PINTEREST

domingo, 7 de março de 2010

CONE SUL


O que tinham em comum o Brasil e o Chile no início dos anos setenta? Tudo e nada, ao mesmo tempo. Vamos por partes: 1) o Chile curtia a sua aventura socialista com Allende no poder enquanto nós sofríamos os piores anos da ditadura militar, os anos de chumbo; 2) Com a eleição (sic) de Geisel (74) começamos a abertura lenta e gradual e eles com o golpe de Pinochet (73) iniciaram os piores anos da história chilena; 3) Entre mortos e feridos, ambos saímos desta, não sem antes contemplarmos nossos ditadores de óculos escuros e uniforminho, igual caricatura de filme de Woody Allen.
Muito bem, dois cineastas, Cao Hamburguer e Andrés Wood, resolveram contar estes anos na ótica de garotos, pré-adolescentes na casa dos dez aos doze anos. Mauro e Pedro, cada um em seu país e à sua maneira, não entendem a razão da viagem de seus pais. Vivem mundos de faz de conta invadidos pela realidade dos adultos. Enquanto Mauro é envolvido pela Copa de 70, brilhantemente inserida na narrativa, Pedro sobrevive a sua maneira às tentativas de socialização levadas a cabo pelo Padre Mc'Enroe diretor de um Colégio de classe média em Santiago. Ambas as produções são cuidadosas, com detalhes de época impecáveis e possuem diretores nascidos no início dos anos sessenta e que por conseguinte, adicionaram bem as suas próprias lembranças ao que depois passaram para as telas.
A mim, particularmente, me tocaram muito ambos os filmes, uma vez que vivi de perto o mundo de Mauro, na mesma São Paulo, na mesma época e com a mesma idade. Filho de pais estrangeiros, com amigos no exterior, tive também muito acesso a informações não censuradas e pude acompanhar com um pouco mais de nitidez os acontecimentos daquela época. Não deve ser difícil de inferir que ambos os filmes mexeram na alma e no baú das emoções.
IMAGENS: 1) capas dos respectivos DVD's; 2) à esquerda Costa e Silva, à direita Pinochet (propositalmente nesta ordem) kkkkkkkkkkkkk

2 comentários:

Carlos Eduardo da Maia disse...

Gostei muito do filme do Cao Hamburger. Não assisti, mas prometo ver o chileno "Machuca", lembro de ter visto o trailer na época. Parabéns ao cinema do "Cone Sul" que conquistou ontem um caneco com um grande filme: "O segredo de seus olhos", onde também aparece a "cultura da repressão e da ditadura".

TARDE disse...

Verdade. Brindemos! Quisera eu estar festejando na Recoleta, como certamente muitos estavam esta noite.