PINTEREST

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

POLÍCIA, ADJETIVO



De Corneliu Porumboiu não vou falar. É diretor premiado, conhecido e eu não sou de jogar arroz. Vou falar do filme que tive a oportunidade de ver graças à 33ª Mostra de cinema em Sampa. O título você só entende quase ao final do filme, quando o Chefe de Polícia manda o detetive Cristi ler algumas definições em um dicionário. O filme se passa na Romênia atual, um país a procura de uma identidade pós-comunista, sem dinheiro e ainda com um pé na lama. A polícia retratada, tanto quanto a repartição que frenquantamos junto com ela, é lerda, inoperante, corrupta e desaparelhada. Basta dizer que o computador da repartição é tão eficiente que o personagem principal escreve seus relatórios à mão. Os planos de câmera usados por Corneliu são lentos, parados até... e de um tempo quase infinito. Em duas horas de filme passam-se 4 dias, cinco no máximo. Assiste-se quase em "real time", de modo que a pasmaceira advinda da incompetência e do despreparo, passa para o espectador. Você sente na pele que a máquina deles não funciona. A outrora temida polícia de Ceauşescu, a Securitate, hoje é um nada, inoperante e sem recursos. Neste clima incrívelmente bem exposto, o personagem principal, um detetive de nome Cristi, resolve pensar. Ao exercitar sua massa cinzenta questiona a utilidade de se prender um reles usuário de maconha, denunciado por um suposto amigo. Tendo ido ao exterior, Cristi entende que a Lei que o obriga a agir pode estar com seus dias contados. Ao expor suas idéias a um superior, no entanto, Cristi é confrontado, humilhado e colocado contra a parede: ou faz o flagrante ou sai da polícia... A cena final é impagável ao nos expor a estratégia do flagrante. Quase uma tragicomédia. Eu, particularmente, espero muitos prêmios para este filme, que além de contar bem uma história expõe as mazelas e o dia a dia das ruinas romenas que emergiram do Estado Policial montado pelo regime ditatorial de Nicolae Ceauşescu que perdurou quase 25 anos.

Cachorro também vai ao bar...


Esta foto tirei na Rua João Cachoeira e ela mostra um pote de água limpa chumbado na calçada e dois ganchos nos quais se pode prender a coleira do cão. Há dois aspectos a considerar. O primeiro é de que isto me parece muito civilizado, gentil até, pois da uma condição extra para os frequentadores desta modesta casa. O segundo aspecto versa sobre a calçada em sí, que como todos sabem é espaço público. E, como tal, ali não cabe se chumbar nada, muito menos um prato plástico com água, para que pessoas tropecem... (a menos que o diligente proprietário da casa em questão, coloque e tire o prato diariamente e isto eu não tenho como verificar)

VOCÊ SABE A HISTÓRIA DESTE TROFÉU ?


Este troféu é uma réplica do que foi oferecido ao terceiro colocado na corrida de Fórmula 1 de Interlagos 2009. Foi inteiramente feito de material reciclado (garrafas PET) numa parceria da Braskem com as Indústrias ROMI de Sta. Bárbara do Oeste (SP)  (projeto do incansável Oscar Niemeyer). Teve a colaboração, também, da Cooperativa de Coleta Seletiva da Capela do Socorro que, durante os dias do evento, fez a coleta do material que depois de processado foi usinado lá mesmo no autódromo.
Tivemos acesso a esta maravilha, graças ao encontro promovido nesta quinta pela APIMEC-SP e a gentileza do Sr Livaldo Aguiar dos Santos, Presidente das Industrias ROMI. Para quem não sabe, a ROMI fabricou o primeiro automóvel brasileiro: a famosa ROMI-ISETTA, que mais parecia um ovo com a porta na frente... e que muito alegrou minha infância.

NESTA QUINTA



Hoje fui no cinema, uma por conta do 33 Festival e outra por conta da chuva e do frio que me afastaram do Parque Antarctica...
Fui ver o premiado "Polícia, adjetivo" do diretor romeno Corneliu Porumboiu... (amanhã falo mais deste filme) e logo ao sair do cinema demos de cara com uma ótima pizza, um chopp bem tirado e o telão da goleada do Palmeiras sobre o Goiás... Melhor que perfeito, afinal o filme terminou e pouco depois começou o segundo tempo aonde saíram todos os gols. O Fluminense tratou de ajudar a qualidade da rodada vencendo o Galo mineiro já que o Barueri, ontem, já tinha feito a lição de casa frente ao Flamengo. Com a derrota do Inter, só o São Paulo ainda enche o saco (como sempre) e domingo vamos ver o que o Gordaldo vai quebrar... no primeiro jogo foi o alambrado, no segundo foi a mão e domingo?
Depois desta rodada, a classificação ficou assim ó:

Se clicar na imagem, ela amplia e vc vê melhor... (imagem do UOL)