PINTEREST

segunda-feira, 8 de março de 2010

A FOLHA


A FOLHA

A natureza são duas.
Uma,
tal qual se sabe a si mesma.
Outra,
a que vemos. Mas vemos?
Ou é a ilusão das coisas?

Quem sou eu para sentir
o leque de uma palmeira?
Quem sou, para ser senhor
de uma fechada, sagrada
arca de vidas autônomas?

A pretensão de ser homem
e não coisa ou caracol
esfacela-me em frente à folha
que cai, depois de viver
intensa, caladamente,
e por ordem do Prefeito
vai sumir na varredura
mas continua em outra folha
alheia a meu privilégio
de ser mais forte que as folhas.

Carlos Drummond de Andrade


IMAGEM: http://br.olhares.com/OciremaSolrac

4 comentários:

Gláuber disse...

Meu preferido.

Gerana Damulakis disse...

CDA, sempre CDA. Escrevo isso quando se trata dos grandes.

Lucia Alfaya disse...

Agora consegui:

Obrigada pela visita e pelos parabéns. Teitei postar um comentário no seu blog e não consegui. Adoro Drummond, não sei como podia caber tanta sensibilidade e sentido da beleza das coisas e da vida dentro de uma só pessoa.

Eliana Mara Chiossi disse...

Poxa, você me deixa feliz, mesmo...Porque você comenta como quem leu atento, dedicado.
Estou por aqui, nas Tardes de Mais...
Mande email, trocar figurinhas.
Aqui é mesmo uma casa de belezas...
eliana.mara@gmail.com


Bjs