PINTEREST

domingo, 31 de janeiro de 2010

Campeonato Paulista

Pois é... hoje meu time deixou escapar um tabu que durava mais de três anos. E o fez de forma absolutamente inacreditável, pois jogou contra um adversário que teve um homem a menos em campo, praticamente por toda a partida. O locutor da emissora, que recebeu a minha permissão para berrar na minha sala, não parava de gritar "Milagre, milagre". Isso todas as vezes em que o goleiro adversário evitou tentos certos e uma vez em que um zagueiro amigo seu  fez o mesmo. Ora, eu cá tenho minhas sinceras dúvidas quanto a terem realmente sido milagres estas singelas defesas. Explico: para mim, Milagre, que vem do latim "miraculum", do verbo mirare, "maravilhar-se", é um fato dito extraordinário que não possui uma explicação científica. Ora, ora, ora... se o maldito passou a vida treinando embaixo daquelas traves e ganha mais de cem mil por mês, não pegar a bola... no mínimo vão mandá-lo embora. Ele tem diversas explicações científicas para o seu desempenho, já pelos treinos e pela conta bancária por nós anteriormente adiantada. Mas, digamos, que nada disso seja científico o bastante, então a turba a sua espera na saída do vestiário creio que é argumento do nivel da revista Cientific American. O nosso goleiro até que se esforçou também, ocorre que os cabeça de bagre que o ajudam na defesa... deixam muito a desejar. E assim parece que, a excetuarem-se alguns milagres, iniciamos mais uma caminhada em direção a outro ano sem títulos.

2 comentários:

Gláuber disse...

Tinha o palpite que vc comentaria o clássico... e acertei!

Tardes demais, é nessa hora que dizemos o jargão que explica as coisas improváveis do futebeol:

"Futebol tem dessas coisas."

cheguei demasiado TARDE disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk "é uma caixinha de surprêsas" kkkkkkkkkkkkkk