PINTEREST

terça-feira, 10 de novembro de 2009

BRINQUEDO DE MULHER


Navegando pela net encontrei um ótimo texto de Galeno Garbe. Tratou-se de agradável coincidência. Primeiro pois não estava procurando nem pelo amigo, nem pelo tema do texto. Eu diria que são acasos, se soubesse como os mecanismos de busca de internet funcionam. Mas não sei. Aliás, não faço a mínima idéia. Acredito piamente que estes mecanismos, ou pelo menos as pessoas que os inventaram, se inspiraram nos métodos inquisitoriais medievais. Explico: quando os inquisidores medievais resolviam que determinada pessoa era culpada, faziam de tal modo seu interrogatório que acabavam convencendo a pessoa a convencê-los de que era tão culpada que merecia ser castigada. Portanto, os mecanismos retornam o que acham por bem retornar e não aquilo que se busca.
O texto que encontrei, versava sobre como convencer uma esposa, ou companheira, de alguma compra, certamente por ela classificada de supérflua. Na minha mente, imediatamente, imaginei um inquisidor desancando o cristão incrédulo de sua sorte. Mas estamos falando de esposas. Acredito que posso contribuir satisfatoriamente para o tema, vez que já tive algumas. Tanto esposas como traquitanas caras desdenhadas por elas.
Pois bem, meu amigo orienta os leitores a diversos níveis de mentira, desde a omissão quanto ao preço até a mais deslavada sonsice, aquela que ela certamente não engole. Por último, e por sinal a melhor parte do texto, resolve sugerir o método da compensação, de se comprar algo caro para ela também. Não é para todos, mas certamente a melhor sugestão que li nos últimos anos. Ou seja, deixe de ser pão duro e adquira um brinquedo caro para a sua mulher também.
Daí surge uma grande dúvida: o que é brinquedo caro para mulher? Sabemos que o homem cresce e apenas os seus brinquedos encarecem, não mudando nem um pouco de forma ou natureza. Sim, os carrinhos viram carrões, as bicicletas viram motos, barquinhos de papel viram iates e coisas assim, se é que me entendem. Mas e as mulheres? Não é possível que apenas as bonecas virem nenês e que as panelinhas virem fogões completos. Aliás, não seria justo. Também não vamos tratar a mulher como débil mental e comprar-lhe uma TV de 64 polegadas para ver novela ou filme, que ela logo perceberá que é para ver o jogo. Não vai colar, muito menos se for na véspera da Copa do Mundo. Um Lap-Top só dela, cor de rosa ou branco, pode até ajudar, mas é só um item que, aliás, a “aborrecente” da casa certamente irá confiscar. Quais os outros?
Eu, por exemplo, quando comprar meu veleiro (que até já escolhi o modelo), talvez o faça junto com uma ilha só para poder dizer: “querida, te comprei uma ilha”! E quando ela perguntar como se chega até lá, responderei: "com este barquinho aqui... que veio junto, praticamente de graça".

Brincadeiras à parte, gostaria que as leitoras comentassem este texto e fizessem sugestões. Não vale perfume importado, nem roupa de grife, pois haja perfume e roupa para compensar uma Harley, uma Mercedes ou uma Lamborghini.
 
 
IMAGENS: UOL

Um comentário:

Gladys Ferreira disse...

difícil! sobretudo porque o presente não deve denotar que se está comprando afeto... é intrigante mas não vejo brinquedinhos femininos tão caros como o dos homens. Joias, viagens exóticas, roupas de grife, casacos de pele... aquela plástica sonhada, essas coisinhas caras e cobiçadas são apenas "sonho de consumo". Segurança e tranquilidade ao lado do homem amado, uma casa legal, sentir-se desejada, amada, importante... e sermos a mulher que vai andar na ferrari, a mulher que vai na garupa da moto, no barco e nas viagens... rs... pode entregar esses objetos em nossas mãos também, sem receio que vá bater, quebrar, virar...rs na maior confiança isso sim é o maior desejo de toda mulher... o amor incondicional e... cego! rsrs