PINTEREST

terça-feira, 25 de agosto de 2009

6º CINEFEST VOTORANTIM


DE 11 A 25 DE OUTUBRO

com recordes de inscrições para a Mostra Competitiva em um total de 420 trabalhos inscritos.




MAS o que realmente vai atrair muita, mas muuuuuiita GENTE é a exibição exclusiva (na região) do Documentário LOKI (Arnaldo Batista) um dos mais premiados deste ano (32ª Mostra de Cinema de S. PAulo- Festival do Rio - 7º Fest Brasil em Nova Yorque)

(direção de Paulo Henrique Fontenelle)


Existe, ainda, a possibilidade de Arnaldo estar presente na Mostra, se bem que isto ainda está sendo negociado entre as partes.


A CERTEZA É que quem não viu TEM QUE VER!
IMAGEM: DIVULGAÇÃO

FERMENTO


Por OLIVER SEITZ

O futebol gera mais exposição do que dinheiro.
E, talvez por isso, todo mundo ache que vale muito, mas muito dinheiro
Você não vai gostar do que vai ler.
Provavelmente, irá reclamar.
Quiçá me enviará um e-mail.
Mas alguém tem que dizer. O futebol não é um negócio tão grande quanto você imagina.
Não é. Nunca foi. Provavelmente, nunca será.Alguém, em algum lugar, criou o mito.
Provavelmente foi o William MacGregor, um escocês que era dono do Aston Villa e fundou a Football League na metade do século XIX.
Ele, em seu livro ‘The book of Football’, escreveu: ‘football is a big business’. A ideia pegou, e todo mundo passou a reproduzir.Você pode estar pensando que eu sou idiota, o que é justo.
Afinal, todo mundo diz que o negócio do futebol é enorme, só que mal explorado.
Mas a verdade, infelizmente, é que o futebol é um negócio extremamente supervalorizado.
Ele gera mais exposição do que dinheiro. E, talvez por isso, todo mundo ache que vale muito, mas muito dinheiro.Você conhece a Usina Itaiquara de Açúcar e Álcool S.A. ?
É provável que não.
A não ser que você trabalhe no setor de cana-de-açúcar, ou que compre produtos de panificação, ou que more em Tapiratiba, São Paulo, ou que torça para a Portuguesa, o que eu imagino não serem características do perfil dos poucos que leem essa coluna.De qualquer maneira, a Itaiquara produz energia, produtos pra confeitaria e produtos pra uso doméstico, como açúcar, mistura pra bolo, mistura pra pão de queijo e fermento, que minha mãe sempre disse também ser energia.Incrivelmente, ou não, a Itaiquara patrocina a Portuguesa, além da Pizza na Roça, supostamente a melhor pizzaria do Brasil, localizada em Caconde, São Paulo.
Incrivelmente, também, é que a Itaiquara não está sendo citada aqui por nada disso. A
Itaiquara está sendo usada de exemplo porque ela foi a milésima empresa em vendas do Brasil no ano de 2008, de acordo com o índice "Melhores e Maiores" da revista "Exame".
A Itaiquara faturou no an o passado 133,9 milhões de dólares, o que dá cerca de 320 milhões de reais de acordo com a cotação usada pela revista. A milésima empresa do Brasil. Isso quer dizer que outras 999 empresas faturaram mais.E sabe quanto o São Paulo Futebol Clube, tradicionalmente o clube com maior receita do país, faturou no ano passado?
158 milhões de reais, menos da metade do faturamento da Itaiquara, a milésima empresa do Brasil, que vende produtos de panificação e patrocina a Portuguesa, o que – colocando nessa ordem – até faz sentido. Menos da metade. O maior clube do Brasil.
Não há dúvidas que ele poderia arrecadar mais. Mas quanto mais?
O grosso da grana, quase 40%, vem da venda de jogadores e direitos de televisão, valores que dificilmente podem ser elevados.
Adicionando o patrocínio, que está num valor bastante significativo e que dificilmente tem espaço para crescimento, o percentual sobe para quase 50%. Esse valor é de certa forma consolidado e tem pouco espaço para crescimento, por mais bem organizado que o clube seja.De resto, tem valor de ingresso, sócios, premiações, enfim, uma diversidade de coisas.
Que até poderiam apresentar também um crescimento, mas nada capaz de fazer dobrar o faturamento do clube para que ele, dessa forma, chegasse próximo à milésima empresa do país. Na Europa, acredite, também não é diferente. Os clubes de futebol não figuram na lista das maiores empresas de qualquer país. Apesar de ter uma exposição enorme, o negócio do futebol, volto a dizer, não é tão grande assim.
Diminuir as expectativas de geração de receita provenientes do futebol, em especial do Brasil, talvez seja um passo importante para se melhorar as condições atuais. Por isso, por mais decepcionante que possa parecer, é imprescindível que se analise a realidade do jeito que ela é.E se você é de Itaiquara ou trabalha em um canavial, ou é torcedor da Portuguesa, por favor, me envie um e-mail. Ficaria bastante contente em conhecer as razões pelas quais você lê o que eu escrevo.Em tempo: caso o São Paulo tivesse enviado o seu balanço para a Exame, ele ficaria na honrosa milésima centésima nonagésima quinta posição, empatado com a Ponte de Pedra, uma hidrelétrica localizada em Itiquira, Mato Grosso, que tem seis funcionários. Se você é de Itiquira, também pode me mandar um e-mail. Se você for um desses seis funcionários, por favor, não mande nada. Seria assustador demais.


PUBLICADO COM EXPRESSA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR POR E-MAIL

IMAGEM: www.portuguesa.com.br

com a palavra: O SENADOR!

A Quarta e o boi

JOSÉ SARNEY *

"Dois assuntos me despertaram especial atenção nesta semana. O primeiro é uma velha história cujo resultado já dissequei várias vezes. O fato de a Venezuela querer ser potência militar desencadeou duas conseqüências esperadas: 1º) Uma corrida armamentista, com o crescimento de 55% no orçamento militar da América do Sul, atingindo US$ 38,4 bilhões em 2007, dinheiro que tanta falta faz aos programas sociais; 2º) Os Estados Unidos não ficaram de braços cruzados e logo reativaram a sua Quarta Frota. Denunciei que isso iria acontecer. Anos atrás, Menem quis que a Argentina fosse associada da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Eu, à época, protestei e uma reação geral foi desencadeada, sepultando aquela aventura. Agora, o presidente Chávez está na Rússia comprando submarinos e sistemas antiaéreos iguais aos que foram vendidos ao Irã. Já os americanos planejam como "cooperar em missões humanitárias" com nossos países, com porta-aviões, cruzadores e fragatas, mísseis e armas nucleares. O plano de Chávez nos jogou dentro da corrida armamentista e deu de mão beijada aos EUA a motivação para nos arrastar para o jogo da chamada segurança global. E agora ele resolveu oferecer o território da Venezuela para bases militares russas, uma reprise do que fez Cuba em 1962 e que quase levou a uma guerra nuclear, com a crise dos mísseis. Enquanto isso, na nossa segurança interna, em busca de preservar a Amazônia do desmatamento, o ministro do Meio Ambiente, o simpático Minc, determinou que bois criados em áreas desmatadas ilegalmente sejam apreendidos. Eu tenho um trauma com prender bois. No Plano Cruzado, quando faltou carne nos açougues, nossos técnicos acharam que a solução era prender boi no pasto e levar na marra para o frigorífico. Foi uma gozação danada, e os chargistas abusaram do meu bigode durante a apreensão dos bois. O tempo fez esquecer o episódio. Mas 20 anos depois, numa recepção em São Paulo no ano passado, um amigo meu aproximou-se e me disse: "Olha aquela senhora elegante ali, como está gesticulando e reclamando de você". Eu indaguei por quê. Ele me esclareceu que ela ainda estava irritada comigo e que dizia: "Foi ele quem mandou pegar meus bois no pasto em Mato Grosso". Para completar, leio que os bois presos pelo Ibama não foram arrematados porque não tinham exame andrológico para testar a qualidade do sêmen. E o presidente da ONG Vitae Civilis sugere que, em vez de prender bois, conscientize-se o consumidor: "Se você está comendo um filé de boi criado em área desmatada da Amazônia, não é filé - é uma castanheira de 50 metros com 200 anos". Não coma castanheira, coma macarrão."

* José Sarney é ex-Presidente da República, senador do Amapá, acadêmico da Academia Brasileira de Letras e da Academia de Ciências de Lisboa.

jose-sarney@uol.com.br


PS: perdoem a postagem, mas eu quis mostrar um outro lado desta pessoa, afinal os jornais só tem podido mostrar uma das facetas dele, não sobra nem tempo nem espaço para outros pontos de vista...

ANTÔNIO CONSELHEIRO COM GUITARRA...



Sente numa praia de Fortaleza e peça um coquetel: misture Odair José com Pink Floyd, sacuda bem e ouça o resultado: CIDADÃO INSTIGADO.

Já no terceiro disco (Uhu), Fernando Catatau dispensa rótulos e apresentações mais demoradas. Sentar e ouvir, ou não... apenas ouvir: esse é o cara!

CONFIRAAAAAA: http://www.youtube.com/watch?v=KglZossG5TY


FONTE: LASTFM.COM.BR

TEATRO CULTURA ARTÍSTICA


ATÉ QUANDO SERÁ ESTE O ESPETÁCULO EM CARTAZ?
FONTE: ESTADÃO

GETÚLIO: o dia seguinte...


Hoje fazem exatos 55 anos das manifestações populares consequentes ao suicídio do presidente Getúlio Vargas. No dia seguinte ao suicídio (24/08), quando uma das cartas testamento chegou ao conhecimento dos brasileiros pelos rádios, manifestações de indignação e revolta contra os adversários do "pai dos pobres" tomaram as ruas do Brasil, apedrejando embaixadas e consulados norte-americanos, e as redações de jornais opositores a Vargas. O udenista Carlos Lacerda, um dos grandes inimigos políticos de Vargas, fugiu do país com receio da ira popular. Em diversas cidades houve distribuição de fotos do ex-presidente.


esquecer: JAMAIS!


A crise financeira, que também atinge a mídia, parece SER a causa desta nova vítima. A agência fotográfica francesa Gamma, fundada em 1966 e que ficou famosa documentando o levante estudantil de maio de 1968 em Paris e, posteriormente, a Guerra do Vietnã, anunciou no final de julho que sua sobrevivência está em risco. Alegam que a concorrência da Internet vem desafiando a mídia impressa tradicional ao fazer cair a circulação, de modo que os editores têm menos dinheiro para gastar com imagens de agências como a ELA. Some-se a isto a crise financeira internacional e a queda dos anunciantes da mídia impressa, e o cenário parece estar montado. APrendi desde cedo a admirar o trabalho dos fotógrafos da GAMMA, pois sempre que podia ia comprar a minha PHOTO lá na banca do aeroporto de Congonhas.
Mas o mundo muda, as coisas mudam e até Sebastião Salgado já se rende à tecnologia digital... (afinal, depois de 11/09 - "aquele" - os raios "x" - "aqueles" - estão destruindo as fotos dele nos aeroportos mundo a fora) Vai dai, vem daqui... as fábricas de filmes fotográficos estão fechando as portas... uma agência destas acaba virando história da mesma maneira que meu avô ou a locomotiva a vapor...
SENHORES, evoluir é imperioso. Sentir SAUDADE não é crime, PRESERVAR, TAMBÉM NÃO, mas manter vivo, ligado a aparelhos (o tal do entubado), não é coisa que eu apoio. ENSINEMOS HISTÓRIA, isso sim, uma prática louvável.
FONTE: REUTERS

ANOTE A AGENDA DE SALVADOR:


Exposições
1º a 30/8 - Palacete das Artes Rodin Bahia (3117-6910)À procura de um olhar -Fotógrafos franceses revelam o BrasilAbundante cidade -Dessemelhante Bahia -Voltaire Fraga
5 a 29/8 - Galeria Acbeu (3444-4411)Porto da Barra - Marc Dumas (o fotógrafo estará no local no primeiro dia)
6 a 28/8 - Galeria do Conselho (3117-6193)Luz do interior - Iêda Marques
8/8 a 13/9 - Galeria Solar Ferrão (3117-6440)Diário de Bolsa -Instantâneos do Olhar -Vânia Toledo
9/8 a 11/9 - Santa Casa de Misericórdia (3322-7355)A construção de uma memória - Sérgio Benutti


Confira a programação completa no site: http://www.agostodafotografia.com.br/

RECIFE NA VANGUARDA

Dia primeiro de agosto os recifenses fizeram um passeio de trem visando a coleta de imagens que dia 19 (dia mundial da fotografia) fizeram parte de um varal. A coisa cresceu para projeções na torre Malakoff e terá uma mesa redonda, em data a ser divulgada, para setembro.

PARABÉNS