato.


PS: Para os aniversariantes, Flores. Muitas Flores.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

DIA DO ÍNDIO

ÍNDIO? O que vem a ser isso? Quando criança, não por culpa minha é claro, eu achava que índio era Sioux ou Apache e que chamava Winnetou ou Touro Sentado. Precisava ser combatido e abatido. Depois aprendi que índio era aquele bêbado inofensivo, de calçãozinho vermelho e havaianas que vendia colarzinho na beira da rodovia e era amigo do Villas-Boas. Um belo dia apareceu no Congresso Nacional de gravador a tiracolo... Sarney que o diga. Mais tarde fiquei sabendo que índio é aquele no qual se pensa poder por fogo... no banco da praça. Procurei dar outra versão aos meus filhos, inclusive levando-os para visitar uma aldeia Guarany. Não foi fácil e não serviu para muita coisa, mas eu tentei.

domingo, 18 de abril de 2010

CONCURSO PÚBLICO - DIVULGAÇÃO

As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet no site da prefeitura de São Roque (http://www.saoroque.sp.gov.br/), pelo link Cidadão on-line – Concurso Público 2010, a partir das 10 horas do dia 26/04 e seguem até as 16 horas do dia 13/05. Lá o candidato encontrará a ficha de inscrição, bem como o boleto bancário, com a taxa específica para o cargo escolhido.

Esta publicação tem vários motivos. O primeiro é o de facilitar eventuais interessados a um emprego estável em uma cidade deveras aprazível. O segundo é o de divulgar vencimentos para que outras regiões possam comparar seus salários com os daqui. É claro que muitos lugares no Brasil pagam mais e melhor, mas é sempre bom se ter uma idéia. E, terceiro, para dar continuidade à discussão sobre educação e aproveitar a oportunidade para perguntar se isso é salário que preste para ser pago a um professor: R$ 7,55 por hora. Chega a ser vergonhoso!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Escola

Há muito me preocupa a Escola. Não aquela a ser frequentada por meus filhos, pois estes já o fizeram, e bem. O que me preocupa verdadeiramente é a qualidade do ensino oferecido aos pequenos. Sabemos de que nada adianta educar se não na primeira infância. Eu sei, o caro leitor sabe. Pode até discordar e confundir treinamento com educação, mas sabe. Ora, neste sentido, educação é matéria de Estado. Não é dos pais que se deve esperar algo de sério e consistente. Sou convicto nesta tese. E, para piorar minhas reflexões, o ESTADO é ausente. Não há uma política, não há diretriz e, por conseqüência, não há horizonte.
A ausência do Estado é crônica. Primeiro não interessava às elites ensinar ao povo. Posteriormente, as sucessivas ditaduras trataram de demolir o pouco que havia de qualidade nas escolas. Pensar era perigoso. E desde que nos livramos delas (das Ditaduras, é claro), nossos políticos nada se moveram, nada fizeram e pouco investiram. Os bons propósitos daqueles poucos que fizeram constar no texto constitucional a obrigatoriedade de um investimento certo e desejado foram conspurcados ao longo dos anos. Sim, pois já vi até aqueles que se vestem de cordeiro oPTarem por entender que merenda faz parte do investimento na educação. E assim vai se vivendo, a cada ano, a cada eleição, uma promessa, um devaneio, uma desilusão.
O propósito deste texto, no final das contas, é o de instigar, lembrando a todos a obrigação cívica que se avizinha para outubro e, além disso, mostrar que no Rio de Janeiro acharam a solução para todos os males.
Vejam os caros amigos que, nas terras tão almejadas por Villegagnon, de hoje em diante será proibido o uso do boné. O problema estava no boné, caríssimos, no Boné! (Assim identificaram mais um instrumento do colonialismo Yankee ao que parece) O Boné que, ao apertar a cabeça das crianças, impedia a livre circulação do sangue ricamente oxigenado pelas idéias frenéticamente modernas (e revolucionárias) da comunidade. É claro que o uso do celular em sala de aula também fica proibido e, além disso, os alunos passaram a ter obrigações, tais como, aguardar o professor em sala, sair da mesma somente com autorização, acompanhar semanalmente o hasteamento da bandeira e fazer o dever de casa. Ficaram proibidos também os adereços de conotação sexual e as agressões físicas e verbais. Fiquei pasmo! Custei a crer no que meu jornal insistia em me mostrar. Tirei foto até. Senhores: será que então até hoje cedo, na Cidade Maravilhosa, era permitido o que passou a ser proibido? Será? Se alguém souber algo que não sei, ou que entendi errado, por favor me avise.

IMAGENS: FOLHA

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Lost in Space

O mundo, definitivamente, está a perder o Juízo. Para muitos filósofos está a se perder aquilo que jamais se teve. Na minha modesta opinião, porém, não se está perdendo nada. Não há o que perder, pois simplesmente não existe certo e errado. Não existem ditames a serem seguidos. Não existe um Príncipe ou um Papa capaz de aglutinar o povo, na força, no medo ou na conversa. O que existe são padres falando bobagem, Governadores contratando strippers, alunos cada ano desaprendendo mais e o povo (ora o povo) cada vez pensando menos. Portanto, caros amigos, o ano de 2010 se afigura no rol dos de bom augúrio, pois além de os estrangeiros nos garantirem que haveremos de crescer 7% (Nem o Ministro Mantega conseguiu ser tão otimista), teremos eleições e Copa do Mundo, muito churrasco e cerveja, algum carnaval e a certeza plena de que em domingo de sol “vai dar praia”... a minha, a sua, a nossa praia!
Enquanto isso Falcão continua em busca de seus trezentos gols no Futsal, Neymar está a fazer vários por jogo, Diego Hipolyto vai fazendo história e Felipe é Massa. Lula certamente será um excelente Senador, com casa na beira do Paranoá, José Dirceu terá a Banca mais formosa do Planalto (e não estamos a falar de revistas...) e Rita Cadillac vai lotar as salas de cinema. Ou seja, as fábricas de fogos sempre terão a quem vender sua mercadoria. Eu, de minha parte, estarei ocupadíssimo, montando meu kit do veículo espacial da família Robinson de “Perdidos no Espaço”.

IMAGENS: A primeira, por óbvio, da stripper assessora. A segunda não carece de explicação. A primeira, reprodução da FOLHA, a segunda sobre a mesa do escritório, minutos após a chegada do Sr. Carteiro.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Dia 13 de Abril

Há coisas curiosas neste mundo. Pois as há e muito. Vejam, por exemplo este simples dia treze de abril, que só não o é tão simples quando, para azar de alguns supersticiosos cai em uma sexta-feira. Mas deixemos isto de gatos pretos e escadas de lado e vamos ao que interessa. Por exemplo, o dia treze de abril é considerado o dia do Hino Nacional Brasileiro. Pois é. Além disso é o dia do nascimento de Thomas Jefferson, aquele da nota de dois dolares, também conhecido como o autor da Declaração de Independência norte americana, ou mesmo da Lei de liberdade religiosa da Virginia. Mas também é o dia em que morreu La Fontaine, aquele das fábulas. Coincidência não? Nasce a liberdade e a independência e morre a fábula... Também foi o dia em que Dom Pedro I assinou sua abdicação em favor do filho menor e foi curtir a europa... Também foi o dia em que nasceu Samuel Beckett o dramaturgo e morreu Sargentelli o festeiro das mulatas. Cara, é muita coincidência para um dia só. Ao nascer a liberdade e morrer a fábula, cai-se na realidade em que Dom Pedro I acordou e viu a furada de se ter declarado independente e foi correndo atrás do cofre que estava no velho continente. Algo tão dramático como esperar Godot, mas ao mesmo tempo puro samba com mulatas esbeltas tipo exportação. Isso só podia virar Hino. Vai daí que é o dia do Hino Brasileiro, com todo respeito, afinal ca nestas terras misturamos liberdade com samba e mulata, fabula com realidade e drama. Tudo assim, no mesmo cadinho, não é?

domingo, 11 de abril de 2010

É TUDO VERDADE

SAMPA 8 a 18 de ABRIL e RIO 9 a 18 de ABRIL 2010

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER ESTA AQUI

DOIS DIAS FORA DO AR...

Estive dois dias fora do ar. Uma por estar aonde estava, (para terem uma idéia da vista do lugar tem a foto ai ao lado) e, outra, por ter dado pau no navegador que uso. Levei dois dias para entender isso e mudar de navegador pela enésima vez. É um tal de instala esse, desinstala aquele que eu agora tenho os dois. Atualizo os dois, uso os dois. Claro que não ao mesmo tempo. São como as fases da lua, cada qual com a sua influência sobre o ser humano.
Eu tenho um cunhado que manja horrorres de computadores, sistemas operacionais e TI. É um monstro da área tendo inclusive já trabalhado (entre idas e vindas) dois anos na pátria de Tio Sam. Ele navega até por ondas cerebrais e telefones inteligentes, mas nem ele me soube dar uma explicação de como e porque estes sistemas às vezes se comportam como adolescente mimado.

DIANE VON FÜRSTENBERG

Essa fera está em Sampa. Basta ir ao nono andar do Shopping da família Jereissati e conferir a exposição 'Journey of a dress' ou, ainda, depois de um café passar na mais nova 'lodjinha' dela (a primeira na América do Sul) e conferir pessoalmente um wrap dress. São belíssimos. Diane desenha já de muito tempo coleções para H Stern também e adora nossa terra. Vai dai, vem de lá, que ela sempre quis ter 'lodjinha' no Brasil. Mais um sonho realizado... e se você for na expo (que fica até maio) vai passar uma Tarde... D+!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Malcolm Mclaren

Tai; o dia em que alguém escrever um dicionário para expressões, certamente ao tentar definir 'Maluco de Plantão" dirá: Malcolm Mclaren. Isso mesmo, essa pessoa (que Deus a tenha bem ao seu ladinho) abriu uma 'lodjinha' com nada menos que Vivienne Westwood lá pelos idos de 1971. Quando estive em Londres em 74 passei por lá e minhas parcas posses não me permitiram comprar nada (e eram punk's, mas ainda não o sabiam). Pois bem, pouco ou nada depois, Malcolm tratou de reinventar a sociedade ocidental, inventando o 'Sex Pistols'. Cara, não é pra qualquer um não! Essa fera morreu HOJE. LUTO TOTAL aqui e agora!! Sou fã fã fã de carteirinha. Nosssa! Nem sei o que dizer. Acho que vou sair por ai dando abraços nas pessoas e dizer que foi ele que mandou. Ou talvez ir dormir deprimido, ou dar uma festa, tomar um porre... desmaiar, ler 'Esperando Godot' ou 'Porcos com asas'. Comer Sucrilhos... talvez. Na verdade, pessoas assim não morrem... UFF, que bom que lembrei disso.

22/01/1946 - 08/04/2010

500 ANOS DE ESCARAMUÇA

Neste 8 de Abril, que cá entre nós é ensolarado, anunciou-se a fusão das Companhias British Airways e Iberia. Surge dai uma das maiores frotas do mundo com mais de 400 aviões e 200 destinos. Este talvez seja um sonho de 500 anos. Desde que ambas estas nações se lançaram no que ficou conhecido como Guerra Anglo-Espanhola. Nada mais, nada menos do que a vontade de controlar as maiores e melhores frotas daquela época. Eu, sinceramente falando, não sei dizer se Almirantes, Corsários, Reis e Rainhas estão aos brindes ou rolando de raiva em suas respectivas tumbas. O que sei é que este negócio vem provar que não existem mais fronteiras, por conseqüência, a Globalização está mais do que consolidada e a economia anual resultante desta fusão passa da casa dos 400 milhões de Euros. Vamos ver no que dá, principalmente se dentro em breve alguma gigante americana se juntar ao grupo...

FONTE: O GLOBO
IMAGEM: Philippe-Jacques de Loutherbourg em 1796

Pablo Picasso


25 October 1881 – 8 April 1973

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Atemporal, essa Rachel de Queiroz...

Trago para reflexão um texto de Rachel de Queiroz, publicado na Revista 'O Cruzeiro' em 12/09/1959. E esta possibilidade se apresenta apenas e tão somente pelo trabalho de preservação histórica do sítio Memória Viva.

“O Estado são êles”
No céu claro passaram roncando dois enormes aviões. Pelo feitio ou pela pintura os rapazes conheceram que era da FAB. E um dêles, que ouvira o rádio do jipe, explicou: - É o marechal, que vai ao Cariri fazer propaganda eleitoral.
Lembrou-me a minha velha mestra de música, Dona Elvira Pinho, abolicionista e republicana histórica, mulher de rígida virtude particular e cívica. Uma de suas alunas era filha do governador e vinha para as aulas no carro oficial. E D. Elvira interpelava a garôta, em plena classe: Como vai o nosso automóvel? Você tem agradecido aqui às meninas o empréstimo do carro para você passear? Sim, porque tanto o automóvel como o motorista, a gasolina, tudo é nosso - nós que pagamos! A menina ficava encabulada ou furiosa, não sei, e Dona Elvira, abandonando a teoria musical, dava um aula de boa ética republicana. Que tudo pertence ao povo, pois quem paga é o povo. Os governantes que gastam consigo o dinheiro dos contribuintes estão usurpando essas regalias - aliás, a própria palavra está dizendo: regalia - privilégio do rei! República não tem rei, e, assim, os governantes republicanos não deviam ter palácios para as suas famílias nem carros oficiais para passear os meninos, nem comida e luxo à custa do povo. Tudo isso abolimos no 15 de Novembro, mas tudo tem voltado - só falta voltar o rei! (como era uso entre os republicanos históricos, D. Elvira só chamava o imperador o rei).
*    *    *
Até a ditadura ainda havia um certo pudor. Talvez porque ainda restassem vivos muitos republicanos da cêpa de D. Elvira. Com o Estado Novo, todo o mundo amordaçado, sem ninguém para estrilar, o hábito da regalia se universalizou. Os homens públicos deixaram de separar o que era do Estado e o que era dêles, ou antes, o uso e abuso dos bens públicos passou a ser privilégio dos cargos e, por extensão natural, da parentela dos cargos. NInguém se lembra mais da origem do dinheiro com que se custeia o luxo dos poderosos - aquêles ínfimos impostos que o pobre mais pobre tem que pagar: o cruzeiro a mais no preço do feijão, da farinha, do metro de pano, a licença para vender um pé de alface ou um chapéu de palha. Talvez se êsses aproveitadores da riqueza pública - e entre êles haverá muitos homens honestos - se detivessem um instante a pensar de que pobreza, de que miséria, provém aquela riqueza, que não foi para tal fim que a arrancaram ao triste contribuinte; que aquêle automóvel do seu uso talvez custe dez leitos que faltam num hospital; que aquêle passeio de avião talvez represente mais cem analfabetos; que aquela comissão no estrangeiro valha por alguns quilômetros de estrada; que aquêle piquenique oficial em Brasília talvez esteja custando o DDT que iria acabar a malária numa região inteira ou o barbeiro - em outra; se êles pensassem, talvez recuassem envergonhados, e devolvessem o seu a seu dono.
Mas êles não se lembram. Vêem apenas o dinheiro fácil, abundante, bom de gastar. Dizem que se um não gastar, outro gasta. E, acima de tudo, convencem-se de que êles próprios e os seus é que representam o Estado, e que emprêgo da fazenda pública em regalias pessoais para os que encarnam o Estado, é tão legítimo quanto os gastos em ordenados de professôras, em remédios para os ambulatórios.
Aquêles dois aviões, gastando material, gasolina e pessoal, tudo pago pelo povo, para que um candidato faça a sua propaganda, sei que é uma gôta de água na torrente dos gastos indevidos de dinheiros públicos, mas são um símbolo, ou uma amostra de como anda completamente desvirtuado aquilo que se pode chamar o pacto de govêrno, feito entre o povo e os seus líderes.
Quando se funda uma nação, o povo promete obedecer aos seus chefes escolhidos e pagar uma percentagem determinada sôbre tudo que produzir, para o sustento da indispensável máquina de direção e defesa nacional. Os líderes, por sua vez, juram não ser mais que fiéis servidores do povo que os emprega. Mas parecem que juram à falsa fé. Porque, mal se apanham com a máquina nas mãos, esquecem de quem é o dono e de quem é apenas o gerente. Transfere para a sua pessoa, a grandeza que só era do cargo. Querem palácios condignos, carruagens condignas, tratamento condigno, privilégios condignos. Aí, a palavra que eles mais apreciam é essa - condigno! E nessa preocupação de se regalarem a si, acabam esquecendo para que subiram tão alto, e se convencem de que o povo existe apenas para sustentar o Govêrno, e não o Govêrno para servir o povo. É a velha história da criatura que devora o criador. E a tal ponto chega a confusão de valores que, de consciência limpa e coração aberto, montados no dinheiro do povo, gastando a mãos abertas os impostos que o povo paga, querem convencer o povo, através de veículos, auto-falantes, propaganda impressa que o povo custeia, que são excelentes, honestos e indispensáveis e merecem tôdas as consagrações!
*    *    *
E a gente fica pensando, se aparecer por aí um demagogo que saiba explorar essas contradições tão primárias. Que mostre que pode ser administrador dos dinheiros alheios, sem tirar dêle a parte do leão. Um home, por exemplo, que pagasse as suas passagens nos aviões, quando quisesse vir arengar às massas do interior. Que morasse em casa sua, que usasse roupa, comida, automóvel, trem - tudo pago com o suor do seu rosto. E que desse uma garantia de continuar assim, mesmo quando a chave dos cofres estivesse em suas mãos. E que fôsse capaz de obrigar os seus subordinados a se portarem também assim. Que fôrça terrível, que prestígio espantoso não adquiriria um homem dêsses. Um homem que garantisse um govêrno onde o pacto republicano se cumprisse com escrúpulo, onde o dinheiro de escola fôsse para escola, e confisco de dólar do café fôsse mesmo para pagar trigo e gasolina, e verba de soldado fôsse para comprar espingarda e fardamento. Um homem que realizasse tal milagre - já pensaram o que conseguiria do povo um homem dêsses?
Até dá vertigens pensar. Talvez o divinizassem, como aos Césares. E, então, o homem, enlouquecendo com o tamanho da sua fôrça, vendo-se César, iria adquirindo as deformações de todos os Césares, e acabaria esquecendo o pacto inicial que fundara a sua fôrça, - e se corrompia, também e aí começava tudo de novo...

terça-feira, 6 de abril de 2010

CHOVE CHUVA

 
"Chove Chuva
Chove sem parar...
Pois eu vou fazer uma prece
Prá Deus, nosso Senhor
Prá chuva parar
De molhar o meu divino amor..."

enquanto isso no Rio:  RT @JornalExtra: Eduardo Paes: 'não saiam de casa, não levem seus filhos à escola, não se dirijam ao Centro. A situação é crítica'
 @ClaudiaCostin Atenção: quem ainda não saiu de casa não o faça. As aulas estão suspensas!  
E em sampa, nestes 5 (cinco) dias de Abril já choveu 90% do que chove normalmente no mês inteiro...
Oremos! 

segunda-feira, 5 de abril de 2010

NOVIDADE (S) !

Chegamos à maioridade: o Blog que você conhece continua o mesmo, mas agora com novo endereço: www.tardesdemais.com.br

Caso não queira ou não lembre do endereço completo: basta digitar tardesdemais e pronto!
Temos também uma versão para celular:
http://tardesdemais.mofuse.mobi/

ALLEN GINSBERG


Allen Ginsberg, a criança complicada e tímida que ficou amigo de Kerouac e Timothy Leary, ajudou a divulgar o LSD, incentivou grupos de rock (Clash, Morrison), foi porra louca até não poder mais e é considerado um dos maiores poetas norte americanos. Um gênio sem garrafa e com todos os desejos só pra ele. 

(3/06/1926 – 5/04/1977)

sábado, 3 de abril de 2010

Play time

Jacques Tati, um dos maiores gênios do cinema mundial, capaz de ser uma espécie de fusão de Chaplin com Buster Keaton. Capaz da crítica ácida e mordaz em forma de cotidiano comum do homem de aldeia. Em Play Time, Tati faz seu filme mais caro, construindo uma cidade cenográfica excepcional, com prédios de aço e vidro e ruas asfaltadas. Centenas de operários levaram meses para colocar suas idéias de pé para, ao final, um grupo de turistas americanas passarem um dia em Paris. A cada abertura de porta surge em forma de reflexo um monumento da cidade luz. Aos poucos os franceses tomam conta do filme, destacando-se dentre estes um tal Sr. Hulot. Alter ego de Tati, Hulot é a sintese do burlesco que habita todos nós. Na forma simples como desmonta os humanos ou demonstra os humanos, se preferirem, Tati faz um filme contínuo que segue uma linha simples e como que envolvendo em um crescente. A par disso aproveita para criticar a modernidade da arquitetura e mobiliário de sua época, demonstrando a linearidade e os equivocos do excesso de transparência. Um filme imperdível.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

2 de Abril

Sexta-feira Santa. Tempo de reflexão. Coincidentemente, hoje se comemora o centenário do nascimento de Chico Xavier. Não podia ser mais significativo, este homem ter seu centésimo aniversário em uma sexta-feira Santa.
Tempo de refletir sobre a morte, sobre a vida, a ressureição e a reencarnação.
Independente de crença filosófica ou Dogma religioso, hoje é uma grande oportunidade para se refletir e meditar acerca do nosso papel neste mundo, nesta vida...